quinta-feira, 9 de junho de 2016

MAIS UMA VEZ O PR. MALAFAIA E SUAS BOBAGENS!!!

O texto abaixo foi publicado pelo Pr. Malafaia. Irei colocá-lo na íntegra para que eu não falem que eu alterei o teor do assunto. A minha discussão virá logo abaixo.



O dízimo ainda deve ser praticado à luz do Novo Testamento?

O dízimo representa a décima parte do fruto do nosso trabalho consagrada a Deus. É uma expressão da fé, do amor e da gratidão do cristão pelo favor divino que lhe assegura a vida e o sustento espiritual e material.
Essa ordenança da Lei mosaica (Levítico 27.32), que no Antigo Testamento assegurava o sustento dos sacerdotes e dos levitas, já era praticada antes de Moisés. Abraão e Jacó, por exemplo, entregavam o dízimo de tudo o que possuíam (Gênesis 14.18-20; 28.22). Além de ser uma ordenança, o dízimo sempre envolveu bênçãos de prosperidade, conforme Provérbios 3.9,10 e Malaquias 3.10-12.
No Novo Testamento, não há nova regra para o dízimo. Jesus não condenou nem ab-rogou essa prática; apenas criticou o comportamento hipócrita dos religiosos que davam dízimo para se autopromoverem, sonegando o mais importante da Lei: o juízo, a misericórdia e a fé (Mateus 23.23).
O Senhor se agrada daquele que dá voluntariamente e com alegria (2 Coríntios 9.7), e não daquele que apenas cumpre uma obrigação religiosa, por medo de atrair uma maldição ou de ir para o inferno.
O cristão genuíno é conhecido pelo amor, pela fé, pela obediência e pela submissão ao Todo-poderoso. É impossível desassociar o dízimo e as ofertas de certas virtudes fundamentais da vida cristã. Logo, dar o dízimo atesta se o cristão crê em Deus e na Sua Palavra, se reconhece que Ele é o Provedor, se lhe é grato e se deseja contribuir para o evangelismo e o estabelecimento efetivo do Reino de Deus em cada coração.
A despeito disso, existem muitos cristãos que não percebem que dar o dízimo é um privilégio. Eles não conseguem entregar nem 10% do seu salário à causa do evangelho. Esse apego ao dinheiro demonstra um materialismo exacerbado e até avareza, um pecado de idolatria (Colossenses 3.5). E foi para evitar isso que o Senhor instituiu o dízimo.
Quando devolvemos a Deus os 10% que Ele requer para que haja mantimento em Sua casa, estamos dizendo que Ele é o Senhor da nossa vida, que reconhecemos que tudo que somos e temos vem dele e pertence a Ele; somos apenas os mordomos.
O cristão que entrega o dízimo demonstra ter visão espiritual, fé nas promessas de Deus, compromisso com a igreja, com sua liderança e com a causa do evangelho, e será ricamente abençoado pelo Senhor.
SUGESTÕES DE LEITURA:
2 Crônicas 29; Malaquias 3.10-12


Pr. Silas Malafaia

Pr. Silas Malafaia é psicólogo clínico e conferencista internacional.




Infelizmente, pastores como você continuam a "forçar" goela abaixo que o dízimo é para os seguidores de Jesus Cristo. 

Infelizmente essa corjarada, que se misturada aos políticos brasileiros ninguém notará qualquer diferença, iludem e enganam o povo de Deus. E assim o fazem através da Institucionalização do MEDO, da CULPA e da GANÂNCIA nas igrejas.

Infelizmente, Pr. Malafaia, você está COMPLETAMENTE equivocado porque não prega o Evangelho de Jesus Cristo e usa a CULPA, enquanto que a também herege Igreja Universal do Reino de Deus aprisiona seus fiéis pelo MEDO, para justificar sua GANÂNCIA. 


Infelizmente só no primeiro parágrafo tem tanta bobagem e heresia que chega a dar ânsia de vômito. Ele tenta usar um trocadilho ARDILOSO dizendo que "o dízimo é a décima parte do fruto do nosso trabalho..." enquanto segundo o Velho Testamento (VT) o dízimo era o fruto da terra, eram os alimentos produzidos e colhidos, fazendo com que houvesse uma celebração comunitária. Vamos ver o que o VT nos diz: "Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo. E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus todos os dias." Deuteronômio 14:22-23 Ainda temos que "Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo como dos frtuos das árvores, são do Senhor, santas são ao Senhor." Levítico 27:30.

Portanto, o dízimo é o próprio fruto da terra, que nasce na terra, de ano em ano. Que eu saiba dinheiro não nasce na terra. Interessante ainda, que era para os Israelitas, eles próprios, comerem os dízimos na presença do Senhor.  

Sim, sei muito bem que depois Deus, Ele mesmo, instituiu que os levitas ficassem com o dízimo para sobreviverem porque não tinham herança no meio do povo e levavam sobre si toda a iniquidade. E isso está escrito em Número 18:21-24: "E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que executam, o ministério da tenda da congregação. E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. Mas os levitas executarão o ministério da tenda da congregação, e eles levarão sobre si a sua iniqüidade; pelas vossas gerações estatuto perpétuo será; e no meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão. Porque os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerem ao Senhor em oferta alçada, tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão." 

Qualquer recém convertido sabe que Jesus Cristo é quem levou toda nossa iniquidade lá na cruz do Calvário e a Ele devemos dar TODA nossa vida. 

Depois em Malaquias diz que os dízimos deveriam ser entregues na casa do Senhor (templo de Salomão), que ficava e não fica mais, pois não existe, em Jerusalém. Acabaram-se os sacrifícios, os levitas e também o dízimo. Simples assim e ponto final! 

Na seqüência do mesmo parágrafo ele afirma que o dízimo é "uma expressão da fé, do amor e da gratidão do cristão pelo favor divino...". De onde o Pr. Malafaia tirou essa heresia??? Da Bíblia que não foi, pois desconheço qualquer escrita a esse respeito na Palavra de Deus. 

Pense na realidade da salvação dada gratuitamente por Jesus Cristo que não nos pede NADA em troca; é graça divina pura e simplesmente. Que confusão hein Pr. Malafaia??? 

Depois, é esse "favor divino que lhe assegura a vida e o sustento espiritual e material." Quanta bobagem! MENTIRA. É o próprio Deus que nos garante o sopro da vida, o sustento espiritual vem pela leitura da Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo. O sustento material vem pelo trabalho digno e honesto (coisa que não parece ser muito aplicável a você...), pois a Bíblia em II Tessalonicenses 3:10 "Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também." Que samba do crioulo doido você faz Pr. Malafaia!!! 

Os outros parágrafos são tão desconexos com a realidade da vida cristã que deve ser calcada na graça de nosso Senhor Jesus Cristo que não vale nem à pena gastar tempo rebatendo os absurdos.

Por que ao invés de inventar estórias da dona Carochinha para o rebanho de Jesus Cristo, você, Pr. Malafaia, não prega o Evangelho dEle e deixa de lado toda essa heresia??? 

Agora, se você, Pr. Malafaia, acha que o rebanho é seu, da sua igreja, "poderosa", e faz o que quer e diz o que vem na sua cachola, quero lembrá-lo, então, que o rebanho de Jesus Cristo é outro, pois não é de ninguém, e pertence somente a Ele, Deus Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário