terça-feira, 27 de abril de 2010

PSICOLOGIA DE ATEUS E "PSICOLOGIA CRISTÃ", O QUE TEM EM COMUM?

NÃO SÓ A PSICOLOGIA CRIADA POR HOMENS ATEUS DEFENDE O AMOR E A ESTIMA A SI PRÓPRIO (AMOR À AUTO-ESTIMA), COMO A CHAMADA "PSICOLOGIA CRISTÃ" TAMBÉM, APESAR DA ORDEM EXPRESSA DE CRISTO PARA O HOMEM SEJA NEGAR-SE A SI MESMO.

O objetivo deste blog não é só para informar, mas agitar os leitores. Não basta lamentar a falsa doutrina da igreja, devemos fazer algo para pará-la.

As 95 teses de Martinho Lutero na porta de Wittenberg fotam o catalisador que começou a Reforma. Hoje a igreja está em situação ainda pior. O catolicismo continua a promover os males contra os quais os reformadores lutaram. O Protestantismo já não protesta mais nada nem os erros da Igreja Católica Romana, que ainda levam milhões para o inferno, mas os seus dirigentes com mentalidade ecumênica tem a esperança de uma fusão com Roma. No clamor popular por "amor e unidade", questões vitais pelas quais os mártires deram suas vidas são ignoradas.

Precisamos desesperadamente de uma outra reforma, mas há pouco interesse em corrigir as falsas doutrinas evangélicas. Hoje Martin Luther seria denunciado não só pelos católicos, mas pelos próprios evangélicos por provocar uma "divisão". Tenho documentado aqui no blog heresias terríveis por parte de muitos dos atuais líderes/pastores mais populares das igrejas. Um grande grito de protesto deveria forçar esses falsos mestres a se arrependerem de seus erros ou perderem o apoio dos cristãos. Ao invés, são taxado e isolado como divisionista, separatista!

Às vezes penso comigo: estou ficando louco?

Vamos pegar uma categoria de erro, como por exemplo, o humanismo. A sua penetração na igreja evangélica tem sido incrível! Depois de limitar-se a liberais/modernistas e pseudo-evangélicos, o humanismo está agora abraçado por quase toda a igreja evangélica. Como isso aconteceu? Principalmente pela aceitação da psicologia. Já escrevi aqui no blog algo sobre este homem. Foi Norman Vincent Peale (http://en.wikipedia.org/wiki/Norman_Vincent_Peale) o primeiro conceber a "psicologia cristã" - o próprio pensamento que J. Harold Ellens nos lembra, foi contestado por "toda a igreja cristã durante quase meio século." Mas, Peale usado por satanás persistiu. Seu protegido, o dito “pastor” Schuller (http://en.wikipedia.org/wiki/Robert_H._Schuller), pegou essa bandeira e vários outros o seguiram.

Hoje a “Psicologia Cristã" que era heresia para os cristãos é a nova ortodoxia evangélica. Chore, ore e trabalhe com todas as suas forças para erradicá-la da igreja de Jesus Cristo!

Bruce Narramore (sobrinho de Clyde Narramore, outro padrinho da "Psicologia Cristã" que criou o NCF - Narramore Christian Foundation, que é uma Organização para Saúde Mental Cristã dedicada para prevenir e resolver problemas humanos - http://www.ministrywatch.com/profile/narramore-christian-foundation.aspx) descaradamente escreveu: "Sob a influência dos psicólogos humanistas, como Carl Rogers (http://en.wikipedia.org/wiki/Carl_Rogers) e Abraham Maslow (http://en.wikipedia.org/wiki/Abraham_Maslow), muitos de nós cristãos temos começado a ver a nossa necessidade de amor-próprio e auto-estima." Assim, ele admite que ninguém em 1900 anos de história da Igreja de Cristo nunca imaginou que o amor-próprio e a auto-estima (e outros egoísmos populares) foram ensinados na Bíblia. Os humanistas seculares inventaram egocentrismos e os "psicólogos cristãos" compraram a bomba e a trouxeram para dentro da Igreja.

Considere a declaração irônica feita pelo Dr. James Dobson (http://en.wikipedia.org/wiki/James_Dobson) em seu dezembro 1988 no seu programa Focus on the Family (Focando a Família): "Psicologia cristã é uma profissão digna para um recém convertido buscar, desde que a sua fé seja forte o suficiente para suportar os conceitos humanistas, aos quais ele será exposto...".

Dessa forma, o Dr. Dobson promove um novo e estranho ramo da "verdade de Deus", através de uma nova interpretação das Escrituras, do Evangelho de Cristo Jesus, desconhecida da Igreja durante 1.900 anos, que foram inventados por ateus anti-cristãos e que agora devem ser aprendidas com eles! Que absurdo!

Este novo conceito de “humanismo cristianizado” está rapidamente se tornando a base para uma união ecumênica, não só entre católicos e evangélicos em geral, mas também com adeptos da Nova Era, para assim formar a religião mundial vindoura do Anticristo.

Acorde para o que está acontecendo e comece a agir!

Certamente que o Dr. Dobson deve ser elogiado por liderar a luta contra os afilhados do humanismo imoral, entre eles o aborto, a pornografia, o abuso infantil e a homossexualidade. Na verdade, não fez nada a mais do que as Escrituras nos ensinam a fazer. No entanto, é impressionante reparar que ele mesmo se dá um tiro no pé quando baseia todo o seu “ministério evangélico” (note a contradição nas palavras) sobre outra enteada do humanismo: a teoria de que praticamente todos os problemas da sociedade moderna e da igreja evangélica atual (drogas, estupro, assassinato e depressão) são causados pela "auto-imagem ruim" ou "baixa auto-estima" da pessoa.

Josh McDowell (http://en.wikipedia.org/wiki/Josh_McDowell) e Chuck Swindoll (http://en.wikipedia.org/wiki/Chuck_Swindoll) promovem o mesmo mito antibíblico, justificando a partir das teorias de psicólogos ateus, o amor e a estima a si próprio, apesar da ordem expressa de Cristo para o homem seja negar-se a si mesmo. "E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me." (Lucas 9:23)

Embora esses homens citados tenham ministérios frutíferos, não se pode negar isso, nada os isenta da responsabilidade que tem pelo grave erro desse falso ensinamento. É uma heresia ensinada. Infelizmente terão que pagar um caro preço no último dia diante de Jesus por pregarem mais os conceitos humanos misturados a religiosaidae do que a verdade de Deus, expressa em Cristo Jesus. Não pregam o morrer para viver, mas sim o viver para si, que em última instância, resulta em morte eterna. Jesus nos ensinou sobre isso em João 12:24-25.

As escolas, Faculdades e Seminários evangélicos tornaram-se terreno fértil para o humanismo secular aceito como a Psicologia. Nos Estados Unidos da América do Norte, Faculdades de Psicologia fundiram-se com Seminários Teológicos. Literalmente, centenas de pastores evangélicos estão aprofundando seus conhecimentos teológicos no humanismo, para se tornarem competentes para psicologicmente aconselharem os seus rebanhos na “nova verdade”.

Qual a desculpa para esse tipo de “novo aconselhamento evangélico”? A verdade liberta. Mentira. A verdade sobre algo e por si só não liberta ninguém de nada. Isso é uma falácia. Jesus Cristo, que é a Verdade, nos liberta de nós mesmos e das mentiras que o diabo continuamente nos sopra aos ouvidos. Deixe que o Espírito Santo revele em seu coração a “verdade contida na Sua Palavra” abaixo.

Mas então o que é a verdade? “Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade?” (João 18:37-38a, ênfase minha)
“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31-32, ênfase minha) Jesus disse de si mesmo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” (João 14:6a, ênfase minha).
Jesus orando ao Pai disse: “Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17:17) Portanto, não é qualquer verdade que liberta, mas a verdade de Deus que é Jesus. Só Ele pode nos libertar. E, certamente, “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (João 8:32)

Retomando, quem define os padrões de estudo dessa fusão? Os humanistas seculares ateus, é óbvio! Fique abismado você assim como eu fiquei. O Seminário Teológico Fuller http://en.wikipedia.org/wiki/Fuller_Theological_Seminary), em Pasadena, na Califórnia (não poderia ser outro Estado Norte-Americano, obviamente), coloca ênfase pesada na hipnose, que vem direitamente do ocultismo. Técnicas de visualização ocultistas relacionadas, justificadas e apoiadas pela psicologia humanista, tem um crescimento galopante entre os evangélicos, principalmente nas comunidades.

Cura interior, como é popularmente ensinada e pregada nas comunidades (Comunidade Reviver, Comunidade Sara Nossa Terra, etc.), nada mais é do que uma análise junguiana ocultista vestida com uma fina lengerie de terminologia cristã. (Para substanciação desse assunto, leia os livros Beyond Seduction: A Return to Biblical Cristianity, capítulos 6-9 e New Spirituality, capítulos 7-8. Infelizmente esses livros não estão traduzidos para o Português).

Psicólogos cristãos, como Larry Crabb, que é considerado pelos seus seguidores como o mais bíblico de todos, não poderiam ter absorvido as mentiras do humanismo em hipótese alguma! No livro Understanding People (p. 129 – infelizmente também não traduzido para o Português), Larry Crabb escreve: "A não ser que aceitemos que o pecado está enraizado em crenças e motivações inconscientes e descobramos como expor e lidar com essas profundas forças na personalidade, a igreja vai continuar promovendo ajustamentos superficiais, enquanto que os psicoterapeutas, com ou sem fundamentos bíblicos, farão um trabalho melhor do que a igreja para restaurar pessoas com problemas para terem um funcionamento mais eficaz."

Agora pare, leia novamente o que Larry Crabb citou acima. Veja, esse psicólogo cristão “mais bíblico” de todos, acabou de afirmar para mim e você que a Bíblia não tem a real solução para o pecado, e que a resposta só poderá ser encontrada em conceitos psicológicos e técnicas inventadas por ateus anti-cristãos, tais como Freud, que, aliás, não conseguiu se quer endireitar a sua própria vida.

E que dizer dessa fusão entre teologia e psicologia que foi promovida pioneiramente por Peale quase 70 anos atrás? Gary Collins (http://www.garyrcollins.com/), que tem sido um líder no meio evangélico e que trabalha há décadas para realizar o sonho de Peale, afirma em Can You Trust Psychology? (p. 130, também não traduzido para o Português): "É muito cedo para responder se decisivamente psicologia e cristianismo podem ser integrados." Em outras palavras, o próprio termo "Psicologia Cristã" tem sido durante todos esses anos uma fraude, uma deturpação flagrante que continua a ser impingida sobre a igreja!

Precisamos desesperadamente de uma outra Reforma no meio evangélico! Para mim, as "95 Teses" na porta da igreja ainda são atuais. Porém, a igreja dorme e os falsos mestres mesmo sendo desafiados não concordam em discutir essas questões em público e na própria igreja.

É tempo de levamos a batalha para um retorno à verdade Bíblica para os indivíduos e instituições que estão apoiando o humanismo. Peço-lhe que ore a Deus para saber o que você deve fazer e depois siga essa orientação de maneira rápida e vigorosa. Não desiste nem desanime pois o Senhor é contigo.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário