domingo, 25 de abril de 2010

MAÇONARIA - UM ENGODO QUE LEVARÁ MUITOS AO INFERNO NOS ÚLTIMOS DIAS!

Como postamos um longo texto sobre o Arrebatamento, Anticristo e Armagedom, vamos colocar aqui um assunto muito polêmico no meio cristão. Certamente que satanás sabendo que seus dias estão contados e que o seu fim ligeiramente se aproxima, lançará toda a sorte de artimanhas sobre os filhos da luz.

Uma das estratégicas diabólicas do nosso inimigo é a maçonaria (uma religião fruto de infusões ocultistas, calcada nas profundezas do inferno) que tem levado, a portas fechadas, até mesmo pastores evangélicos. Não adianta usar uma desculpa afirmando que fez um pacto com o diabo (para entrar na maçonaria é preciso obrigatoriamente negar a Jesus) para poder pregar a Cristo dentro da loja. Certamente, um dia, esses que pactuaram com satanás através da maçonaria terão que se curvar diante do Altíssimo e reconhecer que tinham outro "senhor" além do Senhor Jesus Cristo. O que lhe restará é o lago de fogo. Esse é um aviso para que você, caso se encontre atraído pela maçonaria, se arrependa enquanto há tempo.

LEMBRE-SE: "...e aqueles que me negarem diante dos homens eu os negarei diante de meu Pai". (Lucas 12:9)

Vou reproduzir aqui parte do livro chamado "Maçonaria por trás da fachada da luz", escrito por William Schnoebelen, um ex-bruxo, ex-maçon do 32º que peremptoriamente afirma:
1) Para ser maçom, é necessário, primeiramente, fazer um juramento onde Jesus Cristo é negado e rejeitado;
2) O pai da maçonaria moderna disse: "lúcifer é Deus".

O texto em verde escuro é integralmente parte do Capítulo 7.

QUEM AMA A JESUS GUARDA OS SEUS MANDAMENTOS

A MAÇONARIA FAZ UM BOCADO DE PROPAGANDA a respeito de como é nobre e piedosa e muitas pessoas sinceras acreditam honestamente que ela é uma organização cristã.

Na loja da qual fui membro, fizemos muitas coisas boas, incluindo doar bolsas de estudos para colégios. Não importava o que fizéssemos, nos certificávamos sempre que os jornais estavam informados. Isso fazia parte das boas relações públicas.

"A maçonaria aprimora os homens de bem", constumava dizer aos meus amigos e o fato é que consegui que dois deles se juntassem à loja. Contudo, nenhuma dessas ações nobres qualificam realmente a loja como uma instituição cristã. As boas obras não fazem uma organização se tornar cristã, nem mesmo podem fazer com que alguém se torne cristão (Efésios 2:8-9).

VAMOS NOS UNIR TODOS COM A MÁFIA?

Uma certa senhora cristã trouxe seu marido até nosso escritório para falarmos sobre a maçonaria. Ele era um maçom do 32o., cabeça-dura, mas também alegava ser cristão. COmpartilhei algumas coisas com ele sobre a natureza da crnça maçonica em Deus e em Jesus, mas ele estava irredutível.

Ele disse que era membro do Templo e tinha visto como muitas crianças necessitadas tinham sido ajudadas pelos hospitais maçônicos! Ele me perguntou como uma coisa tão maravilhosa assim poderia ser realizada por uma organização que era tão pagã quanto eu afirmava.

Falei a ele dos grandes hospitais e igrejas que haviam sido construídos na cidade com dinheiro doado pelos líderes da máfia, que eram católicos. Grande parte desse dinheiro provavelmente foi doado no esforço, orientado de forma incorreta, de expiar seus crimes.

Perguntei-lhe se isso fazia da máfia uma organização cristã. Deveríamos todos nos integrar à máfia por causa das suas boas obras? Suas orelhas enrubesceram e ele disse que não, que provavelmente não deveríamos.

Então perguntei a ele se percebera que a máfia, com seus juramentos secretos, seus símbolos e suas vendetas (confrontos sanguinários entre famílias) era de fato algo criado por maçons. Ele negou, é claro, e eu lhe apresentei a evidência de que o colega maçom europeu Albert Pike, um Mazzini, esteve envolvido na criação da máfia. O pobre sujeito finalmente desejou ouvir à razão e a orientação da Bíblia.

UMA DOUTRINA DE SALVAÇÃO COM DEFEITO

Isso mostra como é falacioso o fato da maçonaria apontar para suas organizações de caridade para provar que é válida como cristã. Esse capítulo trata, de forma breve, da questão de a loja ser ou não fiel aos mandamentos de Deus.

Quando maçons mencionam suas boas obras, estão seguindo um ponto de vista religioso antibíblico de como de pode agradar a Deus. Infelizmente, este é um ponto de vista demasiadamente comum. Pensam que Deus pões as boas que você fez de um lado da balança e os pecados do outro. Se vier mais peso do lado "bom", pode então ir para o céu (a loja celestial). Essa doutrina não tem nada de cristã!

A Bíblia ensina que o pecado é uma ofensa contra um Deus infinito e santo e até mesmo um pecado é suficiente para destruir o relacionamento que temos com Deus. Até mesmo na lei humana, a qualidade da pessoa contra a qual alguém peca pode fazer diferença na punição. Uma pessoa que atira num traficante de drogas que estava atirando primeiro provavelmente receberá uma sentença mais branda do que a de alguém que atira de propósito em uma criança.

A criança é mais inocente e inofensiva que um traficante adulto, armado até os dentes. É também tão visceralmente hediondo matar uma criança pequena, que isso é acompanhado de uma indignação quase universal. Deus é infinitamente mais inocente até mesmo que a mais pura criancinha. Apesar de que não podemos encontrar palavras humanas para descrever as qualidades de Deus, Ele é um ser tão inimaginavelmente grandioso e santo que um pecado contra Ele tem uma gravidade grande demais para ser calculada.

Isso significa que não há o tal do "pecadinho"e também implica que, até mesmo se cometêssemos pecado uma só vez em nossas vidas (um nível impossível de santidade), esse pecado pesaria mais que todas as boas obras que pudéssemos ter realizado em nossa existência.

A Lei de Deus é perfeita e completa (Salmo 19:7-8). Portanto,, se pecarmos contra uma parte dela, pecamos contra toda lei. Se você atirou no pé de uma pessoa, será acusado de agressão à mão armada! Até mesmo se atirar em uma parte relativamente menor do corpo humano, será ainda acusado de agressão contra a pessoa inteira. Não será dada uma sentença inferior por "agressão ao dedo do pé". A Bíblia ensina que:
Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, torna-se culpado de todos. (Tiago 2:10)

Essa é a razão pela qual todas as boas ações, todos os hospitais e instituições de estudo no mundo não poderão resolver um único pecado! Isaías declara:
Todos nós somos como o imundo, e todos os nossos atos de justiça como trapo da imundícia; todos nós caímos como a folha, e os nossos pecados como um vento nos arrebatam. (Isaías 64:6)
Portanto, não podemos confiar numa abordagem do tipo "o bem pesa mais do que o mal". Devemos, para sermos honestos com as Escrituras, concluir que "não há um justo, nem um sequer" (Romanos 3:10) e que "todos pecaram e carecem da glória de Deus" (Romanos 3:23). Por isso, ao examinarmos a maçonaria, precisamos deixar de lado com cuidado, mesmo que relutantes, todos os seus atos de caridade. Todas essas coisas aos olhos de Deus são como "trapo de imundícia".

TOCANDO SUA PRÓPRIA TROMBETA

Em nosso ministério com maçons, recebemos um monte de cartas de pessoas da maçonaria às quais foram dados nossos livros e que se sentiram ofendidos. Certa vez, um sujeito escreveu e anexou um calhamaço de recortes do jornal da sua cidade. Cada um deles continha algum maravilhoso relato de caridade feita pela maçonaria. Havia mais ou menos uma dúzia de retratos de um mestre da loja cumprimentando pessoas, às quais presenteava com um cheque.

Escrevi a resposta e perguntei se ele percebia o quanto sua loja estava distante dos mandamentos de Jesus, que ensinou aos Seus discípulos:

Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente. (Mateus 6:1-4)

Essa não é uma descrição das corporações maçônicas. Elas fazem questão de que todos conheçam as grandes obras de caridade feitas pela loja.

No sermão da Montanha, o Senhor ensinou como realizar as boas obras:

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mateus 5:16)

A maçonaria definitivamente está "tocando sua própria trombeta", ao contrário desses dois ensinos de Jesus! Ela não glorifica a Jesus pelo que faz. Glorifica apenas a si mesma. Os maçons deixam sua "luz" brilhar apenas para atrair membros e amenizar críticas.

Sem dúvida, alguns maçons estão dando seu dinheiro pelos mais nobres motivos. Contudo, temos que questionar seu julgamento. Ao dar dinheiro para uma organização que se recusa a glorificar a Jesus, estão despejando os seus recursos num ralo de esgoto! Seu sacrifício é genuíno, mas precisam se lembrar do seguinte:

Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.
23 Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. (I Samuel 15:22-23)


Lembre-se desses versículos, pois eles voltarão para assombrar o cristão maçom que permanece na loja. Deus não se agrada e nem é honrado pelo sacrifício que é oferecido de modo desobediente ou rebelde, não importa seu tamanho. A maçonaria viola o mandamento de Jesus Cristo com sua atitude em relação ao dar. E esse é o menor dos seus pecados coletivos!
Publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário