sábado, 6 de março de 2010

RESPOSTA AO TEXTO "O ASSUNTO DÍZIMO, UMA PEDRA DE TROPEÇO

Recebi vários emails de pessoas, evangélicas ou não, laicas e de pastores. Segue abaixo um e-mail que recebi do Pr. Dr. Alberto Thieme, que mora em Dallas, Texas - EUA, em forma de comentário ao meu texto colocado no blog e que seguiu para todas as pessoas no meu cadastro de e-mails. A inserção aqui foi autorizada por ele.

Graças a Deus nem todos os pastores estão pregando a Lei. Existe um remanescente fiel.

" Caro Eber,

Excelente artigo, parabéns.

Eu acrescentaria um argumento muito importante que voce não abordou:

Para quem Paulo escreveu 13 das 27 cartas e livros do Novo Testamento? Não foi para os gentios? SIM.

Gentio sabia o que era dízimo? NÃO. Ela era praticado pelos judeus. Gentio não sabia o que era dízimo.

Ora se cremos que o Espírito Santo inspirou Paulo a escrever 13 cartas a quem não sabia o que era dízimo é porque realmente ele não era mais obrigatório na dispensação da graça. O Espírito Santo jamais falhou. Paulo escreveu sobre ofertas como você escreveu, deixando porém o povo livre para dar segundo as suas posses.

Veja II Coríntios 9 dos versos 6 ao 13:
“E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundancia, em abundancia ceifará. Cada um contribua Segundo propôes no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade, porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra. Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres, a sua justiça permanence para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dá pão para comer, e multiplica a vossa sementeira, e aumenta os frutos da vossa justiça; para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se deem graças a Deus. Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos Santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. Visto como, na prova desta administração, glorificam a Deus pela submissão, que confessais quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade de vossos dons para com eles, e para com todos”.

O Apóstolo Paulo deixa claro como deve ser a forma e com quanto se deve contribuir para o Reino de Deus neste texto e em outros também.

Porém se as ofertas de um uma pessoa abastada, não forem conforme sua abastança, Paulo traz uma exortação muito clara sobre os que deram em abundância no capítulo anterior. Então achei muito próprio sua expressão: dar 100%, isto é dar-se a favor da Obra de Cristo.

Se realmente o dízimo fosse necessário ser cumprido no Novo Testamento, Paulo teria sido lembrado pelo Espírito Santo, porque como bom fariseu ele sabia muito sobre o dízimo pregado pela Lei.

No Novo Testamento deve-se dar o que de melhor possamos, pois como Paulo diz no texto acima.

Porém, infelizmente a igreja de Cristo tem falhado na administração das ofertas que eram dadas exatamente para atender os que precisavam ficar de tempo integral na obra de Deus e atender aos pobres, viuvas, orfãos, etc., prática que poucas igrejas fazem.

Os orfanatos, asilos, ONGs que trabalham na recuperação de drogados, alcóolatras, etc., pouco recebem das igrejas. Dinheiro recebido de ofertas (ou dízimos como muitos insistem, não são pra ficar em conta poupança ou aplicações para render não). Esse dinheiro tem que ser investido imediatamente no Reino de Deus onde se tem os maiores dividendos. Tem que se que mudar a prioridade, buscando apoiar vidas, missionários no campo e jamais construir-se templos suntuosos.

Na dispensação da Graça Deus não habita em templos contruídos por mão humana. O Apóstolo Paulo alerta claramente: templos de Deus sois vós e o Espírito Santo não pode habitar em nós, se estivermos em pecado, investindo em nosos deleites em detrimento do Reino de Deus. Prioridade às vidas que estão sob a responsabilidade da Igreja do Senhor ajudar. Isto é o que o Novo Testamento ensina. A lei já foi cumprida em Cristo. Precisamos compreender bem isto.

Um forte abraco,

Pr. Dr. Alberto Thieme - Dallas, Texas - EUA. "

Publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário