quinta-feira, 21 de maio de 2009

POR ONDE ANDA A IGREJA PROFESSANTE DE CRISTO?

A história* que se encontra abaixo descrita, relata, semelhantemente, por quais caminhos a Igreja que professa a Cristo Jesus como Senhor, tem andado. É triste constatar essa verdade. Mas continuemos em oração para que Deus desperte o Seu povo, a Igreja Invisível, composta por aqueles que foram resgatados pela Graça de Deus que está descrita em Efésios 2:8: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus" certamente será acordada nesses dias.

Leia e medite:

Em um perigoso trecho da costa, muito conhecido pelos diversos naufrágios ocorridos, havia um posto salva-vidas muito simples. Na verdade, o posto era apenas uma velha cabana e um barco usado..., mas os poucos e dedicados membros da equipe mantinham vigilância constante sobre o mar turbulento. Sem pensar muito em si mesmos, eles saíam dia e noite, incansáveis no resgate daqueles que estavam em situação de perigo ou apenas perdidos. Muitas e muitas vidas foram salvas por esse bravo grupo, formado por homens que trabalhavam fielmente como equipe, entrando e saindo do posto salva-vidas. Aos poucos, aquele lugar se tornou famoso.

Alguns daqueles que foram salvos, assim como outros que moravam na costa, quiseram associar-se àquela pequena estação. Estavam dispostos a dedicar tempo, energia e dinheiro para apoiar seus objetivos. Novos barcos foram comprados. Novas equipes foram treinadas. A estação, que era obscura, simples e virtualmente insignificante, começou a crescer. Alguns de seus membros estavam tristes pelo fato de a cabana ser tão pouco atraente e ter apenas o equipamento mínimo. Sentiram que um lugar mais confortável deveria ser construído. Camas portáteis foram substituídas por uma bela mobília. Equipamentos toscos feitos à mão foram descartados e substituídos por sofisticados sistemas. A cabana, naturalmente, precisava ser demolida para abrir espaço para todo o equipamento, mobília, sistemas e equipamentos adicionais. Quando a reforma estava completa, a estação salva-vidas tornou-se um popular local de reunião, e seus objetivos começaram a mudar. Ela era agora usada como um tipo de clube, um prédio atraente para reuniões públicas. Salvar vidas, alimentar os famintos, vestir os náufragos, fortalecer os temerosos e acalmar os perturbados agora eram atividades que aconteciam apenas raramente.

Um número cada vez menor de membros estava interessado em se lançar ao mar bravio em missões salva-vidas e, assim, contrataram equipes salva-vidas profissionais para fazer esse trabalho. Contudo, o objetivo original da estação não estava totalmente esquecido. A motivação de salvar vidas ainda prevalecia na decoração do clube. De fato, havia até um barco ritualístico na Sala das Doces Lembranças, iluminado com luz suave e indireta, o que ajudava a esconder a camada de poeira que se acumulava em cima daquele objeto outrora tão ousado.

Nessa época, um grande navio naufragou na costa, e as equipes dos barcos trouxeram muitas pessoas molhadas, com frio, quase afogadas e doentes. Elas estavam sujas, algumas terrivelmente doentes e outras solitárias. Outras eram negras e "diferentes" da maioria dos membros do clube. O lindo e novo clube repentinamente tornou-se um lugar confuso e superlotado. Uma comissão especial viu isso e, então, construiu imediatamente uma sala de banhos fora e longe do clube, de modo que as vítimas do naufrágio pudessem limpar-se antes de entrar.

Na reunião seguinte, houve palavras duras e sentimentos de ira, que resultaram numa divisão entre os membros. A maioria das pessoas queria simplesmente por fim às atividades de salvar vidas do clube e encerrar todo envolvimento com vítimas de naufrágios... ("É muito desagradável, é um atraso para nossa vida social, é abrir as portas para pessoas que não são como nós"). Como era de esperar, alguns insistiram em que salvar vidas era o objetivo original - que a única razão de existirem era ministrar a qualquer um que precisasse de ajuda, independentemente da beleza do clube, do seu tamanho ou de sua decoração. Eles foram voto vencido e ouviram que, se quisessem salvar a vida de pessoas de vários tipos que sofressem um naufrágio naquelas águas, deveriam fundar sua própria estação salva-vidas em outro lugar da costa! Foi o que fizeram.

Com o passar dos anos, a nova estação experimentou as mesmas velhas mudanças. Ela evoluiu atés transformar-se em outro clube... e outra estação salva-vidas foi criada. A história continuou a se repetir... e se você visitar a região hoje, encontrará um grande número de impressionantes clubes exclusivos ao longo da costa, controlados e dirigidos por profissionais astutos que perderam completamente o envolvimento com a salvação de vidas.

Naufrágios ainda ocorrem naquelas águas, mas agora a maioria das vítimas não é mais salva. Todos os dias elas se afogam no mar, e muito poucos parecem se importar... realmente poucos.

Tenho percebido, que na maioria das vezes é nas pequenas igrejas, simples no seu todo, que mais frequentemente conseguimos sentir a doce presença do Espírito Santo agindo na vida de pessoas comuns, como eu e você, carentes da graça divina. Ao passo que as igrejas/comunidades grandes, cheias, requintadas, de estacionamentos "entupidos" de carros, não esporadicamente fazem de tudo - um ativismo humano desenfreado - para "trazer" o poder de Deus durante o culto, simulacros da Graça que não satisfazem, e as pessoas que ali se achegam, saem como entraram; vazias e com um sentimento que algo estava faltando no culto.

Enganam-se aqueles que ficam satisfeitos mais com uma "catarse de grupo" que com a verdadeira atuação da poderosa mão de Deus destruindo as potestades espirituais da maldade e arrancando os pecados dos corações; pecados esses que destroem e fazem adoecer a alma e apodrecer os ossos, como disse o salmista e rei Davi. Então o que faltou? Escasseou-se a manifestação gloriosa da presença marcante do Espírito de Cristo, para convencer do pecado e da justiça Divina, para salvar, curar e batizar.

Experimente ir a uma pequenina igreja, em algum bairro pobre da sua cidade, até mesmo aonde o pastor tem dificuldades com a Língua Portuguesa. Incrivelmente ali, ali mesmo, você será cheio da graça do Senhor, abundante Luz Divina, pois Deus não age segundo a vontade dos homens e de seus caprichos, das suas habilidades cognitivas, daqueles espertalhões da fé que facilmente descobrem como manipular pessoas simples, mas é através do Seu querer soberano. Por isso o apóstolo Paulo disse aos Coríntios: "A minha linguagem e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de poder; para que a vossa fé não se apoiasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus." (I Coríntios 2:4-5) Glória a Deus, glória a Ele somente, Aleluia! Aproveite nessa mesma oportunidade, e por amor a Cristo, deixe uma oferta financeira de amor - seu "dízimo" se assim quiser chamar - para essa pobre igreja, ajudando o pastor e os irmãos dali a pregarem o simples evangelho de Cristo.

Bom é isso aí. Fique na paz do Amado.

* Swindoll CR. Growing Strong in the Seasons of Life. Multnomah Press, 1983. 446p.

Escrito e publicado por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário