terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

A MÃE PSICOPATA - CRIANÇAS QUE CRESCEM SEM EMPATIA OU AMOR

O texto abaixo foi escrito pela médica psiquiatra norte-americana Johnston, E.J. sendo traduzido e aqui editado para nos servir de alerta. Nenhuma família, na sua concepção de maior extensão possível, está livre de vivenciar tal condição.


"Boa sorte. Faça um bom trabalho." Muitos de nós ouvimos essas palavras encorajadoras de nossas mães amorosas, talvez no nosso primeiro dia de jardim de infância ou antes da nossa primeira entrevista de emprego. 


Kenny Kimes ouviu essas mesmas palavras de sua mãe, Sante Kimes, depois que ela o instruiu a matar David Kazdin, um colega que ameaçou expor a dupla mãe/filho por fraude hipotecária depois de descobrir que o "casal" obteve ilegalmente um empréstimo de US $ 280.000 em nome da vítima. Tendo completado o trabalho, Kenny parou para comprar flores para sua mãe, acreditando que ele "completara um grande dever para sua mãe". Assim como isso aconteceu ninguém poderia imaginar que já era a terceira pessoa que eles haviam matado.

Embora a história acima seja extrema, existem muitas crianças adultas que cresceram sob a influência de uma mãe "tóxica". Para a maioria, a toxicidade da parentalidade foi resultado da psicopatia de uma mãe, um transtorno de personalidade que, por meio de seus critérios diagnósticos, torna impossível estabelecer uma ligação mãe-filho normal. 

Quando a mãe é uma psicopata diagnosticada, a criança pode crescer em um mundo como o buraco do coelho em que Alice caiu. Nada é o que parece. 

Vejam que Boa Mãe Eu Sou


Mães psicopatas desempenham o papel de "Super Mamãe" quando outros estão assistindo. Ela se certificará de que qualquer um que a ouça saiba que ela é uma ótima mãe. Na verdade, ela pode até mesmo se portar como uma mártir, ou seja, uma mãe que sacrifica suas próprias vontades e necessidades para a sua prole. Atrás das portas fechadas, no entanto, ela mostra pouco ou nenhum interesse genuíno em nutrir ou cuidar da criança e pode sujeitá-la a abusar ou negligenciar.

A mãe psicopata não vê seu filho como uma pessoa separada. Em vez disso, a criança é vista como uma posse pessoal cujo único propósito é atender às necessidades de sua mãe. As interações mãe-filho são muito controladoras e qualquer afeição está ligada ao comportamento que alimenta o ego da mãe. A resistência natural ou a rebelião por parte da criança é vista como uma traição e é encontrada com severas críticas ou punições para trazê-lo de volta. Na verdade, ela não pode permitir que seu filho desenvolva "normalmente" por causa de sua necessidade de moldá-lo exatamente para quem quer que ele seja. (grifo do editor)

Infelizmente, a incapacidade de sentir empatia, uma característica de referência da psicopatia, é especialmente destrutiva para uma criança que se desenvolve emocionalmente. Qualquer indício de fraqueza ou dor da criança é criticado ou invalidado, a menos que possa ser usado para benefício da mãe. 

Pondere a resposta de uma mãe psicopata, que se casou com um agressor sexual conhecido, embora, na época, tivesse uma criança de cinco anos. Quando a criança finalmente disse a sua mãe que seu padrasto a estuprou, sua única resposta foi: "Por que você não me disse no acordo de divórcio para que pudéssemos tirar mais dinheiro dele?"

Resumindo

A maioria de nós cresce com algumas contusões emocionais provenientes dos erros bem-intencionados de nossos pais. Uma criança que cresce com uma mãe psicopata, por outro lado, pode herdar um legado cheio de AUTO-DÚVIDA, CONFUSÃO e CULPA à medida que ela, a criança, luta para diferenciar que "objeto" ele/ela é que a mãe psicopata tentou criar e/ou manipular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário