quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

NATAL DE 2014, JERUSALÉM SERÁ DIVIDIDA? AS NAÇÕES UNIDAS FORÇAM ISRAEL A UM COLAPSO

Estamos quase adentrando o Natal de 2014 e uma Resolução das Nações Unidas, nesta semana, foi proposta para que, até o Natal, a terra de Jesus Cristo seja dividida e todo o solo antes do tratado de 1967 (Guerra dos Seis dias) seja integrado à futura nação Palestina.

Que áreas são essas? 

Toda Samaria (ao norte), Judéia (ao sul), Jericó, Belém e metade leste da cidade de Jerusalém. Se aprovada essa Resolução, todas as partes altas ao redor de Jerusalém pertencerão à Palestina. Fora o West Bank (margem oeste), a faixa de Gaza (que já são por eles ocupadas, o lado leste de Jerusalém viria a ser a sua capital Palestina. Veja o mapa abaixo. Restaria para Israel a Iduméia ao sul, o mar morto, a Galiléia (ao norte) totalmente separada e metade de Jerusalém. Ou seja, Israel deixaria de existir, desejo antigo dos árabes palestinos.







O West Bank, que é a Cisjordânia, já pertence ao governo Palestino e aí encontram-se locais que são sagrados tanto para o judaísmo como para o islamismo e o cristianismo.

Em Hebrom, uma das quatro cidades sagradas para os judeus, encontra-se a Gruta de Macpela, onde se acredita estarem sepultados os três patriarcas, Abraão, Isaque e Jacob e as suas esposas, Sara, Rebeca e Léia. Aí ergue-se a mesquita de Ibrahim (Abraão) e uma grande jazida de xisto betuminoso.

Em Belém está a Igreja da Natividade, construída segundo a tradição no local onde Jesus Cristo supostamente teria nascido. Na estrada que liga Belém a Jerusalém encontra-se o túmulo de Raquel.

Em Jericó, destaca-se o Monte da Tentação, identificado como o local onde o diabo teria tentado seduzir a Jesus Cristo, oferecendo-lhe todos os reinos do mundo.

E por que isso é importante?

Caso essas regiões passem a ficar debaixo do governo Palestino, será o grupo terrorista Hamas (que é o ISIS ou o ISIS é o Hamas, apenas depende de uma pequena diferença política entre eles) que as comandará e Israel não terá mais paz. Com o comando das terras altas o Hamas poderá atacar Israel continuamente tendo a visão privilegiada de toda a terra.

E qual tem sido a posição dos Estados Unidos da América do Norte? 

Até o presente momento, a atitude do Presidente Barack Hussein Obama tem sido a mais apática e calada possível, esperando que neste período festivo a Resolução passe despercebidamente pelos Norte-Americanos ou seja tarde demais para que mesmo que os EUA vetem, ela entre em vigor 2015.

Aos que não têm acompanhado a política administrativa do Presidente Obama, não entenderão o motivo dessa passividade do seu governo. Mas para aqueles que têm seguido de perto, entenderão que os EUA estão abandonando Israel nos seus dias de aflição.

O nome Barack Hussein Obama é um nome árabe que foi dado a Barry Soetoro, o atual Presidente dos EUA. Ou melhor, ele mesmo trocou o seu nome para GRITAR CLARAMENTE AO MUNDO, que ele é mulçumano, de convicções islâmicas profundas, uma vez que toda sua família é mulçumana. Quem duvida, pesquisa mais sobre o significa do nome dele.

Até o presente momento, o Presidente Obama tem conseguido ENGANAR o povo Norte-Americano, fazendo-se passar por um deles, mas ele é um lobo vestido de ovelha. Não creio que conseguirá chegar até o final do seu governo em 2016, pois será abatido antes.

O próprio fato do Presidente Obama dizer recentemente em uma das suas falas que os Estados Unidos não é uma nação Judeo-Cristã, dá um sinal ao mundo árabe que este é o momento para que os mulçumanos se levantem contra os EUA, nação que ele, um mulçumano, comanda. Prestem atenção, nunca houve isso na história Norte-Americana!

O fato do Presidente Obama usar sempre o termo ISIL e não ISIS para se referir ao grupo terrorista que vem exterminando os cristãos na região da Síria, através de crucificação e degolamentos, inclusive de crianças, é um sinal claro para que o Levante aconteça neste momento da história humana.

O fato do Presidente Obama não tomar nenhuma atitude contra a Resolução das Nações Unidas para dividir Jerusalém e fazer com que Israel não seja nada mais do que apenas um pedacinho de terra no meio do mundo árabe, porque ele pode perfeitamente vetar, é um sinal para o mundo mulçumano de que ele está entregando Israel, o arqui-inimigo do povo Palestino (pequeno satã, segundo a fala do Ayatollah Khomeini em 1979 que também rotulou os EUA como o grande satã) nas suas mãos.  

O pior de tudo: Foi o próprio presidente Obama que citou a base da negociação que deve ser Israel entregar as terras indexadas após a Guerra dos Seis dias! Inacreditável.

Mas não se preocupe, porque Israel não vai a lugar nenhum, pois Deus disse assim: "E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz o Senhor teu Deus." Amós 9:15

O fato do Presidente Obama se curvar diante do rei da Arábia Saudita, responsável por espalhar o Islamismo fundamentalista Sunita ao redor de todo o mundo, significa no mundo árabe "eu sou menor do que você", "eu sou seu serviçal", "eu me submeto a você".


O palco do último estágio antes da vinda de Jesus Cristo está sendo montado. Vamos orar pela paz de Jerusalém porque o fim se aproxima ligeiramente.

É isso aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário