segunda-feira, 2 de julho de 2012

EDUCAÇÃO CRISTÃ - UMA PROPOSTA


Assunto escrito pelo Pr. Gilberto Stevão

Amados irmãos:
A paz de Jesus seja com vossas preciosas vidas!
O escrito abaixo fará parte de um conjunto de outros sobre educação cristã Secular que em breve lançarei em um livro, como proposição para debate entre os cristãos. As minhas proposições gostaria de debater com cristãos políticos, pais, professores, mestres e doutores em educação. Suas ponderações serão bem-vindas. Acho de muita importância no momento atual. 
Veja também o anexo: proposta de Marta Suplicy no Senado, organizada pela Ordem dos Advogados do Brasil. Só uma forte e decidida posição dos servos de Deus poderá salvar o Brasil. 
Vosso no Amado Senhor Jesus
Gilberto Stevão
Curitiba, 23-6-2012.


EDUCAÇÃO - PROPOSIÇÃO CRISTÃ 1 – DEBATE
Por Gilberto Stevão
Muitos nos escrevem sobre uma proposição cristã de ensino. Aproveitamos esta contracapa para responder a todos, embora de maneira resumida, constituindo apenas um abrir de discussão. Todavia em nosso Impacto n° 4 – “Educação Cristã é Nossa Proposição”, apresento o assunto de modo um pouco mais amplo.
 
Posicionamos-nos, quanto ao ensino secular diferenciado do Estado, porque olhamos pela ótica da Palavra de Deus. Segundo, a nossa visão, o Estado tem errado em se meter em educação, aliás, o Estado não tem educação nenhuma para ensinar a ninguém. Quem tem educação são os Pais e a Família. A ela e somente a ela compete o dever de transmitir a educação aos seus filhos. A Gênesis dos Céus e da Terra ensinado pela Palavra acaba se chocando com o ensino proposto pelo Estado, por que o Estado passou a exigir para si, o direito de educar as pessoas sob a ótica de quem está governando. Há grande dose de ingenuidade quando aceitamos escolarização como educação, como se admite hoje. Note bem, os conhecimentos ministrado no sistema estatal às crianças tem um cunho inteiramente político partidário daquele que governa o Estado. Por exemplo, os que comandam o ensino na ONU, por conseguinte, dominam o ensino no mundo, são inteiramente ateus, materialistas, humanistas, naturalistas e tudo que fugir da sua visão evolucionista deixa de ser educação. Segundo nós entendemos, existem no mundo milhares e milhares de pessoas que passaram por todos os bancos dessa escolarização e até se pós graduaram, mas são desprovidos completamente do que entendemos por Educação. Esta é a maior tendenciosidade existente no sistema educacional proposto pela ONU, onde se procura enfiar garganta a baixo, dos Estado membros, como fazem para o Brasil, todo ódio conta Deus e contra Jesus Cristo.



Educação não está ligada ao conhecimento das coisas que nos cercam, nem no conhecimento das ciências, mas aos princípios de vida que norteia cada pessoa. Portanto, se uma pessoa tem por principio a fé num ser criador dos céus e da terra, isto refletirá em toda a sua maneira de viver, no seu relacionamento com a família, com os amigos, com a sua Pátria, enfim em todo o seu relacionamento. Todos aqueles que são escolarizados pelo atual sistema de ensino são formados no ateísmo. 

O ateísmo não nos permite amar o próximo, apenas nos permite amar a nós mesmos, a final, somos o resultado do acaso. Muitos doutorados nesta escolarização admitem a existência de um criador, mas no fundo têm dúvidas da existência desse ser criador. Fato natural, porque este é o objetivo do sistema: Passo a passo da vida educacional tirar os valores espirituais, os valores morais e éticos existentes racionalmente em cada ser humano. Não raro, vemos pessoas altamente especializadas em conhecimentos seculares buscarem ajuda e proteção em religiões fetichistas, onde se crê na existência de um politeísmo ilógico, em nada científico, como a crença que as águas do mar vieram do seio de iemanjá. No fundo da questão o ser humano tem uma necessidade de crença em um ser criador.
Nos Estados Unidos esta polêmica tomou proporções muito grandes, porque pais cristãos compreenderam que o Estado estava interferindo no ensino que eles desejavam dar aos seus filhos. Estes cristãos exigiram seus direitos de rejeitar a maneira de ensinar do Estado. Foi aí que se estabeleceu a  “Home-School”, o ensino em casa. Por esse sistema pais rejeitam o ateísmo, o evolucionismo, ensinando o criacionismo, e dentro da história, salientam a malignidade e não o heroismo de certos reis, passando aos descendentes os valores morais, éticos, religiosos e políticos que desejam. Os aspectos científicos e biológicos não necessitam do evolucionismo para serem ensinados. Aqui no Brasil o interferimento na vontade dos pais e tão estúpido e arbitrária, que se uma família por questão de sua fé, valores ou princípios não enviar seus filhos à escola estão sujeitos à prisão.
  
Nossa proposição, em vista dos pais no Brasil não possuírem grau de formação capaz de escolarizar seus filhos o Estado Brasileiro tem o dever de sustentar escolas diferenciadas, onde se ensina com base Bíblicas, possibilitando aos pais a liberdade de escolha: Se querem uma escolarização materialista ou uma educação baseada nos valores cristãos da existência humana.
 
Porque, pergunto: As escolas do Estado têm que ser regida por um sistema ateu de ensino? “Até quando vocês continuarão nesta loucura? Até quando terão prazer em zombar da sabedoria? Será que nunca aprenderão?”

Os conselheiros da educação têm que ter o direito e a liberdade de analisar e aprovar normativas de conteúdos próprios para serem ministrados em escolas cristãs. Não estou falando em ensino teológico ou filosófico cristão, refiro-me aos ensinos seculares onde fatos políticos e históricos deveriam ser banidos do ensino ou dar uma conotação digna de sua anomalia ou malignidade. 

O Estado que cobre as despesas de seu sistema educacional deveria cobrir também os da escolas Cristas de Ensino. Nada de pagar despesas de escolas particulares cuja finalidade é empresarial. Estou me referindo a Escolas de Princípios Cristão e outras cujos valores paternais pudessem ser aplicados sem censura e serem respeitados. Para os ateus intransigentes, os arrogantes e quem não sabe isto se chama LIBERDADE. Se conseguirmos que Escolas ensinem valores desejados pelos pais, tivessem os mesmos direitos e privilégios das Escolas Estatais, duvido, que aqui no Brasil, houvesse muitas escolas que aplicassem o atual sistema materialista e ateu que domina o sistema hoje. O Estado faria suas escolas laicas e os cristãos suas escolas de valores bíblicos, aberta a todos, com professores concursados pelo Estado e Município, não fazendo distinção de religião, de filosofia ou política.

Pois é claro que o Estado, sendo absolutista como é, nas falsas democracias, como a dominante aqui, o atual espírito dominante político-filosófico se oporá dizendo que isto seria impossível, mas esta não é a verdade, porque  nos USA existem muitas correntes de pensamento, mas só dois partidos políticos de modo que onde há tolerância, sabedoria e compreensão todas as coisas podem chegar a uma consciência lógica sobre os três pensamentos básicos que existe no mundo, que Deus é o criador, independente da matéria, de vida inerente; que Deus está contido na matéria, o Panteísmo; e, que Deus não
existe, a matéria pré-existente, o materialismo. 

Agradecemos aos que nos escrevem. Através do Centro Evangélico Brasileiro estarei sempre às ordens para atender todos que nos procuram com suas dúvidas e proposições.

A liberdade que os outros exigem para si em ministrar nas escolas tudo o que eles desejam pensam e fazem exigimos também para nós. Ensinar pela Bíblia dentro dos valores estabelecidos é para nós verdades absolutas da Palavra de Deus.
Publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário