quinta-feira, 3 de março de 2011

O CRESCIMENTO DO ISLAMISMO - LÍDER DE PRISÃO NOS EUA

A religião muçulmana é a que mais cresce em número nos Estados Unidos, especialmente nos grupos minoritários.


por Rick Mathes - Capelão de prisões (USA)

No mês passado, assisti à uma classe de treinamento, para manter as minhas condições de segurança no departamento de prisões do estado. Durante a reunião, foram apresentados três dos intervenientes que dissertaram sobre o tema.

Um sacerdote católico, um pastor protestante e um imã (lider religioso muçulmano), que nos deram diversas explicações.

Na minha qualidade de capelão, interessava-me, sobretudo o que o imã islâmico diria. Ele fez uma completa e detalhada apresentação da sua religião de base do islamismo, apresentando inclusive alguns vídeos.

Depois das apresentações, foi concedido um tempo para perguntas e respostas. Quando chegou a minha vez, perguntei ao imã:

Por favor, corrija-me se me equivoco, mas segundo entendo, a maioria dos imãs e clérigos do islã, declararam a " JIHAD" (guerra santa), contra os infiéis de todo o mundo. De modo que matando um infiel, que é uma ordem para todos os muçulmanos, têm assegurado um lugar no céu. Se assim é ... pode dar-me uma definição de infiel?

Sem discutir minhas palavras, o imã disse: " São os não crentes".

Questionei: Permita assegurar-me que o entendi bem: A todos os seguidores de Alá, é-lhes ordenado que matem a todo aquele que não é da sua fé, para poderem ir para o céu? Está correto? A expressão do seu rosto mudou de uma autoridade para a de uma criança apanhada em flagrante a ir à caixa das bolachas. Com ar envergonhado respondeu: ASSIM É!

Acrescentei: pois bem senhor imã, tenho um verdadeiro problema quando imagino se o Papa Bento XVI ordenasse a todos os católicos que matassem todos os muçulmanos e que o Dr. Stanley ordenasse a todos os protestantes que fizessem o mesmo para também poderem ir para o céu ... O imã ficou mudo.

Continuei: Também estou com um problema que é ser seu amigo, quando o senhor e os seus colegas, dizem aos seus pupilos que me matem. O que preferiria o senhor: a Alá que lhe ordena matar-me para poder ir para o céu ou a Jesus que me ensina a amá-lo, para que eu vá para o céu e o leve comigo.

Podia-se ouvir cair uma agulha no chão de tanto silêncio, quando o imã inclinou a cabeça de vergonha.

Postado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário