sexta-feira, 5 de março de 2010

VOTEM EM PESSOAS NÃO TEMENTES A DEUS E VEJA NO QUE RESULTA

É, seguindo o conselho do apóstolo Paulo (1 Timóteo 2:2) só nos resta mesmo é orar e muiiiitttooo pelos políticos deste país!

video

Inserido e publicado aqui por Éber Stevão

CARTA ABERTA DE ELIANE SINHASIQUE PARA RENATO ARAGÃO, O DIDI.

A pedido, estou colocando aqui um texto que retrata bem quem é a Rede Globo e quem são nossos governtantes e achei por bem publicar no blog.

"Querido Didi,

Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu nome para colar nas correspondências).

Achei que as cartas não deveriam sem endereçadas a mim. Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido as suas solicitações. Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e te escrever uma resposta.

Não foi por 'algum' motivo que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos). Você diz, em sua última carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela falta de investimentos em sua formação.
Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Esse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não.

Eu não sou ministra da educação, não ordeno e nem priorizo as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula. A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da minha família. Trabalhei muito e, te garanto, trabalho não mata ninguém. Muito pelo contrário, faz bem! Estudei na escola da zona rural, fiz Supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro empresária.

Didi, talvez você não tenha noção do quanto o Governo Federal tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa. Os impostos são muito altos! Sem falar dos Impostos embutidos em cada alimento, em cada produto ou serviço que preciso comprar para o sustento e sobrevivência da minha família.

Eu já pago pela educação duas vezes: pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, porque a escola pública não atende com o ensino de qualidade que, acredito, meus dois filhos merecem. Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da educação e de tantos outros problemas sociais.

O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não têm a educação como prioridade. Pois a educação tira a subserviência e esse fato, por si só não interessa aos políticos no poder. Por isso, o dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal. Para você ter uma idéia, na minha cidade, cada alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos) enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos)! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda? Você pode ajudar a mudar isso! Não acha?

Você diz em sua carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torne adulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você. É por isso que sua carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria se endereçada ao Presidente da República. Ele é "o cara". Ele tem a chave do cofre e a vontade política para aplicar os recursos. Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas do país, sem nenhum tipo de distinção ou discriminação.. Mas, infelizmente, não é o que acontece...

No último parágrafo da sua carta, mais uma vez, você joga a responsabilidade para cima de mim dizendo que as crianças precisam da 'minha' doação, que a 'minha' doação faz toda a diferença. Lamento discordar de você, Didi. Com o valor da doação mínima, de R$ 15,00, eu posso comprar 12 quilos de arroz para alimentar minha família por um mês ou posso comprar pão para o café da manhã por 10 dias.

Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas R$ 15,00 eu não vou doar. Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho. Isso significa que o governo leva mais de um terço de tudo que eu recebo e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família.

Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer não para quase tudo que meus filhos querem ou precisam? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida. Você acha isso justo? Acredito que não. Você é um homem de bom senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira.

Outra coisa Didi, mande uma carta para o Presidente pedindo para ele selecionar melhor os ministros e professores das escolas públicas. Só escolher quem, de fato, tem vocação para ser ministro e para o ensino. Melhorar os salários, desses profissionais, também funciona para que eles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação. Peça para ele, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam além de ler, escrever e fazer contas possa desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso tem sim! Diga para ele priorizar a educação e utilizar melhor os recursos.

Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando... Eliane Sinhasique - Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari.

P.S.1: Não me mande outra carta pedindo dinheiro. Se você mandar, serei obrigada a ser mal-educada: vou rasgá-la antes de abrir.

P.S.2: Aos otários que doaram para o 'Criança Esperança'. Fiquem sabendo, as organizações Globo entregam todo o dinheiro arrecadado à UNICEF e recebem um recibo do valor para dedução do seu (dela) imposto de renda. Para vocês a Rede Globo anuncia: essa doação não poderá ser deduzida do seu imposto de renda, porque é ela quem o faz.

P.S.3: E O DINHEIRO DA CPMF QUE PAGAMOS DURANTE 11(ONZE) ANOS? MELHOROU ALGUMA COISA NA EDUCAÇÃO E NA SAÚDE DURANTE ESSES ANOS?"

Publicado aqui por Éber Stevão, a pedido.

ASSUNTO DÍZIMO, UMA PEDRA DE TROPEÇO

Como estou incomodado há meses e não aguento mais essas rádios evangélicas que pregam que os seus fiéis só são vitoriosos porque são dizimistas, vai aqui a paulada.

Os evangélicos que vivem um pé na Lei e outro na Graça, são o povo mais incoerente que já encontrei! Sabe, isso desagrada a Deus profundamente, porque não crêem que o sacrifício do Seu Filho, Jesus Cristo, foi o suficiente para nos libertar de todos os “aios” (Gálatas 3:24) que ligavam os homens a Ele.

Estou cansado de pregações que distorcem o Evangelho de Cristo e vinculam Deus a um mero servilheta daqueles que dão e recebem dinheiro para a igreja. O que estão fazendo com a Palavra de Deus é o mesmo que esse governo irresponsável está fazendo com a Constituição Nacional, distorcendo, corrompendo em benefício de poucos.

O povo de Deus precisa se LIBERTAR desses líderes/pastores que pregam LEI e não GRAÇA!

Os evangélicos (aqueles que seguem es Evangelhos – as Boas Novas) se contradizem na sua própria forma de crerem na Palavra de Deus. Esse assunto é muito sério e confunde os da casa e os de fora também, servindo de escândalo para a totalidade.

E qual o motivo dessa confusão toda?

Semana passada ouvi a pregação do Pr. Carter Conlon falando sobre o dízimo, como ele encarava esse assunto quando se convertera e como crê atualmente. Ele é um homem de Deus, tem uma palavra muito boa, prega a Cristo Jesus mesmo, gosto muito de ouvi-lo, o admiro, porém, o interessante é que até ele mesmo, deu uma escorregada (errar é humano mesmo) e deixou-se levar pelos que pregam a Lei, se contradizendo durante uma pregação. Quem compreende a língua Inglesa, por favor acesse o site www.tscnyc.org/media_center.php?pg=sermons e procure pelo sermão “We Can´t Escape the Hard Truths, do dia 21/02/2010, e saberá do que estou falando.

Para resumir, ele disse que os evangélicos deveriam dar o dízimo (10%) dos seus ganhos, mas que o padrão do Antigo Testamento era o dízimo (10%) e que o padrão do Novo Testamento era tudo (ou seja, 100%). E agora, Pr. Carter Conlon, é 10% (para agradar o Deus do Velho Testamento) ou 100% (em obediência a Cristo Jesus pela nossa morte com Ele?). Qual dos dois pastor? Pregue, mas não ensine errado!

Toda vez que ouço um pastor empostar a voz e dizer que temos que dar o “dízimo”, pois só é 10% e podemos ficar com 90%, que isso é justo e blá, blá, blá (aquela babozeirada toda que sempre ficam nos forçando goela a baixo), sinto o rancidus nojento da Lei. E o povo evangélico vai vivendo aprisionado novamente às “tradições israelitas” e o diabo, muito provavelmente, rindo da falta de fé que temos em Cristo Jesus para nos libertar disso tudo.

Pregar dízimo para os evangélicos e impor essa obrigação é como pregar contra o próprio Senhor Jesus Cristo saibam disso pastores! Não aceito nem mesmo que seja livremente “pedido” o dízimo sem compromisso, pois na Nova Aliança, ISSO NÃO EXISTE, DÍZIMO (10%) NÃO EXISTE!

Já escrevi sobre o dízimo antes aqui no blog, mostrando extensivamente o motivo pelo qual os evangélicos, que seguem a Nova Aliança, NÃO SÃO obrigados a dizimar coisa alguma. O dízimo foi instituído para o povo de Israel e não tem nada a ver com aqueles que seguem a Jesus Cristo. Afinal seguimos a Cristo ou a Leis?

Meus queridos, só para avisar, estamos na GRAÇA e não na MALDIÇÃO. Quem dizima é porque ainda está na maldição e tem MEDO de Deus ou talvez porque o seu pastor INCUTIU em sua cabeça esse assunto depois de tanto pregar sobre isso. O pior é que os pastores usam Malaquias 3 (VELHO TESTAMENTO – LEI) para justificar o dízimo. Ótimo, então vamos usar Gênesis 17 (VELHO TESTAMENTO – LEI) para pregar a circuncisão.

Quem tiver curiosidade e quiser se libertar dessa loucurada toda, procure esse tema para estudar e conhecer mais a Bíblia aqui no blog.

O que falta é o povo de Deus LER a Bíblia e pedir que o Espírito Santo a revele. Meu pai, Gilberto Stevão, tem um excelente Método de Alfabetização pela Bíblia (http://www.alfabetizacaopelabiblia.com.br/), até mesmo reconhecido pelo Ministério de Educação e Cultura. Porém, analisando friamente os “crentes”, o que falta mesmo é Instruir a Bíblia. É uma confusão geral, os que não sabem ler e escrever, vivem do que ouvem, e os que sabem ler, não querem (não oram para) entender o que leem e preferem viver daquilo que ouvem; talvez seja mais fácil!

Se os evangélicos são obrigados a dar o dízimo e se a desculpa é que foi Deus quem mandou dar o dízimo, segure aí irmão/irmã: “também foi Deus que mandou matar (exterminar) quem não era israelita no Velho Testamento”, “foi Deus quem mandou circuncidar o povo israelita”, “foi Deus quem mandou guardar o sábado”, e assim vão os textos afora na Lei. Por causa disso iremos pregar essas coisas? Que Deus nos proíba!

É certo que foi Deus quem mandou que o povo dEle fosse circuncidado. Se foi Deus porque não seguimos essa ordem Divina também? Deus errou e voltou atrás? Se temos que obedecer a Deus e dar o dízimo, temos também que circuncidar os evangélicos, urgentemente, a partir de hoje (quem sabe ninguém vai nos reconhecer que somos o povo de Deus!). Ué, nada mais do que coerência!

Apenas para fazer um intróito ao que já escrevi, e para não deixar alguns perdidos, sem orientação bíblica (textos bíblicos), gostaria de expor as diferenças entre Velho e Novo Testamento, sobre esse assunto.

Os israelitas, no Antigo Testamento, receberam várias instruções sobre o dízimo. A Lei falava da responsabilidade de dizimar e isso está em Levítico 27:30 e também em Deuteronômio 14:22. Deus ordenou que levassem os dízimos ao lugar por ele escolhido (veja Deuteronômio 12:6) e Ele os deu aos levitas (veja Números 18:21,24). Por que aos levitas? Porque Deus disse que eles não teriam possessão terrena alguma, pois Ele mesmo era sua porção e herança. Leia Números 18:20, 26:62, Deuteronômio 10:9, 18:1,2, Josué 14:3.

No final do Antigo Testamento, Deus ainda cobrava os dízimos do povo, como está em Malaquias 3:10. Enquanto a Lei continuava em vigor, antes de sua morte, Jesus falou para que os seus patrícios continuassem sendo fiéis nos dízimos e isso está em Mateus 23:23. Porém, o meu Jesus nunca pregou para aqueles que o seguiam ou para os que lhe aceitariam como seu Salvador pessoal após a sua morte, que dizimassem.

Agora, na Nova Aliança, que passou a vigorar depois da morte do Testador (veja Hebreus 9:15-16), o princípio de dar é total e radicalmente diferente, a ponto de assustar. Cristãos devem dar com alegria e liberalidade, conforme a sua prosperidade. Isso está na Nova Aliança, veja 1 Coríntios 16:1-2 e 2 Coríntios 9:6-7,12-13). Mas aí, novamente os pastores distorcem a Palavra de Deus como lhes convém, dizendo que com relação a dinheiro na igreja, existe a obrigatoriedade do dízimo (para Deus repreender o devorador) e as ofertas preconizadas por Paulo (versos acima), compondo uma longa categoria de ofertas: oferta alçada, oferta de missões, ofertas espontâneas, doações, etc. Onde está esta classificação no Novo Testamento? Gostaria de que algum pastor me mostrasse.

Eu vivo pelo Novo Testamento que me diz que, para aqueles que seguem a Jesus, existe apenas uma maneira de contribuir para o Reino de Deus, e esta é livre e generosamente.

Ora, o princípio atrás das ofertas (ofertar é dar seja de que forma, quantia ou modo e ponto final; parem de inventar) hoje não é a cobrança de uma porcentagem específica (dízimo significa 10%), mas a decisão de se entregar totalmente a Cristo (veja 2 Coríntios 8:3-5) e por Ele dar TUDO. Hoje na Graça não é 10%, mas 100%. E porque razão então os pastores não pregam essa entrega total, de vida, dos bens, para viver sacrificialmente por amor a Jesus? Ah não dá para pregar a Verdade, daí "não fica um meu irmão". E nem precisa gritar "pega ladrão".

Então Éber, tenho que vender e dar tudo para a igreja? Sim e não. Mas primeiro quero lhe instruir que não é para a igreja, é para dar aos pobres. Sim, se o seu coração estiver no dinheiro. Foi isso que Jesus mandou que o jovem rico fizesse. Se tiver curiosidade, leia o diálogo entre Jesus e o jovem rico em Marcos 10:17-30, pois merece profundas reflexões. Não, se você pensa em continuar vivendo e cuidando dos seus dignamente. "Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo." (I Timóteo 5:8) Entre tudo a Deus e Ele vai cuidar de tudo para você.

Portanto, contribua sim, espontaneamente para que o Evangelho seja pregado a todas as línguas e nações e todos os povos (mandamento de Jesus Cristo), com aquilo que o Espírito Santo lhe diz, suavemente, para dar generosamente. Viva no Espírito e não na Lei.

A quase totalidade das igrejas evangélicas – para não dizer todas - (e infelizmente como os líderes católicos ultimamente tem copiado as coisas boas e ruins dos evangélicos, para não perderem “fiéis” - fiéis a quem? -, também instituíram esse absurdo para os católicos em geral), pregam a obrigação do dízimo, mas o Novo Testamento claramente diz que a cobrança do dízimo era mandamento da Lei: “Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo.” (Hebreus 7:5)

ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃO EVANGÉLICOS, não temos mais o sacerdócio levítico e não vivemos subordinados à Lei do Antigo Testamento. Por isso, não devemos pregar a obrigação de dar o dízimo. Não temos o sacerdócio levítico porque a casa de Davi foi restaurada com a vinda de Jesus Cristo, sua vida e morte na cruz, para nos dar VIDA ETERNA, LIBERDADE E LIBERTAÇÃO.

Digo uma coisa, aqueles que querem servir a Cristo precisam resistir às tendências de voltar ao Antigo Testamento como a base do nosso serviço hoje. “Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio. Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:25-26) “De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes.” (Gálatas 5:4)

Só para avisar, quem cai da graça está literalmente ferrado!

Quem sabe seja melhor mesmo andar no Espírito, conforme a revelação da Nova Aliança, devido aos dias que estão por vir, pois do contrário, não chegaremos até o fim.

E você vai ao céu pela Lei ou pela Graça? Quem tem ouvido para ouvir, que ouça. E por favor, nem mesmo cogite a possibilidade que eu tenha saído do Caminho, pois o que eu estou pregando aqui é somente GRAÇA, pura GRAÇA de Deus para os seres humanos. Nada mais. Religiosidade é "uma bandeira do inferno" como diz o título do livro do pr. Glenio Paranaguá.

Caso algum pastor queira debater “em sua igreja” esse assunto, com todos os membros presentes, estou à disposição, como sempre. Infelizmente sei que não serei chamado, pois não querem perder o seu cofrinho!

Mas não, não querem deixar que o Espírito Santo faça a obra nos corações das pessoas. Não querem fazer a obra por fé (que tanto pregam), preferem uma balanço contábil mensal fixo e seguro.

A obra é de Deus, Ele é o dono, é Ele quem comanda, é Ele quem toca nos corações para darem o quanto forem tocados a dar para que o Reino dEle , só dEle, seja expandido até os confins da terra, para que todos ouçam acerca de Jesus Cristo e o fim venha para a glória do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém e amém.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão