segunda-feira, 27 de setembro de 2010

MARINA, UMA EVANGÉLICA QUE NÃO REPRESENTA OS EVANGÉLICOS, DE FORMA ALGUMA!

Ontem, dia 26/09/2010, todo o Brasil assistiu ao último debate dos presidenciáveis na Rede Record. Um show de candidatos de falas rasas que responderam a perguntas superficiais e infantis de 3 mulheres que se classificam como repórteres.


O Plínio, perdido nos papéis, no tempo de fala, pergunta e reposta, além de ter um discurso paternalista, onde tudo deve ser pago e dado pelo governo ao povo, é declaradamente um socialista-comunista disfarçado. Está vivendo no retrocesso da década de 60.

A Dilma, extremamente nervosa com as poucas perguntas sobre as falcatruas do governo lula, a tal ponto de trocar masculino e feminino dos adjetivos. Uma coisa ficou claro, como afirmado no debate: "Dilma, você é uma candidata criada. Nunca foi do PT e tão pouco conterá o PT na avidez impressionante que esse partido tem pelo poder e dinheiro." Mais um fantoche na mão de um corrupto partido liderado por um bandido que hoje assume a maior posição política do país. Que vergonha!!!

A Marina, que deveria defender os princípios cristãos, evangélicos, não tem opinião sobre aborto, drogas, etc. Quer fazer plebiscito para saber se o Brasil deve ou não liberar a maconha para a população. Para uma evangélica, como ela mesmo se denomina, dizer durante a sua campanha nos programas televisionados do PV que a natureza levou "milhões de anos para ser formada..." é um claro sinal de que desconhece a Palavra de Deus e tampouco acredita que foi Deus quem criou os céus, os mares, as florestas, os animais e os seres humanos, de acordo com Gênesis. Os evangélicos estão muito mal repesentados por uma pessoa tão despreparada como a Marina, que durante sua fala comeu mais as concordâncias verbais do que os medíocres pronunciamentos (palanqueiros) do atual presidente do Brasil. No fundo, ela é uma PTista disfarçada que "acredita" que o governo de Fernando Henrique Cardoso foi um câncer para o Brasil, fala essa criada e defendida pelo lula.

O Serra, impressionantemente, mostrou-se tranquilo diante das perguntas e para quem se diz católico, foi o único que afirmou: "Se Deus quiser, se Deus permitir que eu seja presidente do Brasil...". Um bom exemplo para uma evangélica de pouca ou nenhuma convicção bíblica.

Que Deus tenha misericórdia do Brasil, do nosso povo e que Ele ilumine ao povo evangélico na hora do voto. Vamos clamar a Deus em orações, com súplicas e deprecações.

É isso aí.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão  

Nenhum comentário:

Postar um comentário