sexta-feira, 27 de agosto de 2010

TERCEIRA PROFECIA SOBRE A VOLTA DE JESUS CRISTO

Terceira Profecia

OS REIS DO NORTE E DO SUL DO FINAL DOS TEMPOS

Qual é a palavra profética de Jesus?

Comparando o livro de Daniel e Mateus 24 vamos entender que existem semelhanças impressionantes entre as palavras de Daniel e de Jesus.


Em Daniel 11 encontramos uma profecia surpreendente sobre dois líderes, os reis do Norte e do Sul, os chefes das regiões que eram geograficamente ao norte e ao sul da Terra Santa. Para entender essa profecia temos de ir para a época de Alexandre, o Grande, que viveu perto do final do século IV a.C., cerca de 200 anos depois de Daniel.

Alexandre figura de forma proeminente em todo o livro de Daniel, apesar de Daniel não saber o nome dele e nunca ter tido a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente. Obviamente que ele não poderia tê-lo conhecido, já que Daniel morreu há quase dois séculos antes de Alexandre ter aparecido no cenário mundial.

Mas Deus revelou a Daniel que depois da Babilônia, a Pérsia surgiria como a maior potência da região, a ser seguida, por sua vez, pela Grécia. Não surpreendentemente, as profecias sobre a ascensão da Grécia estão centrados em Alexandre, o Grande, que foi um dos maiores conquistadores da história.


Daniel no capítulo 8 apresenta um relato vívido do confronto entre a Pérsia e Grécia. Enquanto você o lê, lembre-se que um chifre simboliza o poder real e de autoridade. Persia "tinha dois chifres, e os dois chifres eram altos, mas um era mais alto que o outro, e o mais alto subiu por último." Isso refere-se ao Império Medo-Persa que foi o encontro de duas nações ou povos. No versículo 3 vemos que os persas subem à grandeza após os Medas.


Já no versículo 5, lemos sobre a derrota posterior da Pérsia por Alexandre, o Grande: "E como eu estava pensando, de repente, um bode vinha do ocidente, em toda a superfície da terra inteira, sem tocar o chão, e aquele bode tinha um chifre notável entre os olhos".

O "chifre notável" ou líder real foi Alexandre, o Grande. A profecia sobre o seu exército, nem sequer tocar no solo é uma referência à incrível velocidade com a qual ele conquistou o mundo conhecido. Não é impressionante como a profecia relata de forma figurativa acertadamente? Tudo isso foi alcançado em um tempo muito curto. Alexandre morreu em 323 a.C. quando ele tinha apenas 33 anos de idade.

Mesmo sua súbita e inesperada morte foi profetizada: "O bode ficou muito grande, mas quando ele se tornou forte, o grande chifre foi quebrado, e no lugar dele outros quatro também insignes subiram para os quatro ventos do céu". Leia o versículo 8 na sua Bíblia.

Quando Alexandre morreu, seu império foi finalmente dividido entre os seus quatro generais. Eles são aqueles quatro "notáveis chifres" aqui mencionados. Duas dessas dinastias estabelecidas tiveram um profundo efeito sobre o povo judeu. Essas duas dinastias foram os descendentes de Seleuco, que governava um vasto império de Antioquia, na Síria, ao norte de Jerusalém, e Ptolomeu, que governou o Egito de Alexandria.

Daniel 11 é uma profecia longa e detalhada sobre os conflitos dinásticos entre esses dois poderes, seus respectivos líderes que foram referidos como "o rei do Norte" e "o rei do Sul." De grande importância é que sempre que iam para a batalha uns contra os outros, os judeus eram pisoteados. E isso continuou, desde a época de Alexandre, até meados do século II a.C.. Foi um duro período de quase dois séculos.

De forma interessante e não menos impressionante, de repente, a profecia pula dos reis do Norte e do Sul para o tempo final da volta de Cristo. Certamente que anos passariam, como realmente se passaram, mas nenhum evento importante acontece nesse ínterim, segundo Daniel. Por isso, os dois livros se complementam. 

No versículo 40 lemos assim: "No tempo do fim o rei do Sul deve atacá-lo, e o rei do Norte se levantará contra ele como um furacão, com carros, cavaleiros e com muitos navios, e ele entrará nas suas terras e as inundará, e passará. E ele entrará na terra gloriosa [Terra Santa], e muitos países cairão." (Daniel 11:40-41)

A última parte da profecia de Daniel acerca do conflito Norte-Sul descreve um choque de civilizações entre o líder de uma superpotência européia por vir - um Império Romano reavivado - e outro líder que é o sucessor do Estado de Ptolomeu do Egito, que agora faz parte do mundo islâmico.

Essa profecia já se cumpriu e vemos agora condições geopolíticas que se alinham para um confronto inevitável.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Um comentário:

  1. Deus continua abençoando você ricamente Ebér!Com certeza vou ler tudo a que ainda é desconhecido a mim sobre a palavra do nosso Deus aqui em seu blog!abraçãooooo

    ResponderExcluir