sexta-feira, 27 de agosto de 2010

SEGUNDA PROFECIA SOBRE A VOLTA DE JESUS CRISTO

Segunda Profecia

A PÁTRIA JUDAICA DEVERIA SER ESTABELECIDA NO ORIENTE MÉDIO

Qual é a palavra profética de Jesus?

Ela se encontra em Lucas 21:20-22: “Jerusalém seria cercada”. Para que Jerusalém pudesse permanecer através dos tempos e voltar a fazer seus sacrifícios, haveria necessidade da criação de um Estado (nação) Judeu (judaica).

Geopoliticamente, o foco central dos eventos do final dos tempos é Jerusalém e seus arredores, local que muitas pessoas se referem como a Terra Santa.

Lucas 21 é um capítulo que está em paralelo com Mateus 24. Leia abaixo o registro de Lucas da profecia de Cristo que foi estabelecida em resposta às perguntas dos discípulos: "Mestre,... quando sucederão estas coisas? E que sinal haverá, quando estas coisas estiverem para acontecer?" (Lucas 21:7)

Em resposta, Jesus mostrou que Jerusalém seria o foco central das convulsões políticas e militares que precedem imediatamente a sua volta: "Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei que está próximo a sua desolação... Porque estes são os dias da vingança e que todas as coisas que estão escritas podem ser cumpridas" (versículos 20-22).

Se fosse possível alguém voltar a viver no século passado teria achado que essas palavras seriam quase impossíveis de se compreender. Jerusalém nos tempos antigos tinha sido disputada inúmeras vezes, mas por quatro séculos a partir de 1517, a cidade esteve em paz dentro das fronteiras do Império Otomano. Os judeus viviam ali como uma minoria sob o domínio turco. Mas isso iria mudar drasticamente ao longo do século 20.

Obviamente que isso teria que mudar para o cumprimento da profecia bíblica pudesse acontecer.

O Antigo Testamento, o profeta Zacarias foi usado por Deus para revelar muita coisa sobre o tempo final de eventos e da segunda vinda do Messias. Zacarias profetizou e viveu mais de 500 anos antes da primeira vinda de Cristo, mas seu livro profético nos diz muito sobre o nosso mundo de hoje.

Em Zacarias 12:2-3 Deus diz assim: “Eis que eu farei de Jerusalém um copo de atordoamento para todos os povos em redor, e também para Judá, durante o cerco contra Jerusalém. Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem, serão gravemente feridos. E ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra. No versículo 9 ele acrescenta: "Deve ser naquele dia que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém".

Lendo esses versículos é possível pensar que se aplicam a eventos antigos, uma vez que Jerusalém foi disputada por vários povos repetidamente ao longo dos séculos. No entanto, o capítulo 14 deixa claro que isso é falar sobre eventos futuros e não sobre o passado. O tempo proposto é imediatamente antes do retorno de Jesus Cristo.

“Eis que vem um dia do Senhor, em que os teus despojos se repartirão no meio de ti.Pois eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro mas o resto do povo não será exterminado da cidade. Então o Senhor sairá, e pelejará contra estas nações, como quando peleja no dia da batalha. Naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; se o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o ocidente e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a outra metade dele para o sul.” (Zacarias 14:1-4)

É evidente que as últimas linhas desta profecia aguardam para ser cumpridas.

Além disso, neste mesmo capítulo, lemos sobre como aquelas nações que se levantaram contra Jerusalém virão a Jerusalém para adorar o Rei, Jesus Cristo (versículo 16). Glória a Deus!

Esses capítulos do livro de Zacarias são uma profecia sobre os eventos que precedem e incluem a segunda vinda de Jesus Criso. Uma Jerusalém de controle judaico é notavelmente o foco central. Lembrar que parte do antigo templo de Salomào é hoje contralado pelos Palestinos-mulçumanos.

Pouco antes de Zacarias, outro profeta judeu chamado Daniel viveu durante o tempo do cativeiro dos judeus na Babilônia. Seu livro fala dos “sacrifícios judaicos diários” serem interrompidos no final dos tempos. Leia Daniel 12:11 e versos 1-13). Esse é um evento que teve um precursor na profanação do templo sob o governante sírio Antíoco Epifânio, no século II a.C.

No entanto, Jesus Cristo confirmou esse acontecimento como um evento futuro que precederia sua volta. Compare Daniel 11:31 com Mateus 24:15). Desta forma, isso significa que esses sacrifícios devem primeiro ser restabelecidos em Jerusalém, exigindo um Estado judeu sobre a cidade.

Cem anos atrás, tais desdobramentos eram difíceis de serem imaginados pela simples motivo que nenhuma entidade judaica politicamente independente existia no Oriente Médio.

Depois de se rebelar contra os romanos em 66 d.C. e novamente no ano 132, a Judéia foi esmagada e a maioria dos judeus restantes foi dispersa por todo o Império Romano e mundo afora. Esse também é o cumprimento de outra profecia, mas que não será abordada agora. Mais uma vez, nenhuma pátria judaica existia até 1948, quando a nação moderna de Israel foi estabelecida.

Uma pátria judaica independente era apenas um sonho para um pequeno grupo de fanáticos zelosos de um século atrás. Esse sonho deu um passo avante durante a I Guerra Mundial, quando as forças britânicas tomaram o controle de Jerusalém dos turcos, em dezembro de 1916 (http://www.worldlingo.com/ma/enwiki/pt/British_Mandate_of_Palestine). Poucos meses depois, o governo britânico comprometeu-se a criar uma pátria judaica independente nas terras onde os judeus habitaram durante séculos. Deus usou o povo britânico para dar continuidade aos seus planos.

Foram mais de 30 anos antes que o sonho fosse realizado em 1948. No entanto, desde então o pequeno Israel teve de lutar em guerras de sobrevivência nos anos de 1948 (http://veja.abril.com.br/historia/israel/especial-capa-independencia-israel.shtml / http://pt.wikipedia.org/wiki/Conflito_%C3%A1rabe-israelense), 1967 (http://www.dw-world.de/dw/article/0,,837751,00.html) e 1973 (veja o interessante vídeo http://www.youtube.com/watch?v=qQG_lYNKGnE), além de ter sofrido inúmeros ataques terroristas e ameaças de aniquilação de vizinhos hostis determinado a eliminar o estado judeu.

O maior defensor da destruição (aniquilação) total dos judesus é o Mahmoud Ahmadinejad, atual presidente do Irã. (http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=404 / http://lhdessart.blogspot.com/2009/04/ahmadinejad-nega-o-holocausto-diante-da.html)  

Esta é uma profecia que ainda está para ser cumprida e pode acontecer nesta geração.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário