quinta-feira, 24 de junho de 2010

DEUS DE NAOR

“O Deus de Abraão e o Deus de Naor, o Deus de seu pai, julgue entre nós. E jurou Jacó pelo temor de seu pai Isaque.” (Gênesis 31:53)

Nós sempre ouvimos os pastores pregando assim: "O Deus de Abraão, Isaque e Jacó", mas quanto ao "Deus de Naor"? Quem foi Naor?

Ele foi o avô de Abraão. Naor tinha 99 anos de idade quando seu neto Abraão nasceu e morreu quando Abraão tinha 49 anos. Certamente que Naor acreditava no Deus verdadeiro, pois até mesmo o trineto dele, Jacó, cita no texto acima “...o Deus de Naor”. Isso nos revela que ele influenciou a fé de Abraão e, quem sabe, apoiou o seu chamado.

Como já citado em texto anterior aqui no blog, Eliézer, o mordomo fiel, encontrou Rebeca para Isaque exatamente na cidade natal do Naor, bisavô de Isaque. Esse avô de Abraão, que é pouco conhecido, pois a Bíblia não traz maiores esclarecimentos sobre ele, certamente teve um impacto na vida de Abraão muito maior do que podemos imaginar.

Da mesma forma, nunca subestime o impacto que você pode ter sobre a vida de outras pessoas. Já pensou o seu bisneto mencionar para familiares e amigo "o Jesus Cristo do meu bisavô"?

Pense nisso!

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O PERIGO DO SILÊNCIO

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." Martin Luther King

Antes que alguns menos avisados me recriminem por eu ter colocado no blog o assunto abaixo, quero lembrar que Martin Luther King foi um dos mais importantes líderes do ativismo pelos direitos civis para pessoas negras. Era um pastor evangélico e ativista político, que zelava pela paz mas sem deixar de lutar pelo que acreditava.

O PERIGO É O SILÊNCIO...

**************************
Diamantina, Interior de Minas Gerais, 1914.

O jovem 'Juscelino Kubitschek', de 12 anos, ganha seu primeiro par de sapatos. Passou fome. Jurou estudar e ser alguém. Com inúmeras dificuldades, concluiu o curso de Medicina e se especializou em Paris. Como Presidente, modernizou o Brasil.. Legou um rol impressionante de obras e; humilde e obstinado, era (E AINDA É) querido por todos.

Brasília, 2003.
Lula assume a presidência. Arrogante, se vangloria de não haver estudado. Acha bobagem falar inglês.. 'Tenho diploma da vida', afirma... E para ele basta. Meses depois, diz que 'ler é um hábito chato'. Quando era 'sindicalista', percebeu que poderia ganhar sem estudar e sem trabalhar - sua meta até hoje.

**************************
Londres, 1940.

Os bombardeios são diários, e uma invasão eronaval nazista é iminente. O primeiro-ministro W. Churchill pede ao rei George VI que vá para o Canadá. Tranqüilo, o rei avisa que não vai. Churchill insiste: então que, ao menos, vá a rainha com as filhas. Elas não aceitam e a filha entra no exército britânico; como 'Tenente-Enfermeira', e, sua função é recolher feridos nos bombardeios. Hoje ela é a 'Rainha Elizabeth II'.

Brasília, 2005.

A primeira-dama (? que nada faz para justificar o título) Marisa Letícia, requer 'cidadania italiana' e consegue. Explica, candidamente, que quer 'um futuro melhor para seus filhos'.
E O FUTURO DOS NOSSOS FILHOS, CIDADÃOS E TRABALHADORES BRASILEIROS?

**************************
Washington, 1974.
A imprensa americana descobre que o presidente Richard Nixon está envolvido até o pescoço no caso Watergate. Ele nega, mas jornais e Congresso o encostam contra a parede, e ele acaba confessando. Renuncia nesse mesmo ano, pedindo desculpas ao povo.

Brasília, 2005.
Flagrado no maior escândalo de corrupção da história do País, e tentando disfarçar o desvio de dinheiro público em caixa 2, Lula é instado a se explicar. Ante as muitas provas, Lula repete o 'eu não sabia de nada', e ainda acusa a imprensa de persegui-lo. Disse que foi 'traído', mas não conta por quem.

QUEM LHE TRAIU SR. lula?

**************************
Londres, 2001.

O filho mais velho do primeiro-ministro Tony Blair é detido, embriagado, pela polícia. Sem saber quem ele é, avisam que vão ligar para seu pai buscá-lo. Com medo de envolver o pai num escândalo, o adolescente dá um nome falso. A polícia descobre e chama Blair, 'que vai sozinho à delegacia buscar o filho'. Pediu desculpas ao povo pelos erros do filho.

Brasília, 2005.

O filho mais velho de Lula é descoberto recebendo R$ 5 milhões de uma empresa, financiada com dinheiro público. Alega que recebeu a fortuna vendendo sua empresa, de fundo de quintal, que não valia nem um décimo disso. O pai, raivoso, o defende e diz que não admite que envolvam seu 'filhinho nessa sujeira'? ? ?

**************************
Nova Délhi, 2003.

O primeiro-ministro indiano pretende comprar um avião novo para suas viagens. Adquire um excelente, brasileiríssimo 'EMB-195' , da 'Embraer' , por US$ 10 milhões.

Brasília, 2003.

Lula quer um avião novo para a presidência. Fabricado no Brasil não serve. Quer um dos caros, de um consórcio franco-alemão. Gasta US$ 57 milhões e, AINDA, manda decorar a aeronave de luxo nos EUA. 'DO BRASIL NÃO SERVE'.

**************************

E você, já decidiu o que vai fazer nos próximos minutos ? ? ?
Vamos dar ao BRASIL uma nova chance! Ele precisa voltar para o caminho da dignidade. Nós não merecemos o desgoverno que se instalou em nosso País e temos a OBRIGAÇÃO de acordar e lutar antes que seja tarde. Ore a Deus e peça a Ele um homem justo!!!

COMO BRASILEIRO, EU, ÉBER STEVÃO, SINTO-ME TREMENDAMENTE ENVERGONHADO PELO PRESIDENTE, SEMI-ANALFABETO, QUE GOVERNA O PAÍS QUE EU NASCI!!!

E VOCÊ VAI TAMBÉM SE CALAR DIZENDO QUE É EVANGÉLICO E NÃO TEM NADA COM ISSO???? NÃO ME VENHA COM ESSA CONVERSA MOLE, CALCADA EM UMA FALSA RELIGIOSIDADE PARA DIZER QUE É "ESPIRITUAL", POR ISSO PREFERE SER COVARDE...

Publicado aqui por Éber Stevão.

SR. SILAS MALAFAIA, SR. SILAS MALAFAIA: AIAIAI, ESTÁ PISANDO EM AREIA MOVEDIÇA...!!!

O texto abaixo foi publicado na coluna Radar da Revista Veja:
Silas Malafaia quer 1000 Templos em cinco anos

"O televangelista Silas Malafaia está sedento. Sua meta é implantar, nos próximos cinco anos, 1 000 templos pelo Brasil afora. Hoje, ele comanda 97 igrejas. O plano só será possível porque o pastor deixou, há duas semanas, a vice-presidência da Convenção-Geral das Assembleias de Deus no Brasil, que congrega 60% dos pastores da denominação. Malafaia saiu afirmando que a direção se tornara um "caso de polícia". Na semana passada, o tesoureiro fez o mesmo, dizendo haver "tremendas irregularidades". Se as acusações forem comprovadas, será um ganho duplo para Malafaia: ele ficará livre dos problemas e também das amarras que a organização impõe à criação de templos em áreas de outros pastores."

Gostei dessa sua carinha nessa foto sr. Malafaia!!!

Gostei muito do comentário feito por Leonardo Gonçalves no blog Púlpito Cristão - Azucrinando os ouvidos dos vendilhões do templo. Segue assim:

Não sei o que é mais deplorável: Se é o coronelismo com que o pastor José Wellington preside a CGADB, seu atual endividamento e cheques sem fundos, e as presepadas da CPAD (que cada vez mais parece uma empresa autônoma, insubordinando-se contra as decisoes da convenção...

Ou se a Bíblia da Vitória que ensina a fazer barganha com Deus, as campanhas de agiotagem divina promovidas por Silas e seu compadre Morris Cerullo, ou se o clube de um milhao de almas, na qual a alma do ser humano foi avaliada em 1000 reais, e pela paga desta modesta indulgência você pode livrar uma alma do inferno.

Deus tenha misericórdia de nós.


Publicado aqui por Éber Stevão

UM PADRÃO PARA O CRENTE: SER FIEL!

Tenho observado o quanto as pessoas, mesmo aquelas que se posicionam como evangélicas (até mesmo pastores/líderes - estou abismado com a reportagem que foi feita na Veja falando de Silas Malafaia, que se desligou das Igrejas Assembléias de Deus, e agora está livre para construir seu império e ele confessou que pretende chegar a 1000 templos em 5 anos), se corrompem facilmente, são interesseiras, invejosas, maquiavélicas ("os fins justificam os meios"), se vendem rapidamente e não são fiéis a nada e a ninguém. Tenho ficado abismado com a postura de, até mesmo, amigos ou quem sabe pretensos amigos crentes que estão se amoldando a este mundo corrupto. Reluto em crer nas palavras da música funk que diz: "Tá dominado! Tá tudo dominado!" ou porque não "minado"!

Mas como a Palavra de Deus sempre nos conforta e nos orienta, gostoso foi poder meditar no texto-base de hoje: “Então disse Abrão: Senhor DEUS, que me hás de dar, pois ando sem filhos, e o mordomo da minha casa é o damasceno Eliézer?” (Gênesis 15:2)

Abrão tinha um servo mais antigo na sua casa e este era o mordomo de todos os seus bens. Ele se chamava Eliézer e era originário da capital da Síria. Nem mesmo era hebreu; não fazia parte do povo de Deus, mas isso não importava.

Abraão o enviou para a pátria do seu avô, Naor, nas terras da Mesopotâmia, para encontrar uma esposa para Isaque, seu filho herdeiro. Muito antes de Isaque nascer, Eliézer sabia que ele seria o herdeiro à riqueza de Abraão. Obviamente que depois nasceu Isaque e isso tudo mudou. No entanto, Eliézer, sem quaisquer intenções malévolas, foi privilegiado por ver Deus trabalhando milagrosamente a favor do seu mestre. Ele entendeu que tinha sido abençoado por Deus, pois rapidamente encontrara uma esposa para o filho do seu patrão. Ele entendera que não precisaria enganar, adulterar, roubar, mudar a casaca, ficar em cima do muro ou manipular a situação, porque continuaria, mesmo depois da morte de Abrão, sendo o mordomo de Isaque. Eliézer preferiu ser fiel. Que postura nobre!

Fico pensando nas palavras do filho pródigo: “Quantos servos de meu pai tem pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome!” (Lucas 15:17) Algo a se pensar é que quando estamos a serviço de Deus, qualquer lugar é bom. Ele nos cuida, nos abençoa e nos posiciona, sem precisarmos rogar. Ele conhece nossas necessidades e sabe do que precisamos. Basta que sejamos fiéis como foi o mordomo Eliézer.

Seja você também um Eliézer de Deus! E de forma alguma, ao mais apressadinho, me refiro aqui ao "dízimo" (obra MORTA da Lei que subjuga a todo aquele que prefere viver na maldição do que na GRAÇA de Cristo Jesus), como talvez a grande maioria da corja de homens que se dizem pastores(-lobos)(enfaticamente a Igreja Universal) aproveitaria o argumento para "arrancar" dinheiro dos símplices, escalpelando o povo de Cristo.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

sexta-feira, 18 de junho de 2010

NOSSA VIAGEM A CUBA

Deus nos deu o privilégio de viajarmos até Cuba, na semana passada, para conhecermos a realidade daquele país e em que condições o povo vive. Tería muito para contar daquilo que vi, mas quero ser objetivo.

Apesar da beleza natural de Cuba, mas isso não foi dado por nenhum ativista comunista ou socialista da história da Revolução Cubana, é obra da magnífica mão de Deus, o criador,



o país chamado Cuba ainda vive a opressão que se dá na mente (que chamo de cativeiro da Babilônia), uma lavagem cerebral apregoada pelo comunismo/socialismo de Karl Marx e Engels (idealizadores do socialismo) durante toda uma geração, escondendo a verdade e enganando o pobre e triste povo cubano. O ideal da tão dita burocracia que organizaria a sociedade rumo à igualdade plena, onde os trabalhadores seriam os dirigentes e o Estado não existiria, é apenas uma utopia existente apenas no papel, pois o Estado existe sim e é regido pela dura mão de poucos homens ávidos de poder, sinistros e sem qualquer ideal mais profundo.



Não existem quaisquer propagandas comerciais, pois as agências são todas estatais. O que podem ser vistas são "outdoors" contendo mensagens, as mais variadas possíveis, encontrados por todo canto que, no fundo, vigiam e punem (alusão ao livro Vigiar e Punir de Michel Foucault) a mente, enrijece o semblante e tira o sorriso da face dos cubanos.





Sortistas, cartomantes, mulheres endemoniadas podem ser encontradas nas ruas da antiga Havana, e são usadas por satanás para ainda mais confundir um povo já oprimido pela falta de liberdade que só Cristo pode dar. Regime político algum pode produzir essa verdade no coração humano.









Tive a grata oportunidade de falar de Jesus, na antiga Havana, para um velho homem que vendia jornais políticos com a mensagem corrente naquele país. Foi possível perceber a fome e sede de libertação. Ele aceitou a Cristo com grande emoção e grata surpresa, apesar de se desviar rapidamente de mim, alguns minutos depois, após ter percebido que um soldado nos vigiava encostado na parede detrás.

Vamos orar para que caia por terra a convicção do atual presidente de Cuba, o irmão de Fidel Castro, Raúl Castro, que apesar de ter prometido "eliminar proibições" na ilha, ouvimos, enquanto lá estávamos, a afirmação que "estamos preparados para mais 50 anos de socialismo e contra-cultura capitalista". Que o Evangelho de Cristo, libertador dos cativos no corpo, na alma, no espírito e também na mente cauterizada pela mentira de satanás seja pregado com firmeza e convicção, independente de onde formos ou estivermos.

Já de retorno ao Brasil, na capela dentro do aeroporto de Guarulhos, onde agradecíamos a Deus pela viagem que fizéramos, sentou um senhor idoso, muito obeso, de olhar agradável, mas abatido. Eu estava de joelhos orando, com as mãos cobrindo a minha face. Ao terminar, ele me chamou para perto para perguntar se eu estava triste. Respondi que não. Então ele me perguntou o que eu era, respondi que eu era evangélico. Então, ele me pediu que eu orasse por suas pernas que estavam muito inchadas e com ulcerações varicosas. Ele disse que era um padre, estava voltando da Itália. As insígnias nas suas malas realmente revelavam que ele era um devoto pertencente a uma ordem católica. Eu e a Lizi tivemos a oportunidade de orar por ele. Antes de ele partir, a Lizi leu para ele, um padre, as palavras de Isaías 46:4 "Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos brancos, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os sustentarei e eu os salvarei."

É isso aí. Fique na paz do Amado.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

A GRAÇA FUTURA E A VIDA DE AMOR

Segue abaixo um texto escrito pelo Pr. John Piper no seu livro Graça Futura que achei muito interessante.

"Mas o ato de suportar não é a melhor descrição da vida cristã. Consiste em uma parte dela. O caminho que conduz à vida é um caminho de amor, não só de perseverança - amor por outras pessoas. Essa também é uma questão de urgência tremenda visto que Jesus disse: 'Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros' (João 13:35). E João disse: 'Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos' (I João 3:14). Podemos até não atingir a perfeição nesta vida, mas precisamos mudar a direção. O caminho conducente à vida é o caminho do amor.

Então como devemos viver a vida de amor - amor por pessoas que não conhecemos, e até pelos inimigos? Há uma ilustração da vida real que responde a essa pergunta. Paulo tinha atravessado a Macedônia implantando igrejas em Filipos, Tessalônica e Bereia. No processo, ele também ensinava as novas igrejas a cuidar dos pobres - a amá-los. Parte do plano foi fazer as igrejas contribuírem com os cristãos pobres da igreja-mãe de Jerusalém. O que aconteceu foi tão surpreendente e espantoso que ele o usou como exemplo quando escreveu à igreja de Corinto para inspirá-la a contribuir como as igrejas macedônias o tinham feito. Aqui está o que ele escreveu. Observe o poder da graça futura.

'Agora, irmãos, queremos que vocês tomem conhecimento da graça que Deus concedeu às igrejas da Macedônia. No meio da mais severa tribulação, a grande alegria e a extrema pobreza deles transbordaram em rica generosidade. Pois dou testemunho de que eles deram tudo quanto podiam, e até além do que podiam. Por iniciativa própria eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos ( II Coríntios 8:1-4).'

Essa reação dos macedônios tirou o fôlego de Paulo. O que torna isso tão espetacular é que a pobreza deles não foi eliminada quando se tornaram cristãos: a pobreza transbordou em generosidade (v.2). Aliás, parece que a conversão ao crsitianismo não lhes facilitou a vida, antes ela se tornou mais difícil: a generosidade deles transbordou da mais severa tribulação (v.2). Mesmo assim, houve riqueza de generosidade (v.2). Eles deram 'até além do que podiam' (v.3). Contruibuíram 'por iniciativa própria' (v.3). E eles até suplicaram o 'privilégio' de participar da assistência aos santos' (v.4). A palavra traduzida por 'privilégio' nessa frase é 'graça'."

O quão diferente foi essa vivência da igreja primitiva com a pregação insistente do evangelho da prosperidade que a Igreja Universal diariamente ressalta na rádio? É alarmante perceber que os pastores dessa igreja parecem apenas pregar, e colocam uma grande ênfase nisso, que aqueles que aceitam a Jesus Cristo e são dizimistas tem que ter uma vida abundante, cheia de bens materiais, riquezas deste mundo, e até mesmo incitam as pessoas a buscarem a prosperidade, como se isso fosse bíblico. O problema é que eles esquecem de pregar da forma que Jesus Cristo alertou: "E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem." (Mateus 7:14)

Paulo nos mostrou claramente que os "crentes em Jesus" que viviam em Jerusalém passavam dicifuldades; que os "crentes em Jesus" que viviam na Macedônia também viviam com poucas posses, mas apesar disso, desdobraram-se para mostrar que a vida não consiste na riqueza de bens e sim na generosidade que brota de um coração realmente convertido a Jesus, de pessoas que não colocam seus olhos, seus planos, seus anseios nessa terra que um dia passará.

Fique firme, meu irmão, minha irmã; você que luta até mesmo com dificuldades financeiras, embora seja um trabalhador, uma trabalhadora honesta. O Senhor irá lhes recompensar, senão aqui, no outro lado da vida. Um pouquinho mais e logo todos lá estaremos. Não se deixe vencer pelas palavras macias e enganadores daqueles que não são pastores, mas sim lobos forazes. Não olhe o aqui, olhe para o alto de onde vem a nossa Salvação eterna.

É isso aí.

Escrito e publicado por Éber Stevão

quarta-feira, 9 de junho de 2010

VÍDEO DA TRAVESSIA DO MAR VERMELHO

A natureza do ser humano é duvidar, igualzinho fez Tomé, um dos discípulos de Jesus.

O importante aspecto do vídeo abaixo não é se admirar do povo Israelita e do seu grande livramento, mas sim olhar para Deus, o Poderoso Libertador, o nosso Senhor.

video

terça-feira, 8 de junho de 2010

ORAÇÃO: O FALAR EM LÍNGUAS ESTRANHAS

O apóstolo Paulo orava em línguas estranhas e com alegria admitiu isso. Ele ensinou que nós devemos orar de forma que possamos compreender na nossa própria língua nativa. Mas ele também reconheceu que, às vezes, a oração precisa ultrapassar a nossa compreensão. É então quando devemos entrar no reino do Espírito e orar conforme o nosso espírito geme. O espírito faz intercessão de maneiras que não sabemos como fazer, embora nós possamos gemer e chorar. Em 1 Corinthians 14:15 diz assim: “Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.”
O mesmo apóstolo Paulo ensina que quando nos reunimos na igreja para buscar a Deus, não devemos orar em línguas sem interpretação, porque ninguém é edificado com isso. "Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação. O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja." (I Coríntios 14:2-4)
Caso alguém queira falar em línguas estranhas publicamente, sempre deve haver interpretação. Para isso é que existe um dom divino chamado dom de interpretação de línguas. Leia: "Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; e a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; e a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer." (I Coríntios 12:8-11) Do contrário, essa pessoa deve se calar, conforme manda o apóstolo pelo Espírito de Deus que se faça. "Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus." (I Coríntios 14:28)
Existe uma lacuna de desentendimento no meio cristão sobre o motivo pelo qual devemos falar em línguas, quando, onde e como. O que temos observado nas igrejas pentecostais é uma enormidade de pessoas falando em línguas, sem qualquer interpretação. Pelo menos em uma denominação que conheço, sei muito bem que assim o fazem como um sinal de espiritualidade, mas infelizmente estão contrários à Palavra de Deus.
Se alguma pessoa no meio do culto, seja em que momento for, começa a falar em uma língua que desconhece, deve haver na igreja alguém que interprete aquela língua estranha, senão vira bagunça, confusão. Entenda que biblicamente o espírito é SEMPRE sujeito ao profeta. Assim está escrito: "E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas." (I Coríntios 14:32)
Certamente que essa língua estranha não é uma língua alienígena, do além; é do espírito. Essa desculpa de que é só o Espírito Santo que entende e portanto, não tem problema ficar falando nessa língua sem parar em voz alta no meio do culto, é uma mentira do inferno, pois a pessoa pode estar endemoniada e espíritos malignos podem estar amaldiçoando aos líderes, irmãos e à Igreja de Cristo.
O Espírito Santo enviado por Deus daria a alguém algo que ela não entendesse e que ninguém compreendesse apenas para dar um “clima” de culto espiritual? O Espírito de Deus é Santo e coerente! Veja que na umbanda, as pessoas também falam em línguas estranhas e ninguém traduz, pois são línguas de demônios, com os quais não temos pacto algum.
Que o Espírito Santo possa dar entedimento aos pastores para ensinarem sobre esse assunto tão polêmico e que gera tanto escândalo. Nos meus 42 anos de evangélico, na verdade, nunca ouvi nenhum pastor com atrevimento do Espírito de Deus para pregar e ensinar especificamente sobre esse tema.
Que Deus nos ajude a todos.

É isso aí.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

sábado, 5 de junho de 2010

O APOCALIPSE, SOBRE O QUE VERSA ESSE LIVRO BÍBLICO

Segundo o bispo Edir Macedo, o "Apocalipse é a condensação, um resumo do Velho e do Novo Testamento, conforme ele mesmo cita na rádio Aleluia (mantida pela Igreja Universal), em uma das chamadas dessa rádio todos os dias.

Estaria ele certo ou errado?

O que diz a Bíblia acerca do Livro do Apocalipse? O primeiro versículo deste livro dia assim: "Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo." (ênfase minha)

Sendo assim, o Apocalipse não trata do Velho Testamento, tampouco do Novo Testamento. Este livro não condensa nada, tampouco resumo Velho e Novo Testamento, mas fala acerca da segunda vinda do Senhor Jesus Cristo.

Biblicamente podemos afirmar que o bispo Edir Macedo se engana acerca do conteúdo do Apocalipse.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

CONSIDERAÇÕES SOBRE O SÁBADO

Em complemento à postagem anterior, colocarei abaixo um outro texto que foi escrito pelo pastor Ezequias Queiroz de Souza

Algumas Considerações sobre o Sábado
por Ezequias Queiros de Souza
Ministro do Evangelho
CGADB 24.505

O mandamento de Deus não se refere a um dia específico da semana (Ex. 20:9). - Deus criou o homem no sexto dia (Gn. 1:27,31). - O Sábado faz parte de um pacto de Deus com o povo judeu (Ex. 20:1,2). - O Sábado não é instituição perpétua para outros povos, senão os judeus (Gn. 31:17). - Antes do Concerto de Sinai, Deus não ordenou a ninguém que guardasse o Sábado (Gn. 3:17). - Deus aborrece o Sábado porque envolve um preceito cerimonioso carente da verdadeira fé (Is. 1:13). - Jesus foi a última pessoa que teve obrigação de guardar o Sábado (Gl. 4:4,5). - O Sábado faz parte da Lei e esta foi abolida totalmente por Cristo (Cl. 2:14). - O Sábado consta no Decálogo e este não é a parte mais importante da Lei de Deus (Mt. 22:36-40). - Deus trabalhou no Sábado e continua trabalhando (Gn. 2:2; Jo. 5:17). - O Sábado faz parte da Velha Aliança. Estamos em um Novo Concerto (Mt. 26:28). - O Novo Concerto sob o qual estamos não nos manda guardar o Sábado. - A Igreja Primitiva guardava o Domingo (não foi instituído pelo Papa, nem por Constantino, como dizem os sabatistas). - Homens santos e abençoados por Deus guardavam o Domingo (Ap. 13:16; 19:20; 14:10,11). - Não estamos ligados a um lugar ou a um tempo para adorar a Deus. Jesus deixou isso bem claro (Jo. 4:24).

SÁBADO OU DOMINGO? "Qual o dia verdadeiro de descanso, o Sábado ou o Domingo?" O observador mais acurado vai perceber que o Sábado não é um mandamento originado na lei mosaica (Gn. 2:3), ainda que mais tarde a ela foi incorporado. O termo em hebraico "shabbadt" da raiz "shãbbath" supõe cessar, deixar de fazer, parar de fazer e até desistir. Em nenhum dicionário a palavra significa descansar. A idéia de que Deus descansou no dia sétimo só pode ser interpretada antropomorficamente, uma vez que Deus não pode cansar-se, sendo Ele o sustentador de toda a criação. Além do mais, devemos notar ainda o tempo em que o Gênesis foi escrito e a utilização de vocábulos babilônicos na sua composição sendo "shabbatum" o que mais corresponde à intenção judaica de significar que Deus completou a sua obra no sétimo dia. E se completou, trabalhou, o que tiraria a validade do Sábado judaico como lei. Esta parece ser a idéia de que Jesus quis mostrar aos escribas e fariseus quando disse: "Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também", Jo. 5:17.

A lei judaica posterior definiu 39 tipos separados de ações que constituem infração ao Sábado. No entanto, as mesmas escrituras prescreviam oferendas de sacrifício no Templo, no Sábado, ainda que isso fizesse o ofertante incorrer em esforços físicos: Nm. 28:9,10. Os princípios rabínicos prescreviam que se uma vida humana estivesse em perigo no Sábado, tudo o que fosse possível devia ser feito para salvá-lo. Jesus foi mais adiante quando arguiu: "E qual de vós que se a sua ovelha num Sábado cair num buraco não a pegará e tirará dali?" Mt. 12:11. Quando Deus diz: "Lembra-te do dia do Sábado para o santificar"(Ex. 20:8), poderia estar dizendo: "Lembra-te de honrar-me com teu louvor e ações de graça no dia do teu descanso".

É notório que nem todos podem descansar no atual Sábado, ou seja, no sétimo dia da semana. Principalmente nas cidades grandes. Essa imposição da vida cotidiana poria milhões de crentes em desobediência contra Deus e passíveis de morte: Nm. 15:32-36. Felizmente, não estamos debaixo da Lei e podemos santificar todos os dias da semana ao Senhor. E como foi no primeiro dia da semana que o Senhor Jesus ressuscitou (Mt. 28:1; Mc. 16:2; Lc. 24:1; Jo. 20:1), nesse dia denominado Domingo, do latim "dies dominicu", dia do Senhor, procuramos nele servir mais demoradamente à obra de Deus.

Agora, quanto à santificação, não temos de escolher esse ou aquele dia, mas vivê-la a todo o momento, pois, sem ela, "ninguém verá o Senhor".

Escrito por Ezequias Queiroz de Souza Ministro do Evangelho CGADB 24.505


Publicado aqui por Éber Stevão

ADVENTISMO - UMA RESPOSTA A LIZ THOMPSON

Prezada Srta./Sra. Liz Thompson:

Como não sei quem é, pois não teve a coragem suficiente para deixar seu email ou outro contato, não posso respondê-la diretamente e com mais privacidade.

Pelo visto você faz parte da seita dos Adventistas e ficou ofendida com as verdades BÍBLICAS que escrevi para o Fabrício em postagem anterior. Também, vejo que prefere mais seguir uma mulher que sofria de crises de histerismo (segundo diagnóstico do próprio médico dela), momentos nos quais recebia revelações "divinas", do que seguir a Cristo. Assim sendo, prefiro lhe chamar de Whiteana (ou Milleriana, se preferir) e não de irmã em Cristo, uma vez que Cristo NÃO é nosso ponto em comum. Para mim Cristo é o Centro, não importando minha afiliação igrejística!

Pela forma "estúpida" com que se referiu a mim, só posso entender que deva estar endemoniada. Mas isso não me ofende, eu lhe perdoo. Estou muito acostumado com pessoas que preferem defender homens, pastores, bispos, placas de igrejas, religiões e não a Palavra de Deus. Uma outra grande parcela fica calada em cima do muro. Poucos realmente querem pagar o preço para serem LIVRES e LIBERTOS pela GRAÇA de CRISTO JESUS e defendê-la. Voltando, para pessoas em tais condições (citada acima), saiba que há libertação espiritual, basta procurar uma igreja evangélica para tanto.

Aconselho você a ler "77 Razões porque não sou Adventista", escrito pelo Pastor Solon Teixeira Gomes. Para você não ter o trabalho de procurar, segue abaixo. Desejo muito que TENHA CORAGEM de enfrentar a desilusão que é o Adventismo, pois conhecendo a VERDADE, essa VERDADE que é CRISTO JESUS, vai te libertar!

"77 Razões porque não sou Adventista"
Solon Teixeira Gomes.
Ministro do Evangelho
CGAB 4735 e OMEB 3.441

1ª) PROVA HISTÓRICA SEM APOIO DO ESPIRITO SANTO
Não somos adventistas do 7° Dia, porque não há prova histórica de que esse movimento tenha se originado de um avivamento pelo Espírito Santo, como ocorreu com as igrejas evangélicas, mormente as pentecostais; conforme registram os livros: "Testemunhos dos Séculos", "História das Assembléias de Deus no Brasil", "Avivamentos que Avivam" e muitos outros.

2ª) ORIGEM DO ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA
Não o somos, porque o adventismo raiou dos "estudos" do fazendeiro Guilherme William Miller iniciados em 1818 e plenamente propagados por ele a partir de 1831, sem, contudo, ensinar a observância do descanso sabático, uma vez que esse ensino só foi aplicado por sua sucessora.

3ª) DECEPÇÕES DE GUILHERME WILLIAM MILLER
Jamais teríamos coragem de ser adventistas do 7° Dia, porque essa seita está fundamentada sobre o engano ou mentira; uma vez que Miller, baseando-se em Dn. 8:14, enfatizou que Jesus Cristo voltaria à terra em 21/03/1643 ou em 10/12/1643; mas como isto não ocorreu, ele a mudou para 21/03/1644 ou 12/10/1644; porém novamente falhou vergonhosamente, passando assim para o rol dos falsos profetas, conforme sen-
tença em Dt. 16:20-22. Graças a Deus, porém, que ele teve a felicidade de não ser linchado pelo povo frustrado no último dia marcado, e de conseguir fugir, abandonar o movimento, humilhar-se e voltar à Igreja Batista de onde era antes e falecer, na bendita e gloriosa esperança da vida eterna isto em 20/11/1649.

4ª) DECEPÇÕES DE HELEN GOLDEN WHITE
Fugiremos do adventismo do sétimo dia, porque essa sucessora de Miller, não se decepcionando com as falsas profecias de seu mestre, teve ainda a insensata ousadia de remarcar a data da vinda de Cristo para 1647, 1650, 1652, 1654, 1655, 1663, 1666, e 1667; todavia Ele não veio, deixando-a envergonhada com seus adeptos, por não respeitarem Mt. 24:36; 25:13; At. 1:7; l Ts. 5:1-2.

5ª) FALSOS PROFETAS ASSINALADOS
Mesmo já sendo adventistas por acreditarmos no 2° advento de Cristo, isto é, em sua Segunda vinda, não podemos ser adventistas do 7° Dia, porque tanto o mestre Miller como sua substituta WHITE, que o propalara, são classificados de falsos pela própria Bíblia que nos avisa em Jr. 14:14, Is. 23:21-22; Ez. 14:9, que o sinal dos profetas falsos é sempre o não cumprimento de suas profecias, assim como ocorreu com os dois famosos pioneiros do adventismo.

6ª) ORIGEM DA OBSERVÂNCIA DA GUARDA DO SÁBADO
Não "guardamos" o sábado, porque essa observância começou, na Dispensação da Graça, não pelo Novo Testamento, mas através duma "revelação" que White disse haver recebido, do 4° mandamento escrito fulgurantemente em alto relevo no céu, diante do que ela subentendeu que esse "sinal" estava exigindo o descanso sabático; mas a verdade é que dos 7.957 versículos do Novo Testamento versão ARA ou dos 7.956 da versão ARC, não há um só versículo que nos autorize a "guardar" o sábado.

7ª) HISTERISMO DE HELEN GOLDEN WHITE
Não podemos nos submeter a essa exigência de White, porque além de suas revelações falsas quanto à vinda de Cristo; vários comentaristas afirmam que o médico dela, o qual era também adventista, declarara que ela sofria de forte histerismo e que nas ocasiões de suas crises é que ela recebia as tais revelações, diante do que podemos declarar que seria loucura, insensatez ou no mínimo, fanatismo acreditare em tal profetiza.

8ª) RAÍZES DO ADVENTISMO NA AREIA MOVEDIÇA
Não somos adventistas do 7° Dia, porque se as raízes são santas, os ramos também são (Rm. 11:16,18), mas é claro que se as raízes são podres ou estão fundamentadas em areia movediça da mentira, conforme já vimos nas razões 3, 4 e 5. Então é óbvio, como a luz meridiana, que os ramos também são falsos e podres, e poderão ruir a qualquer momento, conforme ensina Mt. 7:15-27 acerca dos falsos profetas, da árvore má e da casa fundamentada na areia. QUE "PENA", NÃO É?!

9ª) HOMENS PIEDOSOS NÃO GUARDARAM O SÁBADO
Não observamos a "guarda" do sábado, porque além do Novo Testamento não requerê-la em parte alguma, os homens mais piedosos e mais usados por Deus que a História Sacra registra, depois dos apóstolos, como Spurgeon, Moody, George Muller, Lutero, Gunnar Vingren, Daniel Berg e muitos outros, jamais a observaram, entretanto foram indescritivelmente usados poderosamente por Deus, mesmo repousando aos domingos.

10ª) MANDAMENTOS DO DECÁLOGO REPETIDOS
Rejeitamos o adventismo do 7° Dia, porque assim como os católicos romanos falam em Maria cerca de 9096 mais do que de Jesus Cristo, assim fazem também os sabatistas com referência ao sábado. No entanto o Novo Testamento não reforça o 4° mandamento nem sequer uma vez, não obstante reforce todos os demais do decálogo. Vejamos, pois, esta pesquisa de alguém sobre os dez mandamentos em Êxodo 20:

O 1°, 20:2,3; é repetido em o NT 50 vezes;
O 2°, 20:5,6; é repetido doze vezes,
O 3°, 20:7; é repetido somente quatro vezes;
O 4°, 20:8-11, referindo-se ao sábado, ZERO vezes;
O 5°, 20:12, este é repetido seis vezes;
O 6°, 20:13; é também repetido seis vezes;
O 7°, 20:14; repete-se 12 vezes, já pensou?
O 8°, 20:15; este é repetido também seis vezes;
O 9°, 20:16; acredita-se que apenas quatro vezes;
O 10°; é repetido nove vezes. Entendeu bem???????

Encontramos estas repetições em Mt. 4:l0; 1 Jo. 5:21; Mt. 5:33, 15:27, 5:27, 19:18; Rm. 7:7; At. 17:23-31; 1 Co. 6:9,10; Ef. 4:28; Cl. 3:9; Tg. 4:11; Ef. 5:3; Mt. 3:17, 22:3,6-40; Mc. 9:7 e muitos outros. Não obstante os adventistas do 7° dia não conseguem ver nada disto devido ao véu que ainda estar neles. Veja Razão 55.

1lª) JESUS, O SENHOR DO SÁBADO DE VERDADE
Deixamos de lado a observância do repouso sabático, porque mesmo que os sabatistas digam que Mt. 12:8 revela o dia do SENHOR a ser "guardado," lembramo-lhes que Jesus estava explicando aos sabatistas da época, que embora eles cressem que o sábado era maior do que todos os demais mandamentos, mesmo assim, Ele, Jesus, era, é, e será sempre o SENHOR até do sábado e, portanto, tinha, tem e terá domínio sobre ele, podendo mudar sua observância ou encerrar sua ação quando bem LHE conviesse, conforme fizera no mesmo capítulo por eles acima citado, a partir de 9-14; Lc. 6:2...

12ª) JESUS NÃO GUARDOU O SÁBADO COMO QUERIAM
Discordamos dos pontos de vistas sabáticos, porque Jesus não "guardava" o sábado à maneira dos sabatistas, e isto Ele fazia, porque era SENHOR do sábado e não escravo dele; pelo que mesmo sendo fiel cumpridor da Lei, "guardava" não diferente que foi acusado por eles como quebrantador do sábado. Mt. 5:17; Jo. 5:10,16-18; 9:16, etcetara.

13ª) PROVA DO TRABALHO DE JESUS
Não aceitamos a insinuação dos sabatistas de que o sábado é o dia do Senhor mencionado em Ap 1:10, e que por isto deve ser "guardado", porque o próprio Jesus efetuou muitos trabalhos nos sábados. Vejamos, pois apenas alguns deles:
Curou a sogra de Pedro Lc. 4:38-39.
Curou o homem da mão mirrada Lc. 6:6-17
Curou a Mulher paralítica Lc. 13:10-17
Curou o paralítico e o mandou carregar a cama Jo. 5.
Fabricou lodo e curou com ele o cego Jo. 9:1-7, etc.
Ora, todas estas foram curas literais e não espirituais e se elas não foram trabalho, então os médicos não trabalham. A verdade, porém, é que o próprio Jesus Cristo disse: "Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também". Jo 5:17.

14ª) SINAL DA BESTA E OS SANTOS DO ALTÍSSIMO
Não conseguimos concordar com os adventistas do 7° Dia, porque eles afirmam que os não guardadores do sábado tem o sinal da besta, entretanto interpretando Dn. 7:25, declaram, na Pág. 149 do "Bible Readvys", que os santos do Altíssimo ali citados, são os crentes que foram mortos na Idade média pela inquisição da Igreja Católica Romana, quando na verdade eles nunca "guardaram" o sábado. Já pensou isto? Em um lugar eles dizem que os não guardadores do sábado tem o sinal da besta e em outro lugar ressaltam que são os santos do Altíssimo, assim sendo como seria possível crer em um sistema doutrinário tão contraditório?

15ª) ANJOS GUARDANDO O SÁBADO COM OS ADVENTISTAS
Pensando-se bem, nem de longe seríamos sabatistas, porque eles dizem, no "Espiritual Gifts", volume 1, pág. 13 e no "Biblical lntitute", pág. 145, que as hostes angelicais observam o sábado juntos com todos os sabatistas do mundo em um mesmo período. Entretanto sabemos que quando aqui no Brasil são 6h da manhã, no Japão já são 6h da tarde; diante do que é plenamente impossível, guardarem-no ao mesmo tempo ou no mesmo período. Finalmente, com quem estarão os anjos "guardando" o sábado, com os sabatistas do Brasil ou com os do Japão? Já pensou que dificuldade tremenda para os anjos satisfazerem a insensata interpretação dos "sapientíssimos" sabatistas? Aliás, até esquecem que o sábado foi feito por causa do homem e não por causa dos anjos. Mc. 2:27

16ª) NÃO PASSARÁ NEM UM JOTA NEM UM TIL...
De forma alguma ratificaríamos a observância da Lei e do sábado, defendida pelos adventistas com Mt. 5:18, porque quando Jesus disse que nem um jota e nem um til passariam sem cumprimento, indicava, é lógico, que depois de cumpridas essas observância passariam ou seriam abolidas quando Ele as cumprisse plenamente e estabelecesse Sua Nova Aliança registrada em Mt. 26:28; Lc. 22:20; 1 Co. 11:25; Hb. 8:8; 12:18-24, etc. Isto porque conforme At. 7:53; Rm. 3:12-31, 11:32; Gl. 3:22 e muitos outros, ninguém antes de Cristo cumprira a lei totalmente e por isto Ele veio cumpri-la corretamente, sem deixar passar nem um jota nem um til, para então tirar o primeiro e estabelecer o segundo concerto, conforme comprova Hb. 10:9.

17ª) A LEI jÁ ENVELHECIDA ENCERROU SUA AÇÃO
Temos fugido até agora do Velho Concerto, porque quando a Bíblia promete uma Nova Aliança, afirma, categoricamente, que a lª já envelhecera e estava perto de acabar, para dar lugar a uma Aliança SUPERIOR, Hb. 7:11,12; 8:13; 12:24; a qual nos salvaria do rigor do 1° Concerto e faria isto somente pela fé, sem ajuda do antigo ritualismo e nem do sábado, conforme nos garante o Novo Testamento em Jo. 3:16, 5:24, 18:36; Ef. 2:8,9; Rm. l0:16; Hb. 5:9, etc..

18ª) PROMESSAS AOS GUARDADORES DO SÁBADO
Não nos inclinamos a essas promessas feitas até aos estrangeiros observadores da "guarda" do sábado, conforme Is. 56:6 muito citado pelos sabatistas; porque no Novo Pacto não encontramos nem sequer uma promessa feita com referência a observância sabática, mas sim com referência ao temor, à fé, à obediência à Palavra, ao poder do Espírito Santo e ao sangue poderoso de Jesus Cristo, conforme lemos em Jo. 17:17; Rm. 15:16; 1 Co. 16:11; Hb. 13:12; 1 Pe. 1:22; 1 Jo. 1:7; Ap. 5:19, etc..

19ª) SINAL DE DEUS PARA ISRAEL E NÃO PARA A IGREJA
Não temos nenhuma obrigação de repousar no sábado, porque este é um sinal entre Deus e Israel e não entre Deus e a Igreja, e por que deveríamos nos intrometer naquilo que não nos pertence, não é de nossa conta nem de nossa competência? Veja, sem dúvida alguma, que esse mandamento da lei, prende-se unicamente a Israel, conforme comprovam os textos seguintes: Ex. 31:12-l7; Dt. 5:12-15; Ez. 20:10-12 e Ml. 4:4. Por que tomar o que é dos outros para nós? Lembrem-se que Pedro já dissera: "Não sofra, porém, nenhum de vós, como... quem se intromete em negócio de outrem; 1 Pe 4: 15, e é claro que esse negócio de sábado é com Israel e não com os gentios e com a Igreja.

20ª) SABATISTAS SENTENCIADOS PELO TEXTO SAGRADO
Sentimo-nos isentos dos deveres sabáticos, porque mesmo os sabatistas aplicando sobre nós Is. 56:10-12; Mt. 13:14, 23:1; Lc. 16:19-31 e 1 Jo. 2:3, mandando-nos ver neles a nossa sentença, é claro como um meio dia de verão, que se meditarmos imparcialmente nos textos recém-citados, constataremos evidentemente que no 1°, Deus falava para os próprios guardadores do sábado, conforme Is. 58:15; no 2° texto, Jesus atacara os próprios judeus e até os escribas e fariseus fanáticos observadores da lei e do sábado; no 3° observamos o rico chamando Abraão de pai, indicando assim que era judeu e, portanto, "guardador" do sábado, contudo estava em tormento, talvez por haver pensado que somente por "GUARDÁ-LO" estaria salvo, como alguns sabatistas atuais parecem pensar, uma vez que falam mais no sábado do que no próprio Jesus Cristo; e quanto ao 4° Texto, se o lermos até ao v.17, entenderemos, evidentemente que os mandamentos citados por João em nada se referiam ao sábado, mas sim á santidade e ao amor ágape; diante do que a sentença recai indubitavelmente sobre eles e não sobre nós, não está claro?

21ª) MANDAMENTOS E O SÁBADO EM O NOVO TESTAMENTO
Nem mesmo em sonho pensamos "guardar" o sábado, porque além do Novo Testamento repetir várias vezes a todos os mandamentos do decálogo, excetuando apenas o 4° mandamento referente ao sábado; quando o Novo concerto fala em mandamento, jamais se refere ao sábado como querem provar os sabatistas, citando-nos Jo. 15:11, 17:12,50; 1 Jo. 3:23, 4:21. Aliás já dissemos inúmeras vezes a alguns sabatistas, que quando eles nos apresentarem pelo menos um versículo dos 7.957 ou 7.956 vs. do Novo Testamento. (ARS ARC E MELHORES TEXTO EM HB E GREGO), dizendo-nos: "Descanse no sábado, observe o repouso sabático ou guarde o sábado"; seremos também sabatistas. Veja, porém, a razão seguinte.

22ª) LEI E MANDAMENTO EXTRA-DECÁLAGO
Não nos inclinamos às doutrinas sabáticos, porque os sabatistas tentam nos convencer, sofismaticamente, que quando o NT fala em mandamento, conforme 1 Jo. 2:3-5 e outros, refere-se ao decálogo; todavia sabemos que Deus falou antigamente pela lei e pelos profetas, mas por fim nos falou pelo Filho que é um com o Pai e deve ser honrado igualmente, Hb. 1:1,2; Jo. 10:30 e 5:23; diante do que a palavra do Filho é também lei e mandamento, conforme veremos na Razão 23. Além de tudo isto, o NT deu outros mandamentos, sem mencionar o decálogo e muito menos o sábado. Leia-se, pois: Mt. 28:18-20; Mc. 16:15; Jo. 21:15-17; At. 1:2; 1 Co. 14:37; 2 Jo. 9, etc..

23ª) NÃO ESTAMOS SEM LEI COMO INSINUAM OS SABATISTAS
Dizem os adventistas do 7° Dia, que nós, os evangélicos, vivemos sem lei por não nos dirigirmos pela sua cartilha interpretativa do Antigo Concerto, mas graças a Deus que ao abrogá-lo, não nos deixou sem lei como pensam os sabatistas, porém nos outorgou a lei de Cristo, o novo "Esposo", Rm. 7:1-6; chamada lei do Espírito de vida, Rm. 8:1, a qual atua bem diferente da antiga Mt. 5:11-22; Jo. 15:l0-l2; Gl. 6:2; 1 Co. 9:21; 1 Co. 3:22-24, 4:21. Vimos, pois nestes versículos, a lei e os mandamentos de Cristo sem se referir ao Sábado tem uma vez porque também o profeta já havia anunciado esta Sua nova doutrina por haverem passado as primeiras coisas. Is. 42:1-9.

24ª) O SÁBADO CRAVADO NA CRUZ COM A SUA LEI
Não nos preocupamos por não repousarmos no sábado religiosamente e sim no domingo, não somos condenados por Tg. 1:17 e Ap. 14:12; não estamos dizendo que há mudança de Deus e muito menos desobedecendo os Seus mandamentos, conforme dizem de sabatistas que estamos; mas bem ao contrário disto, estamos na verdade declarando com nossa observância do Novo Pacto: que Nele não há mudança nem falha Nm. 23:19; que Ele cumpriu, cumpre e cumprirá tudo o que predissera: estabelecimento duma Nova Aliança Jr. 31:31-34; a cessação da observância do sábado, Os. 2:11, etcetera. Isto porque havia se tornado um fardo para Deus, Is. 1:12,14 e também porque com o Novo Concerto chegou o tempo do sábado ser cravado na cruz com a lei, a fim de darem lugar à Nova Aliança e ao verdadeiro descanso em Cristo Jesus; porque sendo eles apenas sombras da realidade futura, ao chegar esta, tinham que pararem de atuar Mt. l:1-28,29; Gl. 2:16,17; Cl. 2:14; Hb. 4:6,9, etc..

25ª) SÁBADO "ESQUECIDO" PELO APÓSTOLO PAULO
Não nos lembramos da observância do sábado, porque o grande apóstolo supracitado também não se "lembrou" dela nem sequer uma vez em todas as suas epístolas; apesar de ser hebreu de hebreus e o mais intelectual e experimentado dentre os demais apóstolos, e haver sido altamente zeloso pela lei; mesmo assim pregou salvação pela fé, valorizou as boas obras, enfrentou terríveis perseguições dos sabatistas da época, combateu o bom combate e guardou a fé; enfrentou e venceu o mensageiro de Satanás e quando pediu a Jesus para afastar dele o tal mensageiro, o SENHOR lhe disse "a minha graça te basta" 2 Co. 12:9, sendo, pois, através dela que ele foi totalmente vitorioso e ainda acrescentou ser mais do que vencedor e que tudo podia Naquele que lhe fortalecia. Ap. 3:5; Ef. 2:8-l0; Gl. 5:16-21; 2 Co. 11:22-26; 2 Tm. 4:7,8; Rm. 8:37; Fp. 4:13. etc.. INCRÍVEL; não é? Paulo não contou nenhuma vitória pela "guarda" do sábado, não disse que a coroa estava reservada aos guardadores do sábado, não disse haver combatido o bom combate e guardado o sábado, não falou que para vencer o mensageiro de Satã foi preciso "guardou' o sábado e, finalmente, acerca da obrigatoriedade de guardar o sábado; zero e zero em todas suas treze epístolas. Será que ele escreveu mesmo desse tão importante mandamento dos sabatistas? Que coisa! Por que ele não escreveu nem sequer um vislumbre inerente à "guarda" do sábado, antes a combateu no tocante aos gentios? Rm. 3:21-28; Cl. 2:16-17.

26ª) A LEI E O SÁBADO ERAM APENAS SOMBRAS
Sentimo-nos desabrigados da observância de dias, porque até mesmo o sábado, outros ritos e a própria lei, eram simplesmente sombras registradas no Antigo Testamento para alertar a expectativa da realidade porvir: Cl. 2:14-17; Hb. 7:18, 8:5,13; l0:1,9; Gl. 2:21; 3:25; 4:9,l0 e Jo. 1:17. Ora se a realidade já chegou, por que voltarmos a permanecer nas sombras? Elas não nos ampararão das chuvas tempestuosas, escondamo-nos, pois, em Cristo.

27ª) O SÁBADO JÁ SE TORNARA ABOMINÁVEL.
Estamos absolutamente cônscios de nossa inculpabilidade nesse ângulo de observância sabática, porque o Deus Todo Poderoso que prometera o Novo Concerto, anulou o antigo não porque ele não prestasse mas porque já havia concluído o tempo determinado por Ele de tal forma, que já estava abominável diante dEle devido o abuso do povo, conforme nos revelam Jr. 31:31-34; Is. 1:13; 2 Co. 3:6; Hb. 6:12,18,19; 8:6-13, etc., etc.. Diante de tudo isto, como poderíamos, com bom senso, conservar na ativa algo já abominado e anulado pelo próprio Deus? Será que assim fazendo, os sabatistas não estão querendo ser mais sábios que Deus?.

28ª) JESUS CRISTO, O MOÇO RICO E O SÁBADO
Evidentemente nada temos com a observância da "guarida" de dias, porque o sábado era arraigado à lei da que Jesus Cristo citaria a parte más importante e más necessária pana o moço rico e esta não foi o sábado. Além disto o Mestre dos mestres ressaltou que dos dois mandamentos por Ele citados "dependia toda a Lei e os profetas." Mt. 22:3,5-40. Mesmo assim para os sabatistas, parece-nos que a observância do sábado é mais importante, considerando-se a primazia que lhe dão inúmeras vezes, todavia o Nazareno não a enfatizou nem sequer uma vez e nem mesmo naquela hora de tanto interesse do seu interlocutor. Aliás, quando Jesus falou no sábado em outras ocasiões, o fez em represália aos fanáticos sabatistas seus contemporâneos que censuravam incompassivamente os discípulos de Seu colegiado por estarem colhendo espigas em um dia de sábado, porém Jesus revidou aos tais acusadores, dizendo-lhes: "... Se vós soubésseis o que significa Misericórdia quero e não sacrifícios; não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é SENHOR". Mt. 12:1-8. Ora a nosso ver, foi mesmo que dizer: "Saibam, senhores sabatistas, que como Senhor do sábado, eu posso usá-lo e ou abrogá-lo a hora que se tomam necessário, mormente agora que já chegou o tempo da revelação do Novo Concerto, em cumprimento do que já fora predito por meu Pai. Concordam conosco?

29ª) ADULTÉRIO ESPIRITUAL DOS SABATISTAS
Corramos velozmente desse tipo de adultério espiritual, porque quando um crente delibera "guarda"'o sábado, está deveras praticando adultério espiritual, pois Paulo nos esclarece, em Rm 7:1-4, referindo-se à lei, que a mulher casada só pode pertencer a outro marido quando o primeiro falecer e Moisés legislou que se a divorciada voltam a pertencer ao primeiro marido, ficarão ambos em adultério, Dt. 24:34. Ora se o Velho Concerto tipificava o matrimônio espiritual de Israel com Deus, Jr. 3:14; 31:72 e o Novo Concerto revela o matrimônio espiritual da Igreja com Cristo, Jo. 3:29; Ap. 19:7, 21:9. Então repudiar a Nova Aliança pela a Antiga é, figurativarnente, um adultério espiritual. Aliás, o próprio Jesus classificou os escribas e fariseus, guardadores do sábado, de adultérios, Mt. 12:38,39 e provavelmente o Mestre se referia ao adultério espiritual registrado também em Jr. 2:20; 31:1; 16:20,28; Ap. 14:8; 17:4; 8:3; 19:2, etcetera. Coitadinhos dos sabatistas!

30ª) PAULO ENSINOU TODO O DESÍGNIO DE DEUS
Caso estivéssemos errados por não "guardarmos" o sábado, então muitos santos de Deus teriam errado antes de nós, pois o apóstolo aos gentios, o famoso Paulo, que era fariseu, filho de fariseus, e fariseu mesmo segundo a lei, At. 23:6; Fp. 3:5; e, por conseguinte, zeloso "guardador" do sábado; contudo ao se converter a Cristo, jamais mandou alguém o "guardar"; porém assim dizia: "Porque nunca deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus" At. 20:27; ao contrário disto declarava haverem crido em vão os que permaneciam "guardando" dias, e ainda classificou essas observâncias de rudimentos fracos e pobres, Gl. 4:9-1 1. Com quem vocês desejam ficar, com Paulo que ensinou todo os desígnio de Deus sem mandar "guardar" o sábado ou com os sabatistas que mandam "guardar" o sábado sem se preocuparem muito com os demais desígnios neotestamentários?

31ª) AS COLUNAS TAMBÉM NÃO GUARDARAM O SÁBADO
Um outro motivo que nos impede observar o repouso sabático, é verificarmos que além de Paulo, Barnabé, João, Pedro e Tiago; reconhecidos como primícias e colunas da Igreja primitiva, também não o "guardaram" e nem aconselharam a ninguém para "guardá-lo" e tampouco à lei, pois na verdade tendo sido ela abatida por Cristo, conf. Ef. 2:15; é claro que findou-se com ela o sábado e, porque anda teimar em conservar o que já foi abolido? Não seria isto tentar-se a Deus que elaborou o plano da lei até que chagasse "... a plenitude dos tempos (quando) Deus enviou seu Filho, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei..." (Gl. 4:4,5), a fim de estabelecer o plano da Graça que se manifestou salvadora a todos os homens? At. 15:5-11,13-20; Tt. 2:11.

32ª) TRABALHO INCESSANTE DE JESUS CRISTO
Nós, os membros da Assembléia de Deus, trabalhamos qualquer dia da semana que se tornar necessário, e fazemos isto sem nenhum medo de pecar, porque o próprio Jesus Cristo fez menção do Seu incessante trabalho dizendo: " Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também " Jo. 5:17; e Paulo assim exemplificou-se "Trabalhei de noite e de dia... "l Ts. 2:9 e ainda corrigiu os que não consideram todos os dias iguais e julgam os outros por causa dos dias de festas ou dos sábados. Rm. 14:5; Cl. 2:16. Diante de tudo isto por que fazer tanto cavalo de batalha devido a não observância do sábado? Será mesmo que os sabatistas são mais sábios do que o Dr. Paulo?

33ª) SÁBADO SEMANAL E SÁBADOS FESTIVOS
Realmente nos parece difícil a observância plena do sábado com precisa justiça, porque para guardarmos o referido sábado bem certinho, teríamos que "guardar" também os sábados festivos e os anos de descanso autorizados igualmente pelo mesmo Moisés e pela mesma lei Lv. 23:8,32; 25:1-4 e 8-21; Ex. 23:10,11; 25:1, etcetera. Ou os sabatistas "guardam" e observam direitinho todos esses descansos supra-referenciados? Se assim fazem parabéns, pois são de fato verdadeiros e fiéis escravos.

34) RESTA-NOS UM OUTRO REPOUSO NÃO SABÁTICO
Felizmente não nos afligimos sobre o repouso sabático, porque o Novo Testamento nos revela que não temos nenhuma obrigação com os sábados, "porque nós, os que temos crido, entramos no repouso, visto, pois, que resta que alguns entrem nele... Determina outra vez um certo dia... porque se Josué lhe houvesse dado repouso, não falaria depois... de outro dia. Portanto resta ainda um repouso para o povo de Deus... Procuremos, pois entrar naquele repouso..." Hb. 4:3-11,14,16. Ora, é indubitavelmente claro que o repouso do texto acima é espiritual e não terreal ou semanal como acreditam os sabatistas e se fosse referente a um dia da semana, este seria então o domingo, uma vez que fala de outro dia e não do sábado. Finalmente, que repouso será esse? Deixemos que a Bíblia responda: Is. 28:l0-12,16; Mt. 11:28,29; Ap. 14:13 e assim sucessivamente.

35ª) MULHERES DO NOVO TESTAMENTO GUARDAM O SÁBADO
Não seguimos o exemplo das mulheres que descansaram no sábado, conforme Lc. 24:56 e que são frequentemente citadas pelos sabatistas, porque elas tinham sobeja razão de assim procederem, pois além de serem judias, igualmente aos apóstolos; não haviam entendido nem sequer a ressurreição de Jesus tantas vezes por Ele pré-anunciada, como poderiam entender a abolição da lei e do sábado? Vejamos, porém, o que nos dizem Mt. 10:21; 17:23; Lc. 23:33,34, etc..

36ª) TERIAM ELES ESQUECIDO A GUARDA DO SÁBADO
Não aceitamos a argumentação dos sabatistas inerente ao exemplo das referidas judias, porque vários anos depois ainda houve polêmica entre os próprios discípulos acerca da observância da lei de Moisés ( At. 15:1-11), quanto mais naqueles dias quando nem sequer estavam aptos a ouvirem o que Jesus precisava lhes dizer, Mc. 4:33; Jo. 16:12. Leiamos, porém, At. 15:22-29 e perguntemos: Estariam os discípulos esquecidos do sábado que nem ao menos tocaram nele em tão decisiva resolução? Cremos que não, porque assim teríamos de concluir que Jesus também se esquecera, considerando-se que Ele jamais o recomendou aos seus seguidores conforme constatamos em Mt. 19:18,19; Lc. 24:6,7,11,25,35,45; Jo. 20:11-18,24,25 e assim sucessivamente. Você acredita haver Jesus sofrido de amnésia alguma vez?

37ª) DEVEMOS TAMBÉM PREPARAR AROMAS P/ MORTOS?
Se na verdade os sabatistas acham que devemos seguir o exemplo das mulheres recém-citadas, para igualmente "guardarmos" o sábado; então é lógico que deveríamos também preparar aromas para os nossos mortos, Lc. 23:56; 24:1; oferecer sacrifícios a Deus no nascimento de nossos filhos, Lc 2:24; raspar nossas cabeças religiosamente, At. 21:22-24 e praticar muitos outros ritos da lei conforme veremos na razão seguinte.

38ª) PERPETUIDADE DO SÁBADO USADA POR ELES
Discordamos das argumentações sabáticas, porque os sabatistas aproveitam-se de qualquer expressão que contenha a palavra sábado, para provarem, correta ou incorretamente, o dever dos gentios "guardarem-no"; haja vista que até alegam que somos obrigados a "guardá-lo" por ser ele um concerto perpétuo, Ex. 31:16; mas se assim fosse, teríamos que continuar celebrando a Páscoa, Lv. 16:29; praticando as lavagens e purificações, Ex. 30:21; comemorando as festas das primícias, do pentecostes e a dos Tabernáculos, Lv. 23:14, 2 Ts 1; igualmente deveríamos também nos circuncidar, Gn. 17:13. Saiba-se porém, que perpétuo significa durabilidade e vigência enquanto permanecer o concerto a que está arraigada aquela ação ou aquele ato, ou cerimonialismo; porém jamais significou eterno.

39ª) ESTARÃO OS SABATISTAS CUMPRINDO A LEI?
Ficamos cada dia mais cismado com os sabatistas, porque cremos que eles não cumprem fielmente as exigências da lei sabática, como sejam:
1. No sábado oferecia-se dois cordeiros incessantemente e não somente um como nos outros dias. Nm. 28:9 e 19;
2. Nele, colocava-se os pães asmos da proposição sobre a mesa sagrada, Lv. 24:5-8;
3. Nesse dia não se amarrava lenha e nem se acendia fogo, e se teimasse morreria. Ex. 35:3; Nm. 15:32;
4. No campo da guerra dos macabeus, morreram mil judeus por não se defenderem no sábado, 1 Mac 2:13;
5. No ano sabático o devedor era livre do seu debito e até os escravos eram libertos, Ex. 23:10,11; Lv. 23:3-7; Dt. 15:1-18.
6. No sábado só se podia andar cerca de mil metros, conforme vários comentaristas, Lc. 1:12; 24:50;
7. Deveria ser "guardado" do por do sol da 6ª Feira ao por do sol do sábado. Lv. 23:32. Ora, se eles não estiverem observando assim, estarão sendo transgressores e culpados diante de Deus de todos os demais mandamentos conforme Tg 2:10.

40ª) NÃO PARECEU BEM AO ESPIRITO SANTO
Continuamos de fronte erguida sem o repouso sabático, porque o próprio Espírito Santo, Consolador e Instruidor de todas as coisas necessárias, conforme Jo. 15:16,17; ao chegar o momento dos "colunas" da Igreja tomarem uma seria decisão sobre a polêmica dos judeus com os gentios inerente á lei, não teve como necessária a observância do sábado, como está escrito: "Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum..." At. 15:26 e 29, já pensaram, diletos leitores? Ao Espírito Santo, aos anciões e aos Apóstolos, não pareceu bem exigirem que os gentios "guardassem" o sábado, porém aos sabatistas lhes parece inapelavelmente indispensável. Que coisa! Será que eles se consideram mais sábios do que todos os supracitados?

41ª) GUARDAR TODA A LEI OBRIGATORIAMENTE
Permanecemos aquém da observância sabática, porque além do que já vimos, se alguém celebrar o sábado corretamente estará obrigado a "guardar" toda a lei e estará igualmente menosprezando o sacrifício vicário de Cristo. Todavia assim como o que se circuncida a Cristo de nada aproveitará, Gl. 5:2,3; cremos que o mesmo acontecerá com o "guardador" do sábado, isto porque aquele que transgredir um só mandamento da lei, já transgrediu toda ela, Mt. 5:19; Gl. 3:10; e ademais estará aniquilando a graça de Deus, Gl. 3:2,3; subjugando-se novamente, Gl. 5:1, e passando para outro evangelho, Gl. 1:6-9. Já pensou que situação lamentável a dos "guardadores" do sábado? Oremos, pois, por eles, encarecidamente.

42~) OCORÊNCIAS NO DOMINGO - O DIA DO SENHOR
Continuamos alheios à observância sabática, porque mesmo que fossemos aferrados ao domingo como os sabatistas ao sábado, porque nele Deus descansou; tínhamos razão para isto, pois se "guardamos" 21 de abril, 7 de setembro, 15 de novembro, etc, devido os ocorridos neles constatados, por que não considerarmos religiosamente o domingo se nele ocorreram coisas deveras importantíssimas? Vejamos, pois, algumas delas.
a). No domingo eram sacrificados dois cordeiros sem máculas, Lv. 14:l0; era movido o molho das primícias, Lv. 23:11; era oferecida a nova oferta dos mangares, 23:16; havia convocações e pleno descanso, 23:35,36 e Nm. 29:3, já evidenciado a mudança do descanso sabático. para o domingo logo que fosse movido o legítimo molho das primícias, isto é, Cristo e seus santos ressuscitados logo após a ressurreição DELE. l Co. 15:20,23; Mt. 27:52,53. Aí estão portanto, na própria Bíblia, os prenúncios do descanso no domingo.
b)E, de fato, nesse dia Cristo ressuscitou e foi movido da terra para o céu. Mt. 28:1-6.
c)No domingo Jesus apareceu a Maria Madalena e a outra Maria, Mt. 28:1,5-9.
d)Neste 1° dia semanal, um anjo enviou um recado a Pedro sobre a ressurreição do Mestre, Mc. 16.
e)No domingo Jesus pronunciou o Seu 1° ide importantíssimo para os Seus servos, Mc. 16:14-16.
f)Neste dia Jesus apareceu aos dois discípulos no caminho de Emaus, Lc. 24:13-19.
g)No domingo Jesus lhes abriu o entendimento para entenderem as Escrituras e fica para o descanso neste dia como já vimos na letra a, Lc. 24:27.
h)No 1° dia da semana, a pedra foi removida para ser visto o túmulo vazio, Jo. 20:1-6
i)No domingo os anjos e Jesus consolaram á Maria Madalena, Jo. 20:11-16.
j)Neste dia Jesus abençoou os Seus queridos discípulos. Jo. 20:19.
l)No domingo os discípulos se alegraram ao verem o SENHOR ressuscitado, Jo. 20:20.
m)No domingo Jesus soprou o Espírito Santo sobre os Seus discípulos, Jo. 20:22.
n)Neste dia Jesus outorgou autoridade aos Seus apóstolos, Jo. 20:23.
o)No domingo Jesus desfez, brandamente, as dúvidas de Tomé, Jo. 20:26-29.
p)Neste dia Jesus operou a pesca maravilhosa e provou a dedicação de Pedro, etc., Jo. 21:6-17.
q)No domingo muitos corpos de santos ressuscitaram e foram removido conforme já vimos, Mt. 27:52.
r)Neste dia os discípulos foram batizados com o Espírito Santo, At. 2:4.
s)No domingo Pedro pregou o seu 1° sermão, At. 2:14.
t)Neste dia cerca de 3 mil pessoas foram salvas, através da operação do Espírito naquele sermão, At. 2:41.
u)No domingo foi inaugurada a Igreja da Nova Aliança, cumprindo-se a promessa do Pai, At. 2:39,41-47.
v)Neste dia Jesus apareceu a João na Ilha de Patmos, Ap. 1:10.
x)No domingo era celebrada a festa do pentecostes ratificada pelo Espírito Santo ao batizar quase 120 discípulos, Lv. 23:16 e At. 2:1-7
y)Neste dia os apóstolos faziam suas reuniões, At. 20:7; 1 Co. 16:2; Ap. 1:1-10.
Diante deste alfabeto inerente ao domingo, aflora-nos novamente as seguintes perguntas: Por que em tantos encontros, conselhos e esclarecimentos do Mestre ressuscitado, nem uma vez Ele lembrou aos Seus a "guarda" do sábado? Por que Ele preferiu aparecer sempre no 1° dia da semana e não no sétimo? Não estaria Ele dizendo com isto a todos, que este era o Seu dia que deve ser comemorado? Será que Ele não estava fazendo subentender claramente, que assim como os discípulos haviam observado o descanso sabático porque no 7° dia o Pai descansara da obra da criação; assim também a partir de então, eles deveriam descansar no domingo por haver Ele ressuscitados e por tantas outras coisas nele realizadas. Certamente alguém perguntar-me-ia: "E por que Ele não explicou isto claramente?" Bem, a nosso ver houve duas razões para isto; a primeira, Ele usava muito falar em parábolas e os Seus estavam tão acostumados que nem sempre lhe pediam explicações por já haverem entendido o que Ele estava dizendo; e a Segunda, possivelmente porque nem todos os presentes estariam aptos a ouvirem, com clareza duma só vez, sobre a referida mudança já predita, coerente com o que Ele já dissera. Vamos Veja letra a e Jo 16.12.

43ª) PROVAS HISTÓRICAS SOBRE O DOMINGO
Nem sequer sonhamos ser adventistas do 7° Dia, porque para nós seria dissonante não "guardarmos" o domingo, porque além do que citamos recentemente, podemos provar historicamente, que o dia conhecido como DIA do SENHOR, era deveras o domingo e que era neste dia que os discípulos passaram a repousar conforme nos informam os primeiros servos de Deus que deram continuação à Igreja Primitiva, posteriormente aos apóstolos.
l°. Inácio, que foi discípulo do apóstolo João, escreveu em cerca do ano 100 d. C.: "Aqueles que estavam presos às velhas coisas, vieram a uma novidade de confiança, não mais "guardando" o sábado, porém vivendo de acordo com o Dia do SENHOR."
2°. Disse Barnabé, um outro discípulo do apostolado no ano 120 dessa era: "Nós guardamos o dia oitavo com alegria ... "
3°. Justino Mártir, no ano 140, também deu testemunho do descanso primitivo aos domingos.
4°. Bardesanes de Edessa, em 180 foi coerente com os três supracitados e assim vários outros. "O Sabatismo à Luz de Palavra de Deus", pg. 78-80 e "O Sábado, A Lei e a Graça," pg. 93.

44ª) FOI CONSTANTINO OU O PAPA QUEM MUDOU O SÁBADO?
Evidentemente os testemunhos bíblicos e históricos dos anos 100 a 180 depois de Cristo, bem próximo ao falecimento do último apóstolo, nos dão inteira confiança de que a Igreja Primitiva guardava deveras o domingo e não o sábado; como é que os sabatistas tem coragem de dizer que foi Constantino quem fez essa mudança em 321 ou o papa em 364? Ora, se foi Constantino, como foi que 43 anos depois o papa tornou a fazê-la? Se assim fosse, o papa teria mudado o sábado para outro dia da semana ou então para o sábado mesmo, o que não teria sentido; ou pelo menos teria ratificado o que primeiro já havia feito e não efetuado o que já estava efetuado. Já pensou que confusão tremenda fazem os sabatistas? Págs 383 -387 de "O Sabatismo À LUZ DA PALAVRA DE DEUS".

45ª) DOMINGO DEDICADO AO SOL
Não tememos mais esta sagaz insinuação dos sabatistas, porque quando eles nos acusam por guardarmos o domingo dedicado ao sol pelos pagãos, esquecem-se que não idolatramos o domingo e nem condenamos a ninguém que por necessidade trabalhe nesse dia, assim como fazem eles com o sábado que até dão o sinal da besta a quem não o guarda, conforme já vimos na razão 14, e não tememos suas acusações, porque seguimos o exemplo de Jesus e de Paulo que sempre trabalharam, conf. já vimos na razão 32 e ainda porque não vemos motivo para endeusamento de um dia, mas somente comemorá-lo e reserva-lo sensatamente para serviços espirituais como sempre fazemos.

46ª) INFLUÊNCIA DO POLITEÍSMO NOS DIAS
Nada do que dizem os sabatistas nos afeta, porque nos apoiamos na lógica, na Bíblia e na História e não na dedicação dos pagãos politeístas, pois além do que já dissemos acima, cientificamos ainda que a "Miscelânea Doutrinária", citando Basflio de Magalhães, esclarece-nos que "Em quase todas as línguas cultas da Europa, os dias sofreram a influência do politeísmo greco-romano e germânico. Em alguns, o domingo foi consagrado ao sol; a segunda à lua e o sábado a Saturno." Ora nesse caso, mesmo que não tivéssemos base bíblica e histórica para a "guarda" do domingo e tivéssemos que escolher um dia baseado na referida influência, sería-nos mais justo escolher o dedicado ao sol, do que o dedicado a Saturno, pois pelo menos Jesus é chamado o sol da justiça, Ml. 4:2 e Lc. 1:78,79; e Saturno é um planeta do sistema solar mas mitologicamente é um famigerado ídolo irmão de Titã e de Vênus; esposo de Réia e Tio de Júpiter, Saturno e Plutão, etc.. (EDIPE, pags 3.048). Bem, se é prazer então fiquem eles com o ídolo Saturno que nós ficaremos com o Sol da Justiça, amém?

47ª) A CEIA DO SENHOR E O DOMINGO EVIDENCIADA
Ficamos com o domingo, porque além de tudo que já ouvimos, o domingo é tão valorizado em o N. I, que até mesmo o aparecimento de Jesus aos Seus discípulos para as mais importantes revelações escatalógicas ocorreu no SEU DIA, as ofertas eram também recolhidas nesse dia e até mesmo a maravilhosa santa CEIA era celebrada no Dia do Senhor. Razão 42 e At. 20:6,7; 1 Co. 16:1,2, etc..

48ª) SERIA O SÁBADO MUDADO PARA O DOMINGO?
Repetimos aqui um pouco do que falamos na razão 35, para relembrarmos que somente após a ressurreição de Jesus Cristo e seus aparecimentos aos Seus discípulos, foi que Ele lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras, Lc. 24:45; porque muitas coisas Jesus não havia lhes declarado, como já vimos, porque eles e elas, não podiam ainda suportá-las naqueles primeiros dias, Jo. 16:12; e muitos comentaristas acreditam, e nós com eles, que uma delas era a mudança do repouso do sábado para o domingo, conforme já prevista no AI, coerente com o que já explicamos na letra a da razão 42.

49ª) O MOTIVO PORQUE A LEI FOI DADA AO POVO
Saiba-se, pois, que não "guardamos" a lei, porque depois do pecador aceitar Cristo como seu Salvador pessoal, assim como fez Paulo Atos 9, "... a lei que veio 430 anos depois, não invalida de forma a abolir a promessa" feita antes a Abraão. Isto porque, a lei "foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade... Logo a lei é contrária as promessas de Deus? De nenhuma sorte..." Mas a verdade é que "... se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé, fome dada aos crentes... De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fossemos justificados..." 2 Co. 3:11; Gl. 3:17-21. Querer, portanto, permanecer sob a lei depois de ler estes textos sagrados e muitos outros, é forçar a interpretação bíblica à qualquer custo, porque se a lei nos serviu de aio ou educador de crianças ilustres em ricos lares, até determinada idade; ao entregar-nos a Cristo despediu-se de sua nobre ação, porque então fazê-la voltar?

50ª) A LEI DUROU APENAS ATÉ JOÃO BATISTA
Não nos submetemos aos difames da lei, porque segundo o irrefutável Novo Testamento, a durabilidade ou " mandato" dela, prevaleceu somente até João Batista conforme Lc. 16:16; Mt. 11:13; Jo. 1:7, etc., e é claro que se assim não fosse, Jesus e Seus apóstolos não a teriam deixado totalmente sem a menor enfatizarão e por que deixá-los de ouvir para atender a Hellen Golden White?

51ª) JESUS NOS REMIU OU TIROU DE SOB A LEI
Estamos indubitavelmente cônscios de nossa isenção de lei, porque o Senhor Jesus Cristo veio nos remir ou tirar de debaixo da lei chamada por Paulo de ministério da morte, e se Ele veio para isto, por que ainda lutarmos para permanecermos sujeitos a ela? Você não acha que assim estaríamos desconsiderando e anulando o sacrifício DELE e procurando restabelecer um concerto já anulado por Deus? Dessa maneira você estará honrando ou desonrando a Deus? Comprove por você mesmo o que dissemos, lendo Gl. 2:16; 3:11 e 2 Co. 3:7.

52ª) MUDANDO-SE DE SACERDÓCIO, MUDA-SE A LEI
Ficamos plenamente tranquilos sem observarmos as exigências da lei, porque está escrito que havendo mudanças de sacerdócio, haverá também mudança da lei e uma vez que o sacerdócio mudou da ordem de Arão para a de Melquizedeque à qual pertence Cristo; é óbvio, como a luz meridiana, que a lei do sábado mudou automaticamente, e se ela mudou, por que trazê-la apulso de volta? Veja Hb. 7:1-17, 22-26; 8:6.

53ª) RETIRADO DO ANTIGO COMO AINDA VOLTAR?
Tememos fazer parte da lei, porque se depois da mulher se unir literalmente a um marido, só podia passar para outro quando enviuvasse ou se divorciar-se, e caso se unisse a outro fora desse regulamento cometeria adultério, 1 Co. 7:39; Mt. 19:9; assim também nós que já fomos remidos ou tirados do Velho Concerto para o Novo; é claro que se voltarmos a ele estaremos cometendo adultério espiritual, igualmente aos sabatistas mencionados na razão 29. Aliás, nem sequer podemos voltar a ele, porque já deixou de existir conforme já vimos na razão 24. Assim sendo, continuemos felizes com Cristo e Seu Novo Concerto, amém?

54ª) FINDADA EM CRISTO COMO REATIVÁ-LA?
Lamentamos em constatar muitos escravizados pela lei que já terminou sua vigência, porque na realidade a lei findou-se plenamente em Cristo que veio cumpri-la em sua plenitude, conforme nos mostram claramente os seguintes versículos: Mt. 5:17,18; Rm. 1; Lc. 24:44; Cl. 3:19; Hb. 10:9. Desastre, uma vez finda e isto por Deus por que reativá-la?

55ª) O VÉU AINDA EXISTE PARA MUITOS
Desculpemos essa cegueira deles e oremos pelos esforçados sabatistas, porque se eles não percebem tudo isto que já revelamos, certamente é devido o véu do Velho Concerto que anda permanece sobre eles; mas quando permitirem que o véu lhes seja tirado, então entenderão alegremente que a lei findou de fato a sua ação, conforme nos ensina 2 Co. 3:3-14.

56ª) SEPARADOS DE CRISTO E CAÍDOS DA GRAÇA
Pensemos mais sério na triste situação dos sabatistas, pois a Bíblia diz claramente que aqueles que se justificam pela lei, estão separados de Cristo e caídos da graça e acrescenta que é pelo espírito da fé que aguardamos a esperança da justiça "Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo." Gl. 5:4,5 e 14. Já pensou que sentença pesada essa deles?

57ª) NINGUÉM JUSTIFICADO PELA LEI
Continuamos porém avesso ao sabatismo, porque além de tudo isto, sabemos da inutilidade desta tentativa de ser aperfeiçoado pela lei, porque por ela ninguém será justificado diante de Deus, mas sim pela fé advinda pela pregação do Evangelho que é poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, At. 13:39; Rm. 1:10; 3:20;5:1; 10-17; 12:16.

58ª) A LEI E SUA TREMENDA ESCRAVIDÃO
Deus nos guarde de sermos sabatinos e nos ajude a glorificar mais e mais a Jesus pela maravilhosa libertação que Ele nos deu, porque na verdade já fomos libertados da lei para servirmos a Deus em novidade de vida e do Espírito, e não na caduquice da letra como fazem os sabatistas. Veja-se, pois, Rm. 8:15; Gl. l4:7,23; 5:1.

59ª) A LEI NUNCA APERFEIÇOOU
Nunca buscamos ser sabatistas, porque nossa perfeição vem pela graça através da fé, porque a lei nunca aperfeiçoou nem mesmo aos más intransigentes guardadores do sábado, conforme Hb. 7:1-19; 8:13.

60ª) PELA FÉ E NÃO PELA LEI
Nada queremos com a lei, porque nosso pai na fé chamado Abraão, recebeu a promessa pela fé e não pela lei. Nós também, como seus filhos, recebemos as promessas da salvação e do batismo com o Espírito Santo pela fé e não pela lei, At. 2:39; Rm. 4:13; Gl. 3:2, etc.

61ª) A LEI EXIGE SILÊNCIO DOS SEUS ADEPTOS
Queremos ficar sempre distantes da lei, porque ela exige silêncio dos seus seguidores e que permaneçam de bocas fechadas para não serem condenados (Rm. 3:19), diante do que, pensamos muitas vezes, como se arranjarão os sabatistas falando tanto até contra os verdadeiros servos de Deus.

62ª) JUSTIÇA SEM LEI PELA FÉ EM JESUS CRISTO
Alegramo-nos por não pertencermos a lei já abrogada, porque mesmo que estivéssemos sem lei, como dizem os sabatistas que estamos, ainda assim estaríamos seguros, porque após o estabelecimento do Novo Concerto, manifestou-se a justiça de Deus sem lei e sim mediante a fé, Rm. 3:21,22; 5:1.

63ª) AMOR CUMPRINDO TODA A LEI
Ai está mais um motivo porque não "guardamos" a lei, pelo que damos graças a Deus pela segurança de Sua infalível e santa Palavra que assim nos garante: " Aquele que ama a seu irmão, já cumpriu a lei." Já pensou que maravilha para os que não pertencem mais ao Velho Concerto? Mt. 7:12; Rm. 13:6-10; Gl. 5:14.

64ª) A LEI DOS MANDAMENTOS ABOLIDA
Regozijam-nos por não termos deveres para com a lei, isto porque no tempo aprazível, o Senhor Jesus Cristo já aboliu a lei dos mandamentos, através dos sacrifícios de Sua carne, cravando a referida lei na cruz, e graças a Deus que das 400 e tantas vezes que a palavra lei ocorre na Bíblia, nenhuma delas faz distinção de lei moral e cerimonial; além disto o texto diz claramente que foi abolida a lei dos mandamentos o que deve ser grande tristeza para os sabatistas que gostam tanto de citá-la, Ef. 2:15; Cl. 2:14; Hb. 7:16,18; 10:9.

65ª) A LEI SIMBOLIZADA COMO SENDO ESCRAVA
Caso quiséssemos ser escravizados, abraçaríamos a lei como fazem os sabatistas, pois Paulo fez uma significante e bonita alegoria de Agar, a escrava, representando a lei; e de Sara, a livre, representando a graça; e ressaltou que nós, os crentes somos filhos da livre; diante do que fica evidentíssimo que os filhos da escrava são os fiéis guardadores da lei e do sábado. Conferir em Gl. 4:12-31.

66ª) TRABALHAR SEIS DIAS TAMBÉM É MANDAMENTO
Não valorizamos os "sapientíssimos" argumentos dos sabatistas, porque eles nem sequer notam que o 4° mandamento tão badalado por seus mestres, e que ordena a "guarda" do sábado, igualmente ordena: "Seis dias trabalharás" Ex. 20:9; mas será que os sabatistas estão observando este versículo ou só estão alertas para o versículo dez que manda descansar? Será que só pensam em repouso? "Eles só pensam, só pensam em repousar; eles só pensam, só pensam em repousar..." "Será que eles estão esquecidos de Mq. 2:10 que diz: "Levantai-vos, e andai, porque não será aqui o vosso descanso..." Lembrem-se que Paulo disse: "Aquele que não quiser trabalhar, também não coma". 2 Ts. 3:10. Diante disto: "Seis dias trabalharás".

67ª) CONCERTO ANULADO PELO NOVO CONCERTO
Pois bem, não nos apegamos á lei nem á guarda de dias, porque se a nossa justiça viesse delas, Cristo teria morrido em vão, Gl. 2:21; porque a observância de dias não tem nenhuma influência sobre a dispensação da graça, Rm. 14:5; Gl. 4:9-11; Cl. 2:16,17; e porque Deus prometeu e outorgou um Novo Concerto que anularia e deveras anulou o primeiro que não foi nem poderá ser por nós revigorado, considerando-se Is. 1:13; Jr. 31-34; 2 Co. 3:6; Hb. 6:12,18,19; 8:6-13.

68ª) DOADORES DA LEI E DA GRAÇA
Alheiam-nos da lei, porque ela foi dada por Moisés devido a transgressão do povo, conforme já vimos na razão 49; todavia a graça e a verdade irrefutáveis vieram por Jesus Cristo, conforme constatamos com Jo. 1-17; Mt. 3:17; Mc. 9:7; At. 20:20,27. Destarte, permaneceremos com esta porque já veio para substituir àquela que já tinha sua abrogação preanunciada pelo próprio Deus.

69ª) CONFRONTANDO A LEI COM A GRAÇA
Sentimo-nos muito bem isentos da lei, porque confrontando um pouco a lei com a graça para pesarmos melhor o valor de ambas, deparemo-nos com esses catorze importantíssimos tópicos infracitados. Leia, pois, meditativamente as suas diferenças:
l. A lei traz o conhecimento do pecado, Rm. 3:20; a graça superabundou onde o pecado abundou, Rm. 5:20.
2. A força do pecado é a lei, a graça se manifestou salvadora a todos os homens, l Co. 15:56; Tt. 2:11.
3. A lei suscita a ira, a graça nos salva mediante a fé e por nada mais, Rm. 14:15; Ef. 2:8,9.
4. Moisés foi o mediador do Velho Concerto; Cristo do Novo e Melhor Concerto, Ex. 34:27,28; 2 Co. 3:3-4 e 14; Hb. 8:6-9 e 14.
5. O Antigo Concerto foi gravado em pedra, o Novo foi escrito em nossas corações, 2 Co. 3:3-7.
6. O velho é chamado de ministério da condenação, o Novo, ministério da justificação, 2 Co. 3:9; At. 13:38,39.
7. O velho é um jugo de servidão, o novo nos traz verdadeira liberdade, Co. 3:17; Gl. 5:1.
8. O Antigo é chamado ministério da morte, o Novo, porém, nos vivifica, 2 Co. 3:6,7.
9. O Velho era deveras transitório, o Novo era, é, E será permanente, 2 Co. 3:11.
10. O Antigo exige a santificação de um dia, o Novo considera todos os dias iguais, Ex. 20:8; Rm. 15:4,5,6.
11. O Velho ordena: "Faz e Viverás", o Novo garante: "Crê no Senhor Jesus Cristo e Serás Salvo, Tu a tua Casa", Lv. l8-5 e At. 16:31.
12. No AT, "guardava-se" o sábado porque nele Deus descansou; no Novo, o domingo, porque nele Cristo Ressuscitou, Gn. 2:2; Mt. 28:7.
13. No Velho as reuniões eram mais no sábado, no Novo, comumente aos domingos, At. 17:2; 20:7; 1 Co. 16:2.
14. Ao ser dada a lei, Israel pensou que iria morrer porém na selagem da Nova Aliança da Graça, foram salvas quase 3 mil pessoas, Dt. 5:23-25; At. 2:42.

70ª) A LEI É SANTA, JUSTA E BOA
Continuamos bem felizes por nossa salvação pela graça, porque apesar da lei ser santa, justa e boa; tinha apenas a incumbência de aio ou pedagogo para nos levar a Cristo, havendo chegado a plenitude dos tempos a lei executou o plano de Deus que lhe fora conferido e retirou-se da "plataforma". Por haver concluído sua missão, é tanto que se ela fosse uma pessoa, teria falado similarmente a João Batista: "E necessário que o Novo Concerto cresça e que eu diminua." Jo. 3:30; Rm. 7:12,l6; Gl. 3:24.

71ª) OUTRAS SUBTILEZAS DOS ADVENTISTAS
Ser-nos-ia impossível pertencer ao sabatismo, porque além doutras aberrações, White, a profetisa madre desse sistema sabático, declarou no "The Greast Controversy" pg. 268 e no "Spiritual Gist," volume 1, pg. 171; que "a porta da graça se fechara" no ano de l844. Assim sendo, nada adiantaria ser sabatista ou membro de qualquer outra denominação, uma vez que a Bíblia diz: "Pela graça sois salvos". Nossa felicidade, porém, é que a porta foi fechada por eles, mas graças a Deus que a Bíblia jamais a fechou) consoantes com o que lemos em Mt. 25:10-12; Lc. 23:24,25; 1 Ts. 4:13-17; 2 Ts. 2:7-12, etc. Ora, é totalmente claro que a porta da graça só se fechará quando Cristo arrebatar a Sua Igreja, conforme os vs. supracitados.

72ª) ANIQUILAMENTO DO ÍMPIO COM O DIABO
Como seríamos sabatistas se as vezes chegamos até a pensar que eles escrevem dormindo, porque similarmente aos Russelitas, afirmam que o ímpio será aniquilado com o diabo, no entanto a Bíblia diz que Deus pôs a eternidade no coração do homem, Ec. 3:11,14 (ARA), e que os ímpios serão atormentados eternamente, mas como seriam atormentados já aniquilados por eles? Nós, porém, ficamos com a Bíblia que assegura serem os ímpios lançados no inferno para o tormento eterno, coerente com Mt. 18:8,9; 25:41,46; Ap. 14:10,11; 19:20; 20:10-15; 21:8; Is. 33:14; Sl. 9:17; Pv. 15:24. Saiba-se também, que existem vários outros versículos revelando-nos que quando a Escritura fala de aniquilamento, refere-se ao corpo terreal e não ao espírito, conforme Ml 4:1-3, que falando de povos, dizem-nos que não lhes deixará nem raiz, nem ramos. Por isto o vidente exclamou: "Ai, ai dos que habitam na terra!" Ap. 8:13; 6:4; 13:8.

73ª) ALMA E ESPÍRITO DORMINDO NA COVA
Deixam-nos perplexos as declarações do sabatistas quando dizem, igualmente aos russelitas, que a alma e o espírito dormem com o corpo na sepultura, ficando, portanto, inconscientes. Entretanto a Bíblia evidencia que o espírito e a alma saem do corpo na hora que ele expira, senão vejamos Gn. 35:l8; Hb. 17:20-22; Jó 34:14,15; Ec. 12:7; Tg. 2:26; Sl 90:l0; 146:3,4; Ap. 6:9-11; Lc. 16:19-31 e quando a Bíblia fala de dormir no túmulo, refere-se ao corpo e não ao Espírito, conforme At. 7:56,60; Mt. 27:52, 1 Ts. 4:13,14. Incrível, Estêvão, cheio do Espírito Santo e contemplando o céu aberto e Jesus á direita do Pai; mesmo assim não sabia que o seu espírito tinha que dormir com o corpo na sepultura e por isto clamava: "Senhor Jesus recebe o meu espírito" Em quem devemos crer, em Estêvão ou nos sabatistas? Lembre-se também que em Mt. 27:52, eram os corpos dos santos que figurativamente dormiam no pó, pois foram eles que ressuscitaram e não os seus espíritos, e medite que em 1 Ts. 4:13,14; Deus trará os espíritos dos santos em companhia de Jesus, mas de onde? Do sepulcro? Não, é claro que não, pois Crista não virá do sepulcro mas do céu e uma vez que eles virão com Jesus, então estarão vindo do paraíso e não da sepultura, deixando assim por terra a terrível interpretação adventista.

74ª) SONO OU REPOUSO NO PARAÍSO OU 3° CÉU
Espanta-nos o ser sabatista, porque mesmo certo de que não cometemos nenhuma contradição, alguns deles ainda poderão argumentar: "Mas você não disse que o espírito não dorme e como os versículos recém-citados falaram que dormem?" Bem, nós falamos que o espírito não dorme com o corpo no túmulo, mas se há sono no paraíso, o que não cremos, foi lá que eles "dormiram" e não na cova; mas a verdade é que esse dormir de 1 Ts. nos fala do repouso do espírito naquele lugar delicioso e não de sono literal e para chegarmos a uma conclusão real disto, basta-nos meditar em Lc. 23:43: Ap. 6:9-11; 1 Co. 15:51,52 e 1 Ts. 5:10.

75ª) O BODE EXPIATÓRIO REPRESENTA SATANÁS?
Ainda estamos fugindo do sabatismo, porque eles chegam até a dizerem, nas pgs 167,168 e 403 do"Bible Readvys" que o bode emissário de Lv 16.5- lo, 20-22 "representa Satanás, sobre o qual Deus lançará o pecado dos remidos e o enviará para o inferno." Ora se assim fosse, Satã teria parte em nossa remissão, mas "que concórdia há entre Cristo e Belial?" 2 Co. 6:15. Além disto a Bíblia confirma que Cristo tomou sozinho sobre si os nossos pecados, conforme veremos em Sl 49:7,8; Is. 53:6,11,12; Rm. 3:8; Ap. 19:15. Bem, mas eles afirmam isto tão categoricamente, que perece-nos melhor não duvidar da magnífica visibilidade deles, pois quem sabe se eles não viram mesmo Deus colocando os pecados deles sobre Satanás para levá-los para o inferno? Deixemos isto com eles, porém quanto aos remidos pelo sangue de Cristo mediante a graça e não mediante o sábado, nada tem a ver com essa ajuda de Satanás.

76ª) ANIQUILAMENTO DO ESPÍRITO HUMANO
Ainda não nos chegou vontade de sermos sabatistas, porque seria um verdadeiro contracenso crermos no referido aniquilamento uma vez que o espírito nem sequer morre literalmente, e além disto a Bíblia diz, meridionalmente, que Deus é o Pai dos espíritos, e é deveras evidente que os filhos sempre são semelhantes aos pais, aliás isto é plenamente bíblico, e se Deus jamais morreu nem morrerá, tem concedido ao espírito o privilégio de jamais ser aniquilado o que é ilógico ante-bíblico, não é verdade? Leia, porém, Jo. 4:24; Zc. 12:1 e Gn. 1:26,27 e veja que não dá mesmo para sermos sabatistas.

77ª) SIMULADO COLÓQUIO DA LEI COM A GRAÇA
Quanto mais estudamos este assunto, mais distante ficamos da lei, e já tendo ido muito além do que prevíamos escrever, queremos concluir neste ínterim, as nossas setenta e sete razões do porquê não somos adventistas do 7° Dia, elaborando este simulado colóquio da lei com a Graça, baseado no livro de Abraão de Almeida, intitulado: "O SÁBADO A LEI E A GRAÇA." ( I ) LEI: Eu sou a Lei de Deus que tenho a expressa ordem de orientar rigorosamente os judeus, exigindo deles e de quem mais me aceitar, uma total obediência a todos os meus ditames, pois ao contrário os matarei; Dt. 28. (2) GRAÇA: Eu sou a Graça de Deus que me manifestei salvadora a todas as criaturas humanas que a mim vierem e tenho a especial missão de oferecer-lhes perdão gratuito e também resgatá-los do teu rigor; Tt 2:1 1. (3)LEI: Diante do que você me disse, informo-lhe que tenho muitos adeptos que não desejo vê-los fora da minha gestão, porque eles se esforçam tenazmente para me obedecerem, todavia sempre estou encontrando neles bastantes defeitos: Que diz você acerca de mim? Rm 3:23. (4) GRAÇA: Digo que você fez o que lhe competia fazer, aplicando seu rigor até que chegou a plenitude dos tempos, quando deveras te despedires para sempre, deixando os homens a meu critério, muito embora não me conforme com o desprezo que eles me dão; Gl. 4:4; Ef. 2:8,9. (5) LEI: Você sabe que os meus escravos me classificam de lei moral e lei cerimonial, quando precisam se defender das declarações neo-testamentárias a meu respeito? (6) GRAÇA: Sei perfeitamente isto, mas das "400" vezes que você aparece no texto sagrado, não encontramos esses sobrenomes lhe acompanhando nenhuma vez, mas apenas lei, Lei de Deus, Lei de Moisés etc, se bem que existem em você muitos preceitos morais e cerimoniais. (7) LEI: Por que então seus discípulos mudaram o dia de descanso do sábado para o domingo? (8) GRAÇA: Eles não mudaram dia nenhum, o sábado e o Domingo continua nos seus devidos lugares, eles simplesmente deixaram de repousar no sábado para repousar no domingo. (9) LEI: Você pode me revelar na Bíblia, qualquer prenúncio da observância do repouso no domingo? (l0) GRAÇA: Sim, principalmente em Lv. 23:11,16,35 e 36 que falam claramente de repouso no 8° dia. (l1) LEI: Mas se Deus, o Criador Todo-Poderoso, descansou no 7° dia, não é mais correto que eles assim o fizessem também? (12) GRAÇA: Não, porque o pecado que entrou no mundo interrompeu o descanso de Deus de tal forma, que Ele voltou a trabalhar, em prol da humanidade, tão encarecidamente que trabalha até agora e o Filho trabalha também, porque certamente esse repouso só será restabelecido plenamente no milênio; Jo 5:17; Hb. 4:9, etc. (13) LEI: você quer me explicar precisamente, porque seus discípulos descansam no domingo, se o Todo-Poderoso descansou no sábado? (14) GRAÇA: Porque Deus descansou naquele dia com muito regozijo por haver concluído a grande obra da Criação, e meus discípulos descansam no domingo pelos diversos motivos já exarados nas razões 42 a 48. (15) LEI: Você lembra-se das bênçãos prometidas aos guardadores do sábado e bem registradas no capítulo cinqüenta e seis de Isaias? (16) GRAÇA: Lembro-me e afirmo que são verdadeiras, todavia, lendo-se o texto direitinho, conclui-se que as referidas promessas falam para os futuros dias do milênio. (17) LEI: Então você acha que eu, mesmo sendo justa, santa e boa, não devo ser cumprida pelos seres humanos? Rm. 7:12. (18) GRAÇA: Bem, acredito que para os judeus do inicio e para os não convertidos do presente, isto foi e deve ser muito importante, uma vez que você diz: "Não fará obra alguma no dia sétimo" Ex. 31:14; Dt. 5:14; um homem foi apedrejado por apanhar lenha no sábado, Nm. 15:33-36; "Não acendereis fogo... no dia de sábado... " Ex. 35:3. Até a distância que podia caminhar nesse dia era regulamentada por você, At. 1:12 e assim sucessivamente. Perguntamos-lhe: Será que seus adeptos estão lhe obedecendo em tudo isto e muito mais? (19) LEI: Parece-me que seus seguidores estão me colocando de lado, a fim de não obedecerem a palavra que Deus me conferiu e o que será deles? (20) GRAÇA: Não, ao invés disto, eles são quem estão se colocando de lado, porque já morreram para você, uma vez que se alguém quebrar um dos seus mais pequenos mandamentos, será culpado de todos os outros. Todavia eles morreram para você e esconderam suas vidas em Cristo, ficando salvos pela minha ação através da fé; Tg. 2:l0; Gl. 3:l0; Rm. 7:14; Cl. 3:3, etc. (21) LEI: Nos versículos supracitados o apóstolo se refere á lei cerimonial e não á lei moral que é a regra da vida para o pecador e p/ o cristão. (22) GRAÇA: Bem, de conformidade com a Bíblia, você é um sistema composto de mandamentos e regras que revelam a culpa e a maldição do pecador, sendo, portanto, uma corrente e quem quebra um elo seu quebrou a você toda. Ora, a Circuncisão nada era, mas Paulo mesmo disse: Protesto a todo o homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei; Gl. 2:19,20; 3:l0; 5:3,20; Rm. 3:19,20; 7:9-23; 1 Tm. 1:8-l0. Destarte você não é base e nem regra de vida para os cristãos, pois esses estão deveras em Cristo e não em você; Jo. 3:3; 2 Co. 3:3; Ef. 4:20,21; Fp. 3:14, etc. (23) LEI: Para que então deveria alguém cumprir minha justiça, se eu não sou base nem regra de vida para o pecador e o cristão? (24) GRAÇA: Na verdade isto não se faz necessário depois da manifestação do Novo Pacto, porque encontramos todas as bases de regras e instruções no próprio Novo Testamento, e Paulo já dissera que "se a justiça provem da lei, segue-se que Cristo morreu debalde... "Porque o fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê..."Pois "se dada fosse uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei" Gl. 2:21; Rm 10:4, etcetera. (25) LEI: Ao ouvir todo o seu argumento, observei que você fugiu agora de explicar sobre o sábado que faz parte da justiça da lei. (26) GRAÇA: Então saiba que o sábado se completa moralmente em Cristo; Mt. 11:28,29; Por que voltar-nos-íamos para uma fraca sombra que não pode justificar, nem salvar e nem ensinar no "Colégio "do Nazareno? Será que o novo marido de uma divorciada a mandaria se comportar conforme as regras do velho marido? Não? E para que a esposa do Novo Concerto, teria obrigação de continuar aprendendo com o seu ex-esposo chamado Velho Concerto? (27) LEI: Tudo que você me falou, parece-me correto, mas não posso deixar de lado o sábado, considerando-se que até Cristo o guardou. (28) GRAÇA: Sem nenhuma sombra de duvida, cientificamos-lhe que Cristo como verdadeiro judeu e exemplo para eles, nascido sob você, conhecedor seu e que veio para lhe cumprir tinha deveras o dever de lhe cumprir e, de fato assim o fez, não obstante tenha sido atacado por não lhe observar á maneira dos fanáticos sabatistas da época, mas mesmo assim Ele lhe pôs em prática corretamente, embora soubesse que iria morrer sob sua maldição, contudo assim fez Ele para que você fosse cumprida sem passar um jota nem um til, a fim de não mais procurar dissuadir os meus discípulos. Entendeu bem? (29) MÚTUO AGRADECIMENTO LEI: Obrigada irmã Graça pelas explicações que você me deu. Julgo-me bem esclarecida e estou plenamente cientificada que na verdade fomos planejadas por um só Deus, Para fins diferentes, sendo que minha missão cessaria tão logo a plenitude dos tempos chegasse com sua manifestação e especial missão; portanto estou certa do fim do meu trabalho e despeço-me dizendo: É necessário que você cresça e que eu diminua. (30) GRAÇA: Irmã Lei, sou eu quem devo lhe agradecer por me haveres ouvido pacientemente. Ressalto, porém, que sua função foi muito nobre e espinhosa como pedagogo por quase 1.500 anos, preparando milhões e milhões de "crianças" para passa-las a minha liderança. Portanto tinhas que ser deveras rigorosa, e já pensasses como seria difícil para mim se não tivesses feito tanta preparação? Assim sendo, jamais poderíamos ser inimigas, pois trabalhamos para um só Deus. Recolhe-te, pois, em paz e mui feliz pelo que desempenhaste. Siga em paz, deixando-me em paz, e eu prosseguirei até Deus deliberar fechar de verdade a minha porta que permanece bem aberta, conforme a razão 71. Até já, amém.

CONCLUSÃO. Foi tudo quanto pudemos preparar para você prezado leitor. O assunto é muito vasto e complexo. Esperávamos fazer este muito mais resumido, todavia vemos agora que bom seria haver elaborado um trabalho bem maior que este, mas mesmo assim trabalhamos várias noites até uma, duas e três da manhã e também vários dias das 8 ás 18h, exceto as interrupções para atendimento á várias pessoas. Ressaltamos que misturamos bastante nossos pensamentos com os de outros comentaristas, portanto se aparecerem algumas frases de outros não aspadas, foi por equívoco e não por plágio. Aconselhamos-lhe, porém, que leia este todo pacientemente e sempre confrontando os vs citados com a Bíblia e muito obrigado pela preferência. Todavia não esqueça de orar por nós para que Deus nos guarde da ira deles...

Atenciosa e mui Cordialmente, Solon Teixeira Gomes.
Ministro do Evangelho
CGAB 4735 e OMEB 3.441

Publicado aqui por Éber Stevão