sexta-feira, 23 de abril de 2010

QUANDO ACONTECERÁ O ARREBATAMENTO? PARTE I

O arrebatamento pode ser de uma forma bem diferente daquela que você pensa ou que aprendeu na sua igreja! "Mas Éber, fui ensinado dessa forma na minha igreja!" Nada mais me impressiona de tudo o que estão falando nas igrejas. Os tempos são maus e toda sorte de doutrina demoníaca tem saído de púlpito de igrejas cristãs. Porém, vamos hoje aprender com o Espírito Santo o que diz a Bíblia.

Será que os mortos realmente viverão novamente?

Existe uma diferença fundamental entre o Cristianismo e outras religiões. Os cristãos acreditam que serão fisicamente ressuscitados dentre os mortos. Eles não esperam ser reencarnados ou transmigrados em uma outra forma, outra espécie ou um outro corpo.

Jesus ensinou aos seus discípulos que os nascidos de novo "nunca morrerão". O espírito de um homem é eterno, e seu corpo será ressuscitado na hora marcada e será alterado de mortal para imortal, e viverá para sempre no reino de Jesus Cristo. A Bíblia é muito clara e fortemente ensina esta doutrina.

Jesus esteve morto por três dias, mas voltou à vida. Posteriormente, ele foi referido como "as primícias" dos que dormem. (1 Coríntios 15:20). A ressurreição de Jesus estabeleceu um precedente eterno. Se Jesus Cristo pode levantar-se do túmulo, saiu do túmulo, e ascendeu ao céu, esse fato abre infinitas possibilidades para outros humanos. A ressurreição de Jesus não era para ser exclusivamente para ele. Ele disse várias vezes que iria levantar dentre os mortos, todos aqueles que nEle creem.

“E esta é a vontade do Pai que me enviou, que de tudo que ele me deu eu não perca nada, mas deve levantá-lo novamente no último dia. E esta é a vontade daquele que me enviou, para que cada um que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia.” (João 6:39-40, ênfase minha).

"Nenhum homem pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia." (João 6:44, ênfase minha).

Obviamente, os apóstolos ouviram a mensagem em voz alta e clara. Suas ações e ensinamentos dão provas de que eles também acreditavam que a Igreja de Jesus Cristo seria ressuscitada dos mortos.

Aqui estão alguns exemplos:

Paulo testificou ao rei Agripa em Atos 26:8: "Por que deveria ser pensada uma coisa incrível entre vós que Deus ressuscite os mortos?" (Ênfase minha)

"E Deus não somente ressuscitou ao Senhor, e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder." (1 Coríntios 6:14, ênfase minha)

"Sabemos que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus dentre os mortos também nos ressuscitará com Jesus e nos presentear com sua presença." (2 Coríntios 4:14, ênfase minha)

Jesus tinha o poder na terra para ressuscitar os mortos, e Ele o fez pelo menos três ocasiões.

Um certo governante pediu-lhe para vir à sua casa porque sua filha estava morta. “Jesus disse: a menina não está morta, mas dorme. E riam-se dele." (Mateus 9:24) Jesus tomou a criança morta pela mão e disse-lhe para se levantar. Lucas 8:55 revela que "o seu espírito voltou, e ela se levantou."

Jesus instruiu seus seguidores a ressuscitar os mortos, "Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios: De graça recebestes, de graça dai." (Mateus 10:8).

Não só Jesus Cristo veio de volta à vida depois de três dias no túmulo, mas Ele também prometeu levantar todos os justos mortos, quando Ele voltar à Terra para trazer a justiça divina no tempo do fim.

O conceito é chamado por muitos de "O Arrebatamento". Este termo refere-se ao evento, quando todos os mortos em Cristo ressuscitarão dentre os mortos e juntamente com todos os santos vivos serão arrebatados para encontrá-Lo no ar. Em outro vernáculo, é a grande Ressureição.

Na verdade, haverá duas ressurreições. A primeira ressurreição será a ressurreição de todos os santos justos. A segunda ressurreição será a ressurreição dos ímpios, que serão julgados e enviados para o inferno.

Na parte II deste estudo, vamos dar uma olhada em quando, exatamente quando, cada um desses eventos acontecerá.
Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário