segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

A NOVA HERESIA DO “EMPRÉSTIMO DA FÉ” – PARTE II

Todos estão presenciando no Brasil, o surgir de uma nova igreja evangélica que está trazendo a “onda” do “emprestar a fé”. Mais uma heresia dos “crentes”! A coisa funciona assim, quando a pessoa vai nessa igreja, mas não tem fé, os pastores emprestam a fé que eles possuem, a fim de que essa pessoa possa alcançar o que necessita. Depois de obtida a bênção, a graça, ela, a fé, deve ser devolvida ao seu dono, nesse caso, o pastor dessa igreja “poderosa”.

Assistindo a um dos programas de televisão dessa denominação, que tem uma das sedes regionais aqui em Curitiba, naquele “culto” (sei lá como chamar a reunião), uma senhora deu o seu testemunho. Ela contou o que lhe acontecera e o que tinha alcançado usando emprestada a fé do pastor. Naquele momento, ela estava devolvendo-a para o pastor, seu dono original. Ela, então, pega na mão do pastor, dizendo que agora já podia devolver a fé dele, pois o milagre que esperava lhe havia acontecido. E ainda disse: “pronto pastor, pode pegar sua fé de volta”.

Quanta bobagem e heresia. Examinando as Escrituras sobre a fé, não encontrei, se quer, vestígio de algo similar, tanto no Velho quanto no Novo Testamento.

Veja o que Romanos 10:17 diz “De sorte que a fé vem pelo ouvir, e ouvir a palavra de Deus.”

Perceba que essa nova heresia que está tomando monta no meio evangélico, pelo menos no meio dos membros dessa igreja que se denominam evangélicos, é completamente diferente do que foi expresso pelo autor do livro aos Hebreus: “Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.” (Hebreus 4:2)

Gosto de me perguntar: até onde os pastores evangélicos irão e o quanto de heresias, falácias, mentiras precisarão inventar para fazer prosélitos? Querem falar de fé, então parem de se auto-promoverem, pois o que estão fazendo é a prática do humanismo disfarçado de piedade. Por que não ensinam o que diz a Palavra de Deus sobre a fé? É só abrir a Bíblia em Hebreus 11 e passar a ler para o povo, deixando que o Espírito de Deus toque nos corações, pois é pela Palavra de Deus que a fé vem e não pelo “empréstimo” da fé do pastor “poderoso” ao outro.

O Evangelho que (não) está sendo pregado, é um evangelho confuso, estranho, no mínimo duvidoso. Estão fazendo da verdade de Deus, uma espécie de sincretismo misturado com pajelança. Novamente o povo vai endo “socado”, “sacudido”, “recalcado” e “transbordado” com o peso da religião morta, que não traz vida. É trocar a opressão do Velho Testamento, os terrores da Lei por um novo abuso beatificado.

Que Deus me perdoe por trazer à tona esse assunto, como se eu estivesse julgando esses pastores e suas ovelhas, mas não posso deixar de alertar a quem puder acerca da verdade que está contida apenas na Palavra de Deus e não nas invenções humanas.

O alvitre da racionalidade humana acerca de Deus não é o Evangelho, é mera religiosidade. O Evangelho é a própria obra de Deus para alcançar o homem.

Quero desmascarar essa heresia, reptando a qualquer pastor dessa denominação, desde o líder principal até o menor, para que mostre aos blogueiros de plantão, a veracidade bíblica que existe em “emprestar a fé” e onde essa prática é encontrada na Palavra de Deus. Ou seja, onde Deus falou que essa conduta leva o homem ao conhecimento do Filho de Deus e a experimentar um relacionamento de intimidade com Ele?

Se esse é um movimento do Espírito Santo, de forma alguma quero me opor e resistir a Deus. Não quero ser um exegeta da atuação do Santo Espírito de Deus, pregando apenas letra, pois ela mata, como escreveu o apóstolo Paulo, inspirado por Deus, em II Coríntios 3:6 “O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.”

Quero estar sensível ao mover de Deus. Porém, Deus só pode agir de acordo com suas próprias palavras. Deus age na qualidade, forma, no gênero que lhe é característico, aspectos esses que foram revelados no Velho e Novo Testamentos.

O Deus nunca visto antes, se revela em Cristo Jesus. Ele mesmo disse: “Eu e o Pai somos um.” (João 10:30) e “Quem vê a mim vê o Pai.” (João 14:9a). Portanto, Deus é como Jesus é. E Jesus é como Deus é. Jesus fica surpreso com Filipe, como não acreditando naquilo que havia sido arguido. Veja: “Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” (João 14:8-9). O que Filipe estava pedindo, em outras palavras, era: “Jesus, só nos mostre Deus e daí isso vai ser suficiente.” Só isso?

O intuito desse texto é instruir aos santos na genuína fé que nasce do conhecer e andar com o Filho do homem, libertando os cativos da mentira, preparando o caminho e anunciando a salvação eterna nEle. Importa que Ele cresça e eu diminua. Amém

É isso aí. Fique na paz.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário