sexta-feira, 2 de outubro de 2009

VENDILHÕES NO TEMPLO

Sabe, que a verdade seja sempre dita.

Outro dia escutava uma rádio "evangélica", como de costume, e ouvi: “Você só ouve notícias ruins? Só tem más novidades? Venha para o nosso culto onde iremos ungir seu ouvido e seu celular com o óleo da boa notícia. Você passará a escutar boas notícias”. QUANTA BESTEIRA!!! E isso tudo em nome do Evangelho de Cristo? Ou para fazer prosélitos?

Prezados amigos(as), confiantes em Jesus Cristo, considerem isso anátema. Sejam firmes, aguardem com paciência e fé em seus corações, um pouco mais de tempo, pois Ele não tardará. Essas igrejas que têm propalado apenas curas em troca de dinheiro, dízimo por bênção, entre outras poucas e boas, não as considerem evangélicas. Anuncie aos não cristãos o Evangelho verdadeiro de Cristo e diga em alto e bom som que elas, e seus líderes, não são seguidores do Senhor Jesus, que são pastores cegos. São seguidores de seus próprios interesses, dos seus desejos carnais, adúlteros, farisaicos e hipócritas. Aqueles que agem de maneira leviana na pregação da verdade bíblica, são vendilhões do templo, homens iníquos com aparência do bem, e muito em breve, suas mesas de negociação no meio do templo, suas águas bentas, seus lenços ungidos, muito em breve, serão desbaratinados pela chegada do Noivo. Quando Ele voltar não apenas quebrará suas mesas nojentas de um comércio infrutuoso da mentira, mas os lançará nas trevas exteriores, onde há pranto e ranger de dentes.

Eu não sei onde vai parar essa comercialização do Evangelho. Tudo agora é acerca de dinheiro. O que só escutamos nas rádios, na televisão e quem sabe na maioria das igrejas, é dinheiro, dinheiro e dinheiro. Quando não é declarado, está implícito, “você só será abençoado se der, do contrário está debaixo de maldição”. Esses pastores impõem um fardo que nem mesmo eles conseguem carregar. São lobos vorazes vestidos de ovelhas, usados pelo próprio satanás para fazer com que os símplices olhem mais para o milagre do que para o autor e consumador da fé. Ah, mas em Ezequiel 7:19 diz assim: “A sua prata lançarão pelas ruas, e o seu ouro lhes será como sujeira; nem a sua prata, nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do SENHOR; eles não saciarão a sua fome, nem lhes encherão o estômago, porque isto lhes foi o tropeço para cair em iniqüidade.”

Nunca um versículo foi tão explorado quanto este: “Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço”. (Lucas 6:38a). O problema é que a parte “b” desse mesmo verso ninguém gosta, se quer, de ler: “porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo”. (Lucas 6:38b) De que medida Jesus está falando? Dinheiro ou atitude do coração? Vantagem ou servidão por amor? Ser o maior e aproveitador ou menor, humilde e simples de coração?

Esses pregadores inúteis, homens confusos, de coração duplo, farsantes do puro Evangelho, enganadores em última escala, querem fazer de Jesus Cristo e do próprio Deus Pai, meros empresários da eternidade, e do Espírito Santo, um compactuador e efetivador do “business” do Reino.

Dizem eles: “O business de Deus é ganhar almas”. Mentirosos de uma figa, pois Deus é amante da sua criação, o ser humano, e apenas está interessado em mostrar seu amor ágape, representado pelo Filho, para resgate do que se havia perdido. Eu e você, nós estamos perdidos e é a graça, maravilhosa graça de Deus que faz tudo. É uma distorção tão grande do que vai no coração de Deus, que mesmo lendo a Sua Palavra, não conseguem se livrar da sua natureza pecaminosa, achando que Deus compactua com eles nesse plano mesquinho de ficarem ricos através da esperteza da pregação de algo que não é o Evangelho de Jesus.

O Evangelho de Jesus é uma inversão dos valores humanos: dar, ao invés de pedir; servir ao invés de ficar sentado como uma paxá, só recebendo; dedicar-se ao próximo ao invés de esperar que satisfaçam suas necessidades; é ser o último para ser o primeiro; é dar um pão e um café quente para um faminto que dormiu a chuvosa noite anterior debaixo de uma marquise, é vestir o desnudo, chorar com os que choram, ter fome de justiça, cuidar dos órfãos, suprir as necessidades da viúva. Fazendo tudo isso, representaremos a Deus, com seu amor que se traduz em pão, agasalho, lágrimas, equidade, amparo, provisão. Acima disso tudo, é dizer ao pecador que Jesus Cristo é o Salvador eterno, que salva sem cobrar nada, um centavo se quer, e quer vê-lo no lar celeste por toda eternidade. Um lar onde não haverá mais dor, sofrimento, perdas, choro ou escuridão. Isso tudo a custo zero. Não é sobre dinheiro, é sobre vida eterna com Deus!

Afirmam eles com convicção impositora: “Deus me revelou” e assim vão enganando a muitos. Logo receberão o pagamento pelas suas mentiras. Jesus em breve voltará e dará a cada um a sua paga, esteja certo disso, pois Deus não se deixa ser zombado.

É isso aí, fique na paz.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário