quinta-feira, 15 de outubro de 2009

PERDOA SENHOR!

Aos amigos blogueiros e fiéis simpatizantes, quero pedir desculpas por ter tanto demorado, nas últimas semanas, para colocar novas mensagens. O fato é que a vida está bem apurada e por um bom motivo.

A mensagem de hoje é simples, direta e objetiva. Nunca uma letra de uma música foi tão necessária, tão verdadeira, se aplicando tanto aos pastores e líderes evangélicos, principalmente aos televangelistas, quanto a música intitulada "Perdoa" da banda "Trazendo a Arca", do CD "Pra tocar no Manto". A letra diz assim:

"Perdoa, o meu diz te servir
Me servindo de você, maculando teu altar e dizendo ser pra ti
Mas querendo ter pra mim, a glória
Perdoa, se de mim me orgulhei
Esquecendo quem sou eu, desprezando quem és tu
Eu sou barro e sou pó e o tesouro que há em mim é teu Senhor
Perdoa, me desfaz e me refaz
Mas não deixe que eu me perca em minhas vaidades
Perdoa, ressuscita-me pra ti
Quero estar no centro de tua vontade
Me perdoa me livra de mim mesmo
Óh Senhor, me livra de mim mesmo
Sonda o meu coração Senhor
Eu só quero ser sincero contigo
Eu desnudo a minha alma diante de ti
Me perdoa, perdoa óh Deus
Me livra óh Deus."


Esta deveria ser a sincera oração, se não da totalidade, pelo menos da grande maioria dos pastores/bispos/líderes evangélicos, dos assim chamados ministros do Evangelho, principalmente daqueles que estão na mídia, seja TV, rádio ou internet.

Por que são tão poucos ou quase nenhum aqueles que propagam seus ministérios somente via jornal ou revistas? Aliás, propalar seus ministérios? Não seria o Reino dos Céus? Primeiro, porque na somatória geral, são poucos os que leem e segundo, porque não é possível dominar a "massa" pela escrita, uma vez que os que leem mais, normalmente, são também mais doctu (do latim) ou, pelo menos, perspicazes o suficiente para logo perceberem a falta de inteireza de coração desses(as) homens(mulheres) na pregação do Evangelho de Cristo, não sendo tão facilmente engrupidos por uma mensagem que se "assemelha" aquela do Mestre da Galiléia, o Salvador eterno.

Sinceramente, gostaria de saber o que os atuais televangelistas/radioevangelistas brasileiros entendem sobre:
"Por onde forem, preguem esta mensagem: o reino dos céus é chegado. Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre em vossos cintos" (Mateus 10:7-9)

Jesus deu esse último mandamento aos Doze e também ao grupo de 72 discípulos (Lucas 10:1-8 - leia lá, se possível). Mas em lugar algum Jesus disse: "Peçam dinheiro para sustentar o vosso ministério, pois ele será grande e precisará de muitos investidores e parceiros. Caso assim o façam, meu reino estará abarrotado" (duplo sentido aqui)!!!

O interessante é notar que os evangélicos ficam como que "alucinados" com o fato de pessoas serem curadas em nome de Jesus, em um culto ou evento evangelístico. Os pastores/líderes que estão assim fazendo, nada mais fazem do que cumprir o mandamento citado acima. O que há de tão "impressionante" nisso? Seria notável ver Jesus, o próprio Deus, curar? Seria impossível para Deus ressuscitar o morto? A não ser que a glória dessas curas esteja sendo requerida po alguns. "Nossa, aquele bispo é poderoso mesmo, pois um aleijado andou depois que ele orou e ordenou".

Perdoa Senhor, perdoa!!!

É isso aí. Fique na paz.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário