sexta-feira, 14 de agosto de 2009

QUADRO COMPARATIVO ENTRE JESUS E A IGREJA

Respondendo ao meu sobrinho Gabriel, aí vai.

Até parece ter virado moda citar o autor Dave Gibbons e o quadro comparativo entre Jesus e a Igreja que ele criou e apresentou no seu livro intitulado The Monkey and The Fish.

Dave Gibbons é o fundador e pastor da Igreja NewSong em Irvine e ele está auxiliando a NewSong realizar uma mudança (quebra) de um modelo mega-igreja para uma igreja de congregações menores.

Fiz uma modificação da sua tabela original e coloquei abaixo apenas o que considero realmente útil, verdadeiro e instrutivo. Um dos motivos dessa mudança, entre vários outros, e não entrarei nesse questionamento, pelo menos agora, é o fato de não concordar com um Jesus “rabínico” que ele cita. Para quem conhece o quadro original em inglês, sabe ao que me refiro.


Na minha compreensão, e a Bíblia me ensina assim, Jesus é o Filho de Deus, o próprio Deus encarnado, o único Mestre da Galiléia. Jesus nunca se pareceu, nem de longe e de olhos fechados ou de ouvidos tapados, aos rabinos da época, nem mesmo na sua forma de ensinar.

Por mais que alguém queira defender o motivo de Gibbons citar um Jesus “rabínico”, contemplando que é o aspecto “mestre” que foi enfatizado, fica bastante suficiente minha explicação já dada acima.

Jesus é Deus na forma humana e ele não usou um formato judaico de ensinamento sobre o Reino de Deus. Ele usou uma forma inteligível aos seres humanos, apenas isso. Ele foi o único Mestre na história cujos feitos foram compatíveis (igualitários) às suas palavras (ensinamentos). Que alegria poder falar isso de alguém! Jesus, tu és maravilhoso mesmo!

Obviamente que aceito que Jesus é Mestre e a Igreja não, até mesmo porque Jesus mesmo disse: "Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo." (Mateus 23:10). Agora, afirmar que Jesus é “rabínico”, é incutir, sorrateiramente na mente das ovelhas de Cristo que ele é, ou foi, igual aos rabinos farisaicos judeus. Que seja anátema!

Eu particularmente prefiro o material escrito por Edgar Jones intitulado "Jesus e a Igreja - Alguns pontos de comparação" ("JESUS AND THE CHURCH SOME POINTS OF COMPARISON") que colocarei traduzido aqui no blog, muito em breve.

De qualquer forma, acho válido o que o pastor Gibbons escreveu. Veja alguns aspectos relevantes modificados da tabela dele que cito abaixo:

Jesus
De baixo para cima
Igreja
De cima para baixo (pastor manda, resto obedece)

J
Revela amor
I
Julgadora (não ama de forma alguma; ama falsamente com religiosidade)

J
Sacrifício
I
Conforto (não se doa; melhor receber do que dar)

J
Abençoar a comunidade
I
Converter a comunidade (adora proselitismo, procura fazer adeptos, mentecaptos)

J
Deixa ir
I
Aprisiona (suga, escraviza, até com mandingas e patuás - usa tótens)

J
Dor
I
Segurança (não se expõe; odeia o sofrimento; vive do dízimo)

J
Humildade
I
Pretensiosidade (arrogância; hierarquia quem é "mais" espiritual)

J
Pequenês
I
Grandeza ("vamos ganhar as cidades, o Brasil..." , penso para que?)

J
Auntenticidade
I
Máscaras (fingida, pecados ocultos)

J
Todos os dias
I
Domingos (pode ser sabática tbém)

Com isso dá para perceber, nitidamente, que as igrejas evangélicas não têm qualquer similaridade com a invisível Igreja de Cristo. Jesus é a Cabeça da Igreja, o problema é que pensa-se que a igreja (construção) é onde Deus reside e Jesus Cristo trabalha (sem trocadilhos, pois o Espírito Santo age nos corações das pessoas nos cultos). Um erro absurdo dissiminado entre os crentes pelos pastores.

Por isso, querem fazer do templo (construção) um lugar santo, mas não os seus corpos, que são verdadeiramente o templo do Espírito Santo. (Ler I Coríntios 6:19). Duro de digerir isso, mas verdadeiro. Você crente, engole isso? Ou prefere vomitar? Só cuidado, lembre-se quem vomitará quem no último dia!

É isso aí. Fique na paz.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário