terça-feira, 16 de junho de 2009

ALERTA: O TEMPO DA APOSTASIA JÁ COMEÇOU SOBRE A FACE DA TERRA!

Para quem conhece a Palavra de Deus sabe que para a volta de Cristo, primeiro é necessário o período da apostasia.“Ninguém de modo algum vos engane: Porque primeiro deve vir a apostasia, e deve manifestar-se o homem da iniqüidade, o filho da perdição, o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado a ponto de tomar lugar no tempo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus." ( II Tessalonicenses 2:3, ênfase minha)

Tempos muito difíceis ainda estão por vir sobre a igreja invisível do Senhor Jesus Cristo, da qual eu e você fazemos parte, mas não para a igreja professante, essa que está aí, assentada sobre seu CNPJ e que se considera amiga e leal ao sistema; igreja que a cada dia mais, adequa-se aos padrões deste mundo caído.

A maioria dos evangélicos não se preocupa em entender com exatidão as Escrituras, nem o defender as doutrinas bíblicas vitais contra o avanço dos erros sutis. Desejam apenas algo novo e original. Assim sendo, os líderes ou pastores apóstatas, oferecem o que essa maioria deseja, pregando uma mensagem que traz embutido o forte desejo de andar em harmonia com o mundo.

Não se engane, a igreja professante, chamo-a assim porque ela apenas professa com seus lábios que conhece a Jesus Cristo, mas o nega pelas suas atitudes e pela conduta dos seus líderes, irá se submeter passiva e adequadamente ao regime pós-moderno que está se estabelecendo por sobre toda a face da terra. Esse é o prenúncio da vinda do Anti-Cristo. É o tempo da apostasia de que falou o apóstolo Paulo. Cristo está próximo. Maranata, vem Senhor Jesus.

Essa inépcia da igreja professante me assusta, porque ela está, pouco a pouco, se conformando ao padrão mundano de administração, doutrina, e, o pior, crença religiosa. O que quero dizer com isso é que os que congregam em igrejas que são lideradas por pastores com uma fala pós-modernista (apóstatas), não estão sendo desafiados a rejeitar o mundo exterior. Pelo contrário, as ovelhas estão sendo levadas a cada vez mais serem iguais ao padrão deste mundo, cada vez quererem ter mais, serem mais prósperas materialmente, terem mais sucesso nas suas empresas, instigados a assumirem cargos mais altos nas suas corporações, a fim de mostrarem que são abençoados por Deus, a serem pessoas mais parecidas com o diabo - gananciosos, arrogantes, invejosos, amantes de si mesmos - do que com Cristo.

Os apóstatas, líderes de igrejas e comunidades evangélicas, falam muito acerca do vinho novo, citando o texto de Mateus 9:17 "Nem se põe vinho novo em odres velhos; do contrário, rompem-se os odres, derrama-se o vinho, e os odres se perdem. Mas põe-se vinho novo em odres novos, e ambos se conservam." Usam a fala de que o vinho novo é melhor, a fim de catequizar seus ouvintes a crerem que o vinho novo é o que eles próprios - só eles, mais ninguém no meio evangélico - têm para dar. Um "novo mover" do Espírito Santo, alegam eles. Eles frisam que esse vinho novo é "algo diferente", "algo novo" que Deus tem para os seus nesses dias, mas na verdade, essa é uma armadilha satânica para que seus catequizados abram os corações e as mentes para a apostasia. Eles desejam que as ovelhas se abram para os interesses pecaminosos e egocêntricos deles mesmos.

Na verdade, quando Jesus falou acerca do vinho novo, estava falando de si mesmo. O vinho novo nada mas é do que Cristo ressurreto. Não é um mover novo ou uma onda nova. O Espírito Santo só age em concordância com a Palavra de Deus Pai. O Espírito Santo guia a todos à verdade; a Cristo Jesus. O Espírito Santo não interesse algum em fazer um movimento novo qualquer a não ser glorificar ao Filho de Deus, tão somente. Ele não sai dando choque espiritual e tremelique nas pessoas, fazendo algo novo ou "tremendo" - palavra que os líderes daquela fala adoram empregar.

Quantos líderes evangélicos desperdiçam a oportunidade de tornar a verdade clara e nítida para as ovelhas de Cristo, quando sobem ao púlpito! No último domingo, na igreja, o jovem pastor-evangelista pôs-se a falar sobre a vida de Moisés, para exemplificar o verdadeiro exemplo do líder. Usou o texto de Números 20, onde a congregação de Israel contendera com Moisés por lhes faltar água no deserto. Ensinou a igreja, seus departamentos, seus líderes, que tivessem a postura de Moisés. Que triste, que pena, que mensagem infeliz!

Enquanto estavam ali, naquele culto, ovelhas de Jesus Cristo e outros que nem o conhecem ainda, para ouvir uma mensagem da Graça de Deus, acabaram por escutar uma mensagem truncada de um homem falido - Moisés - que se quer conseguiu entrar na terra prometida, devido a um padrão de esforço humano que não cabe nem se aplica para o crente em Cristo Jesus. Um padrão fracassado de liderança que precisou grandemente da intervenção divina no meio daquela confusão toda. Moisés não fez nada, quem fez tudo foi Deus. Moisés não foi nada diferente do que somos, uma desgraça total, maltrapilhos.

Aliás, que temos nós com o judeu Moisés mesmo? Por acaso viveu Moisés na Graça que hoje eu e você temos a oportunidade de viver? Que mensagem de Graça é essa? Que padrão falido é esse que temos que seguir ou nos basearmos? Não vejo nada em Moisés a não ser um ser humano totalmente incapacitado - exatamente como eu sou - que fora escolhido por Deus para guiar o Seu povo até a terra prometida, uma tarefa impossível para qualquer ser humano sem a ajuda divina.

A mim, a mensagem bíblica evidenciada na vida de Moisés é uma só: "...porque sem mim nada podeis fazer." (João 15:5b) Não posso e nem tenho que me basear em Moisés, ou seja lá quem for, preciso me alicerçar em Cristo Jesus. Enfim, por que não se quer ensinar a seguir o padrão que é Cristo, o varão perfeito?

Por que ele não entendeu o texto bíblico que fazia alusão àquela rocha, da qual saíra água, como uma indicação da Rocha eterna, que é Cristo Jesus? Pois é isso que Deus queria mostrar, não somente aquele povo, mas efetivamente ao povo de Irael nos dias de Jesus, e a todos nós hoje, que o Cristo seria conhecido por essas palavras: Rocha e Água Viva.

Por que ele não ensinou que a água que vertera no deserto, como sendo uma representação clara da água que Jesus Cristo nos dá para beber, uma vez que Jesus diz “Quem beber desta água não terá mais sede. E a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna.” (Jo 4,14)?

O que está acontecendo na igreja professante de Cristo? O que se passa com os pastores e líderes evangélicos?

É o tempo da apostasia! Prepare-se. Firme-se na Palavra de Deus. O vento vai soprar, o mar vai rugir, mas quem estiver alicerçado sobre a Rocha - o CRISTO VIVO, vai continuar sempre firme, até o final.

Fique na paz.

Escrito e publicado aqui por Éber Stevão

3 comentários:

  1. Parabéns , irmão e eu que pensei que estava louco ou sendo rebelde em criticar o modelo de igreja existente nos dias de hoje !!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu também achei que estava louca porque tudo que aprendi sobre ser humilde e não desejar riquezas na Terra estavam erradas, As igrejas atuais estão deixando as coisas do mundo entrarem nelas, não sabemos mais distinguir quem é Cristão e quem é do mundo.

    ResponderExcluir
  3. Graças a DEUS. TAMBÉM ACHEI QUE ESTAVA LOUCA E REBELDE. Estou presenciando um consumismo com esnobismo dentro das igrejas. Irmão que compra carro novo e para humilhar chama as pessoas para sair do culto para ver o belo carrão que comprou. Um modismo exagerado e falta total da presença de Deus.Sem falar no cristão que sai do culto com cara emburrada e dos antipáticos.

    ResponderExcluir